sexta-feira, 11 de maio de 2018

Record Of Grancrest War 17- Identidades e referências!


Record of Gancrest War 17- Dois Heróis!
Identidades e referências




Este texto terá spoilers do capítulo 17 que estreou na semana passada. Se não desejar ler, pare por aqui! E a recente temporada não possui animações com o mesmo efeito que a anterior, então, não teremos mais textos como os textos das semanas passadas.






Identidade e Referências

A identidade é a representação de valores, signos e significados que entendemos como particular de algo, alguém ou sociedade. Muitas obras fazem referências a diversas identidades para que a audiência venha a abraçar o tema central com mais facilidade. Uma das finalidades é envolver o público, que ficaria mais sensível às questões tratadas na obra. Estas identidades são construídas, em sua grande maioria, pela linguagem.

Vânia Maria do Nascimento Duarte[1]: “Utilizamos dois elementos principais para que a comunicação se materialize de forma plena: a linguagem, que representa todo o sistema de sinais convencionais, sejam estes de natureza verbal ou não verbal, e a língua, a qual representa um sistema de signos convencionais (de natureza gramatical) usados pelos membros de uma determinada comunidade, no nosso caso, a Língua Portuguesa. Partindo desse pressuposto, temos que o signo linguístico é concebido como um elemento representativo, constituindo-se de dois aspectos básicos: o significante e o significado, os quais formam um todo indissolúvel.”

O capítulo 17 de Grancrest War está repleto de representações de diversas culturas, usando signos linguísticos. Tanto na linguagem usada, como na seleção de imagens, ângulos e formas, cria-se uma identidade clara de referências ao nosso mundo. Vamos explorar o que consegui achar? Comecemos pelos personagens e suas representações.


Milza

Neste capítulo, tivemos a ação de dois grandes personagens que decidiram o destino de suas nações através da guerra. Como já leram na minha análise de Grancrest, como a melhor animação do gênero Fantasia, a série possui um dos maiores vilões da temporada. Um genocida, traidor, estuprador e assassino conhecido como Milza. Seus feitos em guerra o fizeram ser temido. Ele consegue decidir batalhas somente com sua lâmina, ódio e poder. Ele é uma verdadeira representação do deus da guerra selvagem: Ares. Ares é o ser conhecido por ser o deus da guerra selvagem. Milza traz consigo esta representação em suas estratégias de batalha. Quase sempre, suas tropas agem como um grande "bate-estaca", destruindo tudo em seu caminho. Milza também, com diálogo, mostra desprezo pelo poder do povo, que está surgindo na figura do líder Theo. Aqui, Milza também figura como o autoritarismo de uma ditadura, pois também faz seu povo sofrer.

Ele está por avançar contra Theo, que o havia cercado com seu exército dentro do castelo que outrora pertencia a um antigo aliado dos dois, chamado Villar. O orgulho do Milza o impede de esperar pelo resgate. Com grande ódio no coração, ele avança contra as tropas de Theo e de diversos nobres, que vão caindo um a um pela fúria de sua lâmina. Um deus selvagem é guiado por ódio, então, a representação aqui está adequada também. 


Theo Cornaro

O jovem que comparei a Arthur, pois nascera pobre, mas se tornara um grande rei,  através da influência do destino e da magia, possui as qualidades nobres do cristão Arthur de Camelot. Ponderado, justo e calmo, Theo é o exemplo de um grande nobre que comanda pelo carisma. Ele também representa o líder que envolve as massas através do já citado carisma. Assim como o David bíblico, Theo passou por inúmeras provações até alcançar o poder dos nobres. Um homem, um líder que está fazendo surgir a era do reinado do povo, ou seja, ele aqui também representa a democracia. O que os outros personagens confirmam em seus diálogos durante o episódio. Theo é o líder carismático e bondoso, que representa o ideal de liderança e o advento da democracia.




Acredito que a base para a criação do Theo, além de Arthur da Távola Redonda, poderia ser também bíblica: Jeremias 31 “33-“Eis, no entanto, a Aliança que celebrarei com a comunidade de Israel passados aqueles dias”, afirma o SENHOR: “Registrarei o conteúdo da minha Torá, Lei, na mente deles e a escreverei no mais íntimo dos seus sentimentos: seus corações. O símbolo gráfico do poder do nobre Theo me remeteu imediatamente a este versículo bíblico. Uma bandeira que é tecida nos céus, cujo símbolo parece ser uma asa de um anjo, que recai sobre seu povo. Uma representação das leis de Deus que, vindo do alto, encobrem e protegem seu povo, fazendo-se presente em seus corações. 


A Luta

É a luta de dois pontos divinos: o combate da guerra em fúria e o combate da guerra sábia. De um lado, um exemplo de Ares[2] (Deus da Guerra Selvagem) e, do outro, um representante de Jeová: “Salmos 24:8 Quem é este Rei da Glória? O SENHOR forte e poderoso, o SENHOR poderoso na guerra”.







Milza avança contra todas as tropas de nobres, aniquilando como a um furacão a todos que se aproximavam dele. Seu desejo é eliminar Theo. Siluca e os demais tentam evitar esta aproximação, pois temem pela vida de Theo. A fidelidade ao Theo é tanta que um dos personagens afirma que não permitira que Milza encostasse um dedo em seu futuro senhor. Porém, Theo, com serenidade e estratégia, vai eliminando as forças de Milza, reduzindo seus números. Milza avança com suas tropas, como se fosse um grande martelo a arrebentar tudo que se volte contra ele. Theo usa isto a seu favor e vai reduzindo o número de soldados do Milza com pontuais armadilhas contra as tropas adversárias. 

Para o desespero dos servos do Theo, que não conseguem parar Milza, ele se aproxima do personagem que representa o deus da guerra sábia. O combate, como mostra o AMV, se reduz a um duelo entre Milza e Theo. “O grau mais elevado da sabedoria humana é saber adaptar o seu caráter às circunstâncias e ficar interiormente calmo apesar das tempestades exteriores”. (Daniel Defoe). Milza é a tempestade. Theo é a calmaria.

O duelo deles repete a mesma representação estratégica das tropas. Milza ataca com fúria. Theo se defende e espera brechas para o contra-ataque. Exausto, ao final, o personagem que representa a guerra selvagem perde para a guerra sólida e com estratégias bem definidas. Milza perde para Theo, por não considerar de forma adequada seus ataques. Ele cansa por desperdiçar movimentos. Theo não.

Após o fim do duelo, e da execução de Milza, eis que surge uma representação que fortalece as minhas deduções anteriores, pois Theo, por alguns segundos, ora aos céus. Seus soldados repetem seu gesto. David orava a Deus antes e depois das batalhas, bem como a figura do rei Arthur. A gratidão pela vitória que lavou o sangue de seu amigo, reconquistando o que antes era dele (Villar).


Conclusão

Record of Grancrest War nos deixa um grande episódio que faz paralelos claros com a guerra, a estratégia e a calma. Com a democracia e a ditadura. Com a fé e a bravura. Os dois personagens estão delimitados por suas características: Milza (ódio e força bruta), assim como Theo (calma e frieza). E a luta entre eles nos garante metáforas e comparações (Ares e Jeová) que fazem com que o enredo se enriqueça com os símbolos usados. Isto também faz com que nos identifiquemos com eles, pois vemos neles representações de elementos que são importantes para nós. E esta emoção é benéfica para a série. Quando Theo aceitou o desafio de Milza, meu coração ficou na garganta. É o resultado de captar e aceitar os símbolos e referências propostos pelo autor para a construção do enredo e dos personagens. Um excelente trabalho! Isto, sim, é uma história bem construída!







 Dois grandes heróis: Theo e Villar, este agora em paz!
Homenagem ao casal Villar e Margaret! Esta vitória foi para vocês!








[1] O Signo Linguístico: <https://portugues.uol.com.br/redacao/o-signo-linguistico.html>
[2] Ares: <https://www.infoescola.com/mitologia-grega/ares/>

quarta-feira, 9 de maio de 2018

O papa e as armas!









O Papa disse que precisamos de um mundo sem armas;
Para vivermos sem medo da guerra;
São os discursos da esquerda os nossos carmas;
Afinal, a violência é inerente ao homem nesta terra.

Sansão matou com as mãos um leão;
A filha de Herodias dançou pela cabeça de João;
Nos dois casos não havia armas, somente o desejo;
Desejo de eliminar algo, um intuito, um ensejo.

Não é o cano da arma que mata;
É o dedo no gatilho que peca;
Para um coração determinado basta uma faca;
Ou um graveto, uma dança, uma queixada de burro ou uma caneca.

Não são as armas o real mal;
Mas de Deus um coração distante;
A violência que nasce pela ausência da moral;
Esta sim é o mal ultrajante.

Quer um mundo sem morte?
Deseje um coração sem maldade, remido;
Somente um coração em Cristo é forte;
Resiste à violência, fruto do castigo.


O discurso no Twitter do papa Francisco é reflexo da agenda do desarmamento, que é uma agenda da esquerda. No entanto, como toda a agenda da esquerda, ela possui falhas. Deixo aqui, então, dois vídeos. Um sobre o estatuto do desarmamento, do Nando Moura, e o outro um AMV com danças. O AMV (Anime Music Video) é uma provocação maldosa da minha parte. :) 





 Quando a filha de Herodias entrou e dançou, agradou a Herodes e aos convidados. O rei disse à jovem: "Peça-me qualquer coisa que você quiser, e eu darei". E prometeu-lhe sob juramento: "Seja o que for que me pedir, eu darei, até a metade do meu reino". Ela saiu e disse à sua mãe: "Que pedirei?"
"A cabeça de João Batista", respondeu ela.
Marcos 6:22-24

Vamos dançar? 






segunda-feira, 7 de maio de 2018

Equipe da Lava Jato, Moro e Raquel Dodge reagem ao STF!


Equipe da Lava Jato reage ao STF! A guerra jurídica continua e está intensa!

Como apontei no meu texto “STF manobra para salvar condenados da Lava Jato[1]” , está em curso no tribunal diversas estratégias para salvar condenados e investigados pela operação Lava Jato do Ministério Público e da Polícia Federal. Como a Joice já explicou, retirar as delações das mãos do Moro possui um sentido bem amplo. Em primeiro momento, é atrapalhar o julgamento, tumultuando o andamento processual. Em segundo momento, é caracterizar que Moro não possui competência de juízo para o julgamento e retirar dele todos os processos, além de anular a sentença dada aos condenados. Visite o meu texto anterior para ver mais detalhes deste golpe do STF e assistir ao vídeo no qual a Joice explica este golpe com mais detalhes. Link ao final do texto.


Equipe do MPF reage

Entretanto, a equipe responsável pelas investigações se manifestou. Manifestação pode ser encontrada no site especializado Jota[2].  A força tarefa da Lava Jato no Paraná afirmou, em uma manifestação direcionada ao juiz Sérgio Moro, que: “Apesar do lamentável tumulto processual gerado pela remessa de depoimentos a uma jurisdição diversa [São Paulo] da definida nas vias ordinárias, ignorando realidade conhecida, a decisão majoritária da 2ª Turma do STF não tem qualquer repercussão sobre a competência desse douto juízo para promover e processar a presente ação penal. (...)  Tais provas foram, em grande parte, colhidas muito antes da colaboração da Odebrecht, demonstrando, inclusive, a utilização de valores do Setor de Operação Estruturadas da Odebrchet que formavam um caixa geral para pagamento de propinas, abastecido com dinheiro proveniente, entre outros, dos crimes de cartel, fraude a licitações e corrupção de diversos contratos do grupo econômico com a estatal.”, a nota prossegue: “Vários deles (delatores), aliás, já foram ouvidos na investigação que embala esta ação penal. Os depoimentos foram colhidos, no curso regular da instrução do caso, seguindo-se todas as normas procedimentais e legais atinentes, de modo plenamente regular. Não sendo em nada afetados pela remenda decisão.”


Moro se manifesta

Moro também se manifestou em despacho afirmando, segundo o site República de Curitiba[3], que: “Oportuno lembrar que a presente investigação penal iniciou-se muito antes da disponibilização a este juízo dos termos de depoimentos dos executivos da Odebrecht em acordos de colaboração, que ela tem por base outras provas além dos referidos depoimentos, apenas posteriormente incorporados, e envolve também outros fatos, como as reformas no mesmo sítio supostamente custeadas pelo Grupo OAS e por José Carlos Costa Marques Bumlai [amigo de Lula]”.


