sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Drops: Filho do Naruto e a Mãe do Deku!

Drops: Mãe do Deku e Filho do Naruto

Não, apesar do título orientar para algum doujinshi obscuro, eu apenas resolvi fazer textos curtos com estes temas. Sei que o título ficou estranho (rs). E sobre o poema de quarta-feira passada, eu fui enganado pelo roteiro do animê! (rs) 

Filho do Naruto

Boruto está na berlinda para desenvolver uma síndrome do pai ausente (leia). Naruto, que conseguiu realizar seu sonho de virar hokage, acabou por abandonar um pouco sua função familiar e paterna, criando no filho (Boruto) uma mágoa e uma falsa rebeldia. Boruto é um falso rebelde, pois ele unicamente deseja chamar a atenção do pai para si. Ele não possui um ódio verdadeiro que alimente uma rebeldia, ele apenas quer o pai mais próximo. E eu acho tão triste isso, pois eu sou fã de Naruto e, como tal, torci para que o jovem Naruto realizasse seu sonho. Quando ele reencontrou seus pais, eu chorei. Ele sempre foi sozinho e, no momento em que ele consegue até instituir uma família, os autores o fazem ser um pai ausente. É uma decisão tão ingrata, deuses do mangá, mas eu compreendo a intenção do roteiro e, apesar de sofrer, estou gostando dessa construção de personagens. Fica a dica de uma série que tem crescido em meu conceito. Assista via Crunchyroll!






---------- FAKE SPOILER ALERT! FAKE SPOILER ALERT! ----------


É um alerta estranho, não é? O que acontece é que não tenho acompanhado o mangá. Apenas escrevo pelo que li nos fóruns sobre a série. Como ainda não saiu nada sobre isso, o risco de eu errar é tão grande que o que estou a escrever pode ser FAKE. Daí minha decisão em criar um Fake Spoiler Alert! (rs) Se eu errar é fake, se eu acertar é spoiler! (rs)

Para de ler aqui se não gosta de spoiler, pois, para explicar o meu raciocínio, vou escrever sobre acontecimentos que ainda não foram animados.


Mãe do Deku


Nana foi antecessora do All Might e uma matriarca que teve um filho e um neto. Já sabemos que o neto dela é um vilão. Deku é o personagem principal de Boku no Hero Academia. Em determinado momento no mangá, Toshinori vai visitar a mãe do Deku e diz ao menino que a mãe dele parece com alguém que ele conheceu algum tempo atrás, talvez se referindo à Nana. A antecessora do All Might, Nana, teve um filho com paradeiro desconhecido. Ela morreu ao enfrentar o All For One e ninguém sabe o que aconteceu com o filho dela.

Digamos que estes dois eventos estejam reunidos. A mãe do Midoriya, na verdade, pode ser a filha da Nana e, portanto, Deku seria neto da Nana, ou, talvez, se os cálculos de idade permitirem, o próprio Deku seria este filho perdido da Nana. Já imaginaram? Deku teria a chance de enfrentar All For One, ou o outro neto da Nana, e vingar a morte de sua mãe/avó. Ia ser legal! Acho que o autor vai desenvolver algo assim no futuro. Assista via Cruncyroll!


quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Sarada e Família!

Amor é algo complexo, delicado;
Não pode ser descrito, nem quantificado;
Não pode ser nem mesmo qualificado;
Amor é um elo intensificado!

Costumamos descrever o amor como laços que unem;
Não é apenas um laço, mas vários que ligam sentimentos;
Laços para que pessoas se amem;
Laços diversos, que ligam pessoas, lugares e momentos.

Família é o nome de um destes laços;
O respeito e fraternidade são seus principais elos;
Deve predominar a cordialidade;
Não importa a sua idade!

Pensei nesse poema ao ver o problema da personagem Sarada de Boruto. Boruto é a série que dá continuidade a Naruto e conta a história dos filhos dos personagens da série clássica. Sarada está com problemas de relacionamento, afinal, o pai dela é o Sasuke e ela descobriu, recentemente, que Sakura não é a mãe verdadeira dela. É a personagem que mais me cativou na série, até agora, por causa de seu contexto familiar. Tenho torcido por ela!   




segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Um ano sem Dilma!



E, cá estamos nós, depois de um ano do impeachment (não é gópi) da Dilma. Os que defendem o socialismo, e a corrupção da esquerda, perguntam se adiantou. Sim, adiantou! Em primeiro lugar, punimos crime de responsabilidade fiscal que levou às contas da União para um buraco do qual ainda não conseguimos sair. Segundo, a saída dela propiciou o início das reformas que o Brasil precisa. Com ela no poder, além de continuar a gastar, maquiando as contas, ela ainda não faria as reformas necessárias por não ter maioria no Congresso. Sem as reformas, o Brasil continuaria parado. Em terceiro lugar, afastamos, em tempo, o Brasil da Venezuela. Se a Dilma continuasse no poder, ela daria apoio ao regime ditatorial de Maduro, como a esquerda brasileira anda defendendo ultimamente. Em quarto lugar, sem o impeachment, com certeza, o resultado das urnas, nas eleições passadas, não demonstraria tanto repudio à agenda da esquerda. A esquerda diminuiu de tamanho, a um patamar de 13 anos atrás, e isso é bom para o Brasil. Precisamos de maior liberdade econômica e a agenda do socialismo é destrutiva, pois prega um Estado cada vez maior e, para combater a pobreza, gerar crescimento e emprego, precisamos de um mercado mais livre e competitivo. Em quinto lugar, com o afastamento dela, comprovou-se que não se tratava de uma perseguição política, pois a Lava-Jato continuou e, hoje, está combatendo outros partidos e enfrentando forte resistência de outros chefões.

Por óbvio que nem tudo são flores. Ainda reforço que o processo de impeachment é incompleto. Para mim, tanto o presidente, quanto seu vice, deveriam ser afastados do cargo. A crise que presenciamos ainda é fruto da instabilidade política que vivemos, pois o Temer tem muitos esqueletos no armário e  deveria ter sido afastado junto com a Dilma. Defendo isso até hoje! Eu sempre preguei, e vou continuar pregando, a alteração na lei que imponha as mesmas sanções ao presidente e seu vice. Claro que ambos deveriam ser afastados, ou a lei deveria ser alterada para que o presidente e o vice venham a ser os dois candidatos mais votados respectivamente. Se eles forem da mesma coligação, que sejam punidos juntos. Caso sejam adversários políticos, como no caso do segundo mais votado assumir como vice, aí, sim, a lei do impeachment valeria apenas para quem está no cargo de presidente.


 De qualquer maneira, o Brasil saiu fortalecido, pois combate um bom combate contra a corrupção. Estamos no meio da batalha e ela não terminará tão cedo. E 2018 será mais um capítulo nessa história e eu repito meu clamor: Não reeleja ninguém! Renove o Congresso! Renove os presidenciáveis! Não eleja socialista! Por um Brasil livre, vamos renovar a política!

Autores, pesquisem!

Pesquisem! Autores, pesquisem! Estou percebendo um erro recorrente nos autores japoneses. Coisa que me espanta. Nessa temporada,...