Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de agosto 13, 2017

A música na comédia!

Música em animês Ouça com atenção a esta música. Depois de ouvi-la, siga o texto. O que ela te pareceu? Bem triste, quase depressiva. Quem a ouve acha que a série se trata de um drama, não é? Entretanto, é uma comédia pastelão. Sim, o diretor escolheu uma música triste para abrir uma comédia. Ele errou. É a pior abertura que já vi em minha vida. Uma comédia deve ter músicas alegres, mais otimistas e vibrantes, como a música abaixo. Ouça: A música orienta as nossas emoções. Se a música estiver errada, ela passará a mensagem errada e estragará a cena. Como já escrevi anteriormente, a música é responsável por nos transmitir a correta emoção. Comédias são peças que trazem alegria, portanto, são peças vibrantes, logo a música deve ser sempre para cima. Outra música que pode ser usada bem em comédias é a que possui uma batida constante que se assemelhe a palmas. Eis outro exemplo:

Guerra EUA X Coréia do Norte!

O tom das ameaças do ditador norte-coreano quase colocou o mundo em uma guerra nuclear, por isso, em protesto, não farei poemas hoje. Fatos recentes em ordem cronológica, colocados de acordo com fontes externas (USA Today, Fox News e Washington Post ) mostram: - Coréia do Norte ameaça lançar mísseis nucleares em Guam; - EUA endurecem o discurso. Fogo e fúria. Cogita-se ataque contra a Coréia antes do lançamento dos mísseis; - Japão liga sua rede antimísseis; - EUA avançam com um navio de guerra contra o mar da China. O recado é claro, “estamos suspeitando de vocês”; - China, após a mensagem norte-americana, decide declarar que se a Coréia do Norte iniciar a guerra, ela (China) ficará neutra. Se os EUA atacarem primeiro, ela defenderá o maldito líder da Coréia do Norte; - Sem seu escudo (China), Coréia do Norte coloca seus mísseis em espera; -Trump, por telefone, liga para o presidente chinês para discutirem o desarmamento nuclear da Coréia; - EUA

Reforma Tributária

Reforma Tributária 2017 A reforma tributária é necessária. Não quer dizer aumento de impostos, mas significa tentar uma melhora da arrecadação para a máquina pública. Diferente do que pensa o Contente (ConTv),   a arrecadação de impostos tem a função de manter o Estado em funcionamento. Sem impostos não teríamos, por exemplo, um exército para defender nossas fronteiras, ou escolas e hospitais para os mais necessitados. Em síntese, “ O tributo é toda a prestação precuniária compulsória, em moeda (ou cujo valor pode ser expresso em valor monetário) instituída em lei e cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada (conceito legal [1] ) ”, portanto, imposto não é roubo, mas é roubado. E esse é um problema, quando a máquina   pública é muito grande. Assim como uma pessoa magra, teoricamente, come pouco e uma pessoa obesa, teoricamente, come muito, assim é o Estado. Um Estado grande precisa de mais impostos para se manter e gasta mais. Um Estado que gas