Pular para o conteúdo principal

Animê Terror



Quando os japoneses inventam de criar animês sanguinários!


 


OBS: Esta atualização terá cenas fortes de animês de terror, então, prossiga com cautela e, se não gostar do gênero, termine de ler por aqui! Obrigado!


 


Se precisar, eu uso duas atualizações, embora isso quebre o ritmo de leitura (e eu não gosto). Não vou entrar no mérito histórico e tentar procurar o primeiro animê de terror lançado. Como a maioria dos animês são inspirados em mangás e os mangás, segundo meu estudo (que pode ser comprado aqui), são advindos de pergaminhos budistas, como o Chojugiga, então, histórias sobrenaturais e de terror são muito antigas na cultura japonesa.  Quando tratamos de enredos de animês, esqueçam o arquétipo de heróis e vilões de histórias de ação. Aqui a coisa é totalmente diferente. Vamos a um resumo de alguns enredos que são facilmente achados em animês de terror.


 


1.0-       Herói? Geralmente o protagonista de muitas séries é tão ruim quanto a ameaça que ele deve eliminar. Ah, e vampiros são sensação nesse quesito, pois temos aqui muitos exemplos: Hellsing, Blood (movie), Vampire Hunter D, Vampire Princess Miyu, Lenda Lunar Tsukihime e muitos outros. Apesar de serem tão violentos quanto os vilões, os protagonistas aqui terão momentos de dignidade que os diferirão das ameaças que eles enfrentam.







 


2.0-       Se o vilão for o protagonista, raramente alguém sobreviverá. Não importa se ele é uma pessoa “normal”, isto é, sem poderes, ou se ele é um louco com poderes sobrenaturais, fatalmente teremos inúmeras mortes em decorrência da ação (o olhar do autor) estar voltada para ele. Vou polemizar e colocar aqui um vídeo de um personagem que eu considero um vilão, mas muitos consideram um herói.







 


 


3.0-       Se o enredo estiver voltado para uma catástrofe, como uma horda de zumbies que se levanta contra uma cidade, ou um grupo de pessoas. Muitas vezes o enredo estará centrado em uma pessoa, ou grupo, que deve sobreviver a esta catástrofe. Muitos vão morrer até que, geralmente, só sobre uma pessoa e seu par romântico (às vezes nem isso).







 


4.0-       Vingança! O roteiro pode estar centrado em um doido que quer uma vingança contra uma pessoa, ou toda uma cidade. Novamente, é alguém que foi acometido de alguma violência, no passado, e que regressara para se vingar. Não é bem um vilão, mas está longe de ser um herói também.







 


5.0-       Investigadores! Sempre tem um desavisado que começa a investigar algum crime, ou evento sobrenatural, por conta própria e acaba por envolver a ele, e outras pessoas, em uma série de situações terríveis. O clímax é assistir como ele se sai das situações. Se ele fosse dormir, ao invés de sair por aí investigando, nada disso aconteceria.







 


    Pois é, acabou o papel. Então, espero ter resumido direitinho uma grande parte de roteiros de animês de terror. Esta atualização foi dedicada ao lançamento de “The Walking Dead” em dvd e blu-ray.


 

Postagens mais visitadas deste blog

Outros Papos Indica: O Cérebro que se Transforma

Norman Doidge é psiquiatra, psicanalista e pesquisador da Columbia University Center of Psychoanlytic Training and Research, em New York, e também psiquiatra da Universidade de Toronto (Canadá). Ele é o autor deste livro que indico a leitura. O livro, segundo o próprio editor, “reúne casos que detalham o progresso surpreendente de pacientes” que demonstram como o cérebro consegue ser plástico e mutável. Pacientes como Bárbara que, apesar da assimetria cerebral grave, na qual existia retardo em algumas funções e avanço em outras, conseguiu se graduar e pós-graduar. Um espanto para quem promove a teoria de que o cérebro humano é um órgão estático, com pouca ou nenhuma capacidade de se adaptar. “ Creio que a ideia de que o cérebro pode mudar sua própria estrutura e função por intermédio do pensamento e da atividade é a mais importante alteração em nossa visão desse órgão desde que sua anatomia fundamental e o funcionamento de seu componente básico, o neurônio, foram esboçados pela p

TOP 3 de séries que merecem remake!

 Existem muitas séries da década de 90, na minha opinião, que mereciam um remake (manter a obra original, apenas contando novamente a história, com a tecnologia atual disponível). Vou citar aqui 3 delas. Estas séries foram escolhidas, pois são séries que ainda mexem comigo, que ainda gosto e que ainda lembro delas como se tivesse as assistido ontem. Esse foi o critério de seleção para esse simples TOP 3, de séries da década de 90, que mereciam um remake.  Oh My Goddess A série mesmo começou em 1988, encerrando-se em 2014, contendo um total de 48 volumes. Ela entra na lista por conta do seu primeiro OVA, lançado em 1993, cabendo perfeitamente nessa lista. A animação realizada pelo studio AIC foi uma das mais belas que já vi e promoveu a criação de outras séries, sendo que a última, se não me engano, terminou em 2013, com outro OVA. Já se passaram quase 10 anos desde a sua conclusão. Um remake dessa série, contando-a do começo a o fim, seria uma ótima celebração. O mangá vendeu mais de 4

Antologia Scortecci 40 Anos!

Antologia para edição especial de aniversário de 40 anos da Scortecci editora, para a 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo (2022) e, enfim, para ser a edição comemorativa dos 100 anos da Semana de Arte Moderna. Como as poesias já fazem parte desse blog, não faria sentido reescrevê-las, então, deixo aqui cópias das páginas da minha colaboração. Foi uma honra poder ter participado de tão nobre edição comemorativa. Obrigado pela oportunidade.     Primeira parte: Segunda parte: