Pular para o conteúdo principal

Pizzaria Dom Bosco

 


 Foto: Correioweb.




Esta pizzaria começou em 1960, com uma lojinha que parecia um bar (botequim), sem cadeiras e com um único sabor de pizza: mozzarella, molho de tomate e orégano. Alguém pode pensar que não foi longe e que, hoje, seria apenas uma lembrança. Outros podem pensar que a pizzaria, que começou pequena, hoje, deve ser uma pizzaria gigantesca, com inúmeros sabores de pizza. Por incrível que pareça, ambos os pensamentos estão errados. Quem conhece administração sabe o quão difícil é uma loja se manter estável em seu padrão, após 50 anos, porém, a Pizza Dom Bosco continua a mesma em todos os quesitos, apesar de estar presente em outros endereços da cidade. Continua sendo uma loja pequena, sem cadeiras e com um único sabor de pizza, além, claro, de salgados, cervejas, sucos e refrigerantes. Como pode? Fui até a Dom Bosco original, na 107 sul, quando pequeno. Não queria definir padrões, ou descobrir segredos, queria apenas uma fatia de pizza para matar a fome. Lembrando hoje, lá estavam advogados, marceneiros, secretárias, policiais, servidores públicos e eu espremidos em um balcão apertado para experimentar um único sabor de pizza. Acho que esse é um segredo da pizzaria, a humildade de unir todas as classes e profissões por uma pizza. É uma espécie de democratização pela pizza! E o sabor? Posso definir de forma estranha, mas é o sabor (a sensação) que experimento quando ouço Legião Urbana. É o sabor do DF! Quando houve a passeata dos “caras pintadas”, na época do Collor, estava eu com meu rosto pintado, gritando palavras de ordem e liberdade, em plena Esplanada dos Ministérios. Após intensa e tensa manifestação, eu fui com amigos comer uma pizza Dom Bosco e encontrei outros “caras pintadas” por lá. Naquele momento, parecia o sabor de nossa revolução. Quando soube que abririam uma Pizza Dom Bosco, no campus de minha faculdade, foi a glória que coroou os meus intervalos. Estava tudo ligado! A Pizza Dom Bosco é o sabor da revolução e da Legião! A Pizza Dom Bosco é isso, um sabor que não tem igual e define o DF em simples mordidas. Se vier a experimentar, peça sempre uma “dupla” que nada mais é do que duas fatias em forma de sanduíche. É inesquecível!


 


NOTA DEZ


Ontem foi aniversário do “Velho Lobo” Zagallo! Tetracampeão mundial que revolucionou o esporte com táticas e esquemas que são empregados ainda hoje, mas o que não dá para esquecer é a garra desse jogador e a paixão pela amarelinha. Como apoiava os jogadores e seu carinho. Parabéns, Zagallo! Nota DEZ!


 


NOTA ZERO


 


Corrupção nos Ministérios! O que há com nossa política? Ministérios sob investigação, secretários presos, políticos com dinheiro em cuecas e meias. Que vergonha! É ZERO!


 


CLIPES


 


A genial Banda Rubra com a música Ainda Existem Flores. A inesquecível Legião Urbana com a música Tempo Perdido. Acho que já coloquei esse clipe aqui, mas vale o repeteco. Um metal muito bom de uma das séries mais polêmicas já criadas- What’s Up People da série Death Note. Death Note me impressionou pela construção criativa e pelo desenrolar da trama, além de ter diálogos muito bem construídos! 











Legião Urbana!







Death Note





Postagens mais visitadas deste blog

Outros Papos Indica: O Cérebro que se Transforma

Norman Doidge é psiquiatra, psicanalista e pesquisador da Columbia University Center of Psychoanlytic Training and Research, em New York, e também psiquiatra da Universidade de Toronto (Canadá). Ele é o autor deste livro que indico a leitura. O livro, segundo o próprio editor, “reúne casos que detalham o progresso surpreendente de pacientes” que demonstram como o cérebro consegue ser plástico e mutável. Pacientes como Bárbara que, apesar da assimetria cerebral grave, na qual existia retardo em algumas funções e avanço em outras, conseguiu se graduar e pós-graduar. Um espanto para quem promove a teoria de que o cérebro humano é um órgão estático, com pouca ou nenhuma capacidade de se adaptar. “ Creio que a ideia de que o cérebro pode mudar sua própria estrutura e função por intermédio do pensamento e da atividade é a mais importante alteração em nossa visão desse órgão desde que sua anatomia fundamental e o funcionamento de seu componente básico, o neurônio, foram esboçados pela p

TOP 3 de séries que merecem remake!

 Existem muitas séries da década de 90, na minha opinião, que mereciam um remake (manter a obra original, apenas contando novamente a história, com a tecnologia atual disponível). Vou citar aqui 3 delas. Estas séries foram escolhidas, pois são séries que ainda mexem comigo, que ainda gosto e que ainda lembro delas como se tivesse as assistido ontem. Esse foi o critério de seleção para esse simples TOP 3, de séries da década de 90, que mereciam um remake.  Oh My Goddess A série mesmo começou em 1988, encerrando-se em 2014, contendo um total de 48 volumes. Ela entra na lista por conta do seu primeiro OVA, lançado em 1993, cabendo perfeitamente nessa lista. A animação realizada pelo studio AIC foi uma das mais belas que já vi e promoveu a criação de outras séries, sendo que a última, se não me engano, terminou em 2013, com outro OVA. Já se passaram quase 10 anos desde a sua conclusão. Um remake dessa série, contando-a do começo a o fim, seria uma ótima celebração. O mangá vendeu mais de 4

Antologia Scortecci 40 Anos!

Antologia para edição especial de aniversário de 40 anos da Scortecci editora, para a 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo (2022) e, enfim, para ser a edição comemorativa dos 100 anos da Semana de Arte Moderna. Como as poesias já fazem parte desse blog, não faria sentido reescrevê-las, então, deixo aqui cópias das páginas da minha colaboração. Foi uma honra poder ter participado de tão nobre edição comemorativa. Obrigado pela oportunidade.     Primeira parte: Segunda parte: