sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Drops: O melhor do outono 2017 (Um Protesto) e Noragami!


Outono de 2017- Um Protesto!





Fiquei sabendo, ontem, dia 09/02/2018, que o diretor de Net-Juu no susume é antissemita. Leia a história toda no link da Anime News Network[1]. E quero lembra-los que não considero arte algo que enseje crimes, como, por exemplo, pintar em um quadro uma imagem santa, como uma hóstia, e escrever ofensas nela; imagine, então, saber que um diretor apoia o nazismo e não acredita no holocausto? É obvio que vou rejeitar tanto a obra, como o profissional. É meu direito e minha liberdade! Mesmo que a obra não tenha nada de errado, vou condenar o diretor por sua postura, portanto, Net-Juu no susume PERDEU o título de melhor animê de outono de 2017 pelo blog Outros Papos.


Girls Last Tour




Esta animação é, neste momento, a melhor animação do outono de 2017. Ela conta a história de duas sobreviventes de uma guerra que levou ao fim da humanidade. O traço e a animação são preciosos, pois primam pelo minimalismo. Minimalismo é um movimento artístico que prega o uso de poucos elementos para a expressão artística. Deste modo, a série demonstra poucos tons e cores, em sua paleta. Em alguns momentos, elas vagam por lugares sem luz, aumentando a percepção de cores com tons mais escuros. As personagens possuem traços arredondados, que simplificam expressões e os cenários são tão simples que quase beiram o rabisco em algumas cenas. Vejam estes detalhes na abertura abaixo.



Além disso, o enredo também não esclarece muito sobre a realidade das meninas e, portanto, o julgo também minimalista por apresentar apenas o necessário para o entendimento da realidade delas. E esta é a beleza da obra. O mínimo apresentado encanta pela simplicidade. E deixa o enredo mais exposto, pois nossa atenção se volta muitos aos diálogos, que são competentes ao mostrar a inocência delas. E a obra pesa na filosofia e nas questões sobre existência, vida, morte e lar. Vemos homenagens à teoria da relatividade de Einstein, quando elas andam de trator dentro de um trem. Ou quando uma delas começa a interpretar a morte como a não existência. Mesmo sendo uma consciência que tenta entender a não existência, ou seja, já existe uma contradição, é uma cena bela.

Apesar da série mostrar uma realidade crua, na qual as meninas precisam vagar sem rumo, para conseguir mantimentos que as mantenham vivas, a série também consegue mostrar beleza. É belo ver a cena na qual elas interpretam gotas de chuva, caindo em latas, como música, pois elas nunca ouviram música antes. É belo vê-las sonhando com uma casa arrumada. Existe beleza dentro de uma realidade cruel, e belas são as vozes calmas e serenas delas.

Ao todo, é uma série que já merecia o título de melhor animação de outono de 2017 e, acredito, conseguir corrigir uma injustiça.  Assista via HIDIVE!


NORAGAMI






Noragami



Assisti na temporada de outono de 2017, via Amazon Prime Video[2], e, mesmo não tendo sido produzida para aquela temporada, serve a esta situação. Eu a celebro, neste momento, como se fosse uma produção do outono do ano passado.

Sinopse: Nós acompanhamos a vida de um deus, de nome Yato, que deseja juntar dinheiro com diversos trabalhos, para levantar fundos para criar um templo em sua homenagem. Existem algumas implicações de um deus não ter seu próprio templo e a série mostra isso. Então, durante uma missão, Yato encontra uma jovem chamada Hiyori. Ela, não sabendo da característica divina do Yato, o “salva” de ser atropelado. Ele se demonstra grato a ela e os dois passam por muitas situações juntos. Esta é uma sinopse breve.

A série teve duas temporadas (2014 e 2015) e alguns OVAs e o que me encanta no enredo é a possibilidade de imaginar como o pecado age em um Deus, ou seja, como nossos pecados podem agredir um ser divino, cuja a natureza não pecaminosa o faz rejeitar o mundano. É um ponto criativo da série mostrar isso e nos faz refletir sobre como nossas ações podem ter consequências em um deus. Dá para fazer reflexões sobre Adão e Eva, ou Caim e Abel, com situações e pecados.

E, falando nisso, eu também achei espetacular algumas ligações com trechos bíblicos. Existe, na bíblia, por exemplo, um trecho que relata a armadura de Deus, constituída de fé, verdade, justiça, entre outro elementos bons e divinos. Aqui, nesta série, nós temos algo bem parecido, com os deuses vestindo-se com seus Regalias. Quem for assistir saberá interpretar esta parte.

Na série, também conhecemos uma deusa da guerra tão carinhosa que poderia ser, também, deusa do amor, chamada Veena e para quem fiz um poema. Procurem no blog. Yato, Hiyori, Veena e tantos outros, são personagens com traumas bem construídos e com interações bem desempenhadas. Uma série que chama pela comédia, mas que te faz refletir sobre a espiritualidade e consequências, carmas e destinos. Vale a pena conhecer!





[1] ANN:
https://www.animenewsnetwork.com/interest/2018-02-09/recovery-of-an-mmo-junkie-director-causes-controversy-with-anti-semitic-tweets/.127409
[2] Prime Video: https://www.amazon.com/dp/B00KTQIT26

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Violet Evergarden

Violet Evergarden



Violet quer encontrar sua alma de poeta;
Quer definir o que significa “eu te amo”;
Violet, nenhum poeta conhece o amor pleno;
Cada poeta o define de um jeito.

Minha alma de poeta diz, Evergarden, que o amor é um fôlego.
Cada um o sente de uma maneira.
Todas as sensações são verdadeiras.
O fôlego permite nossa vida.

Nossa vida depende do fôlego.
Nós amamos assim como respiramos.
O amor é um fôlego.
Assim explica minha alma de poeta.

Encontre a definição de seu Fôlego.
Encontre a definição de sua vida.
E sua alma de poeta reconhecerá, na vida e no fôlego, o que significa “eu te amo”.


Uma forma diferente de escrever poesia. Sem rimas, sem métrica. Palavras livres, com algum senso de emoção. Violet é assim. Uma personagem sem poesia, que deseja encontrar o amor. Uma personagem fria, que deseja compreender o que perdeu. Então, fiz uma poesia sem rimas, fria, mas, com senso de profundidade, afinal, na frieza da Violet tem a profundidade de uma paixão.

Assista Violet Evergarden na Netflix (clique)






segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

ABTA- Dados de 2017!

Desempenho da Tv por assinatura em 2017!

Dados: TV Por Assinatura

No ano passado, apontei para a queda de assinantes da tv por assinatura. No texto “ABTA, Dados do Setor 2017[1]”, indiquei uma queda de assinantes em 2015 e 2016, com saída de milhares de pessoas, ainda no começo do ano passado. Segundo material recente, lançado pelo portal ABTA[2], a sangria parece ter sido contida, pois 2017 fechou com 18.9 milhões de assinantes. Em 2016, eram 18.7 milhões de assinantes.



O setor ganhou, em um ano,  200 mil novos assinantes. A grande comemoração, no entanto, fica por conta da estabilização dos números. Números que ainda nos deixam como o 8º maior mercado do mundo. O desempenho continua abaixo dos anos anteriores, 2014 (19.6) e 2015 (19.1), porém, a aquisição de novos assinantes deu ao setor um alívio. Um alívio que pode ser mal interpretado, pois uma pesquisa do Omelete joga, no setor, uma nova preocupação. Existe um grupo que não consome a televisão por assinatura.

Na pesquisa Geek Power[3], o consumo de serviços de streaming, dentro do grupo  chamado geek, ultrapassou o uso da tv por assinatura já em 2014. O mais interessante é notar a queda constante do uso do serviço que chegou, em 2017, ao seu pior patamar (68% dos entrevistados dizem usar o serviço). Segundo Marcelo Forlani, diretor de marketing do Omelete, este quadro é irreversível, pois o grupo é exigente e deseja conteúdo de qualidade com bom preço.   


Dados: Banda Larga

A pesquisa aponta um consumo alto, superior a 90% do público entrevistado, que usa algum serviço de streaming e isso pode ser um reflexo do aumento de assinantes no setor de banda larga, pois este mercado cresceu 7,15% em 2017. O mercado de banda larga[4] teve um acréscimo de mais de 1,9 milhão de assinantes no ano passado, sendo que 1,28 milhão de novos contratos foram adquiridos por provedores regionais. Ao todo, o Brasil fechou 2017 com 28,67 milhões de conexões habilitadas.

Por óbvio, os serviços de streaming realmente têm ganhado força com a popularização da banda larga. Pensando globalmente, isto é, em mercado internacional, podemos ver a força da Netflix[5] que registrou, fora dos EUA, um aumento de 6.36 milhões de assinantes e chegou ao valor de US$100 bilhões.


O FUTURO

E as grandes empresas estão de olho no mercado das televisões por assinatura. A Google[6], através de seu serviço de tv por assinatura, via Youtube, já conta com 350 mil pagantes nos EUA. Já a concorrente, “Hulu With Live TV”, já possui 450 mil assinantes.  Com estes dados, eu prevejo que os serviços de streaming irão englobar os serviços de televisão por assinatura. Não teremos mais os decodificadores embaixo da televisão, mas, apenas, um console de games (XBOX ou PS) e um Chromecast/semelhantes que servirão para conectar, mediante banda larga e mensalidade, o usuário final aos canais que ele deseja assinar. Acredito que este será um futuro próximo.



[1] Outros Papos: http://www.outrospapos.com/2017/03/abta-dados-do-setor-2017.html
[2] ABTA: http://www.abta.org.br/dados_do_setor.asp
[3] Folha:
http://telepadi.folha.uol.com.br/pesquisa-reforca-queda-da-tv-paga-e-crescimento-streaming/
[4] Valor:
http://www.valor.com.br/empresas/5290291/anatel-banda-larga-fixa-registra-crescimento-de-715-em-2017
[5] Mobile Time:
 http://www.mobiletime.com.br/23/01/2018/netflix-tem-crescimento-recorde-em-base-e-aumenta-receita-em-33-no-ultimo-trimestre/484702/news.aspx
[6] TecMundo:
https://www.tecmundo.com.br/internet/126461-40-canais-youtube-tv-tem-300-mil-assinantes-ano.htm

Não brinquem com ela!

Muuui amiga! :)