Duque e Palocci



A equipe da Lava Jato, então, começou a tratar de outras negociações de delações, pois não faltam provas contra os crimes de Lula. Segundo a Gazeta do Povo[4]: “Em depoimento a Moro em maio de 2017, Duque admitiu ter recebido propina e afirmou que o ex-presidente Lula comandou o esquema de arrecadação de dinheiro de contratos da Petrobras para o PT. Disse que teve três encontros com Lula (em 2012, 2013 e 2014 – este último já com a Lava Jato em andamento) em que ficou claro que o ex-presidente “tinha pleno conhecimento de tudo”. “Ele tinha o comando [da corrupção na Petrobras].”


Segundo o UOL[5]: “O ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci vai revelar detalhes dos esquemas de corrupção dos quais participou durante os governos petistas de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, entre 2003 e 2015, aos investigadores da Polícia Federal. E a Isto É[6] já nos informa, segundo compartilhamento com o Estadão Conteúdo, que a delação já está pronta: “A Polícia Federal encaminhou ao relator da Operação Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) a delação premiada do ex-ministro l Antonio Palocci. Ele fechou acordo com a PF em que deve fornecer detalhes de esquemas de corrupção nos governos petistas de Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010) e Dilma Rousseff (2011-2015).”


Raquel Dodge





A PGR está esperando a decisão ser publicada para ver o que vai fazer, mas já sinaliza que não irá concordar com a decisão da 2ª  turma do STF, a turminha vermelha, sobre esta questão. Entende-se que ela tentará recursos dentro da própria turma, antes de levar a questão para o plenário.

E, comentando sobre Raquel Dodge, a PGR  resolveu agir, pois, no dia 30/04/2018, ela enviou denúncia por corrupção e lavagem de dinheiro contra Lula, Palocci e Gleisi. Texto da IstoÉ e Estadão Conteúdo[7]: “A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, denunciou ontem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e os ex-ministros Antonio Palocci e Paulo Bernardo, por corrupção passiva, e o empresário Marcelo Odebrecht por corrupção ativa.”


No começo, eu acreditei que poderia ser uma reação contra o STF, porém, o procurador da República, que trabalha no núcleo de combate à corrupção, Alan Mansur, enviou a seguinte mensagem via sua conta no Twitter:


Isto me serviu de alerta, pois a Raquel Dodge, ao enviar a denúncia contra Palocci ao STF, pode ter travado o acordo de delação. Quem vai julgar o acordo de delação será o relator do processo no STF e sabemos que o STF está rachado em duas cortes. Uma corte verdadeira e a turminha vermelha. É quase certo que a delação não será aceita. Quero estar errado.


Conclusão

Ao que tudo indica, o STF ainda tentará manobrar para retirar de Moro a competência para julgar os casos da Lavo Jato, mas o magistrado, bem como a equipe de procuradores do MP, que integram a força tarefa da Lava Jato, estão resistindo bravamente. E, para quem estava dizendo que não havia provas para a condenação de Lula, este episódio todo está mostrando como é farta a incidência de provas desta investigação.

Enfim, pelos motivos apontados acima, a guerra entre a equipe da Lava Jato, que representa os desejos de todo brasileiro por justiça e o STF que, atualmente, representa a antiga política, vai continuar e será intensa. A intervenção militar me parece, por causa disto tudo, a saída mais rápida e limpa desta bagunça!





[1] Outros Papos: <http://www.outrospapos.com/2018/04/stf-manobra-para-salvar-condenados-da.html>

[2] Jota <https://www.jota.info/stf/do-supremo/mpf-stf-lula-superficial-nao-implicacao-sitio-25042018>

[3] República de Curitiba: <https://republicadecuritiba.net/2018/04/26/sergio-moro-reage-afirma-que-ha-outras-provas-contra-lula-e-os-processos-continuarao-sim-em-curitiba/>

[4] Gazeta do Povo: <http://www.gazetadopovo.com.br/politica/republica/ex-diretor-da-petrobras-negocia-delacao-ele-acusou-lula-de-comandar-corrupcao-7dc9mdg2kyiehvopml9yyrcfu>

[5] UOL: < https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2018/04/26/palocci-delatara-a-pf-de-curitiba-esquemas-de-corrupcao-dos-governos-lula-e-dilma.htm>

[6] IstoÉ: <https://istoe.com.br/pf-envia-delacao-de-ex-ministro-para-o-trf-4/>

[7] IstoÉ: <https://istoe.com.br/pgr-denuncia-palocci-lula-gleisi-e-bernardo/>

Plaquetas!

Em um exame de sangue, vi que sumiram 13 mil plaquetas. Resolvi procurar por elas! :)