segunda-feira, 21 de agosto de 2017

A Direita e o Regime Militar!


O youtuber Leon Martins (Coisa de Nerd), em sua conta no Twitter, passou a questionar as vozes que se levantaram para afirmar que o nazismo seria de extrema-esquerda. Para ele, o Nazismo é fruto da extrema-direita. O debate ficou interessante, com um vídeo do Nando Moura, que foi respondido pelo Leon, através de seu canal.

O canal Idéias Radicais teve o que eu considerei a melhor abordagem do tema, pois ele partiu do princípio filosófico-literário que orienta tal movimento, para chegar à caracterização do grupo. Para se interpretar corretamente um processo político, basta conhecer os livros que influenciaram este movimento e as consequências da aplicação destes livros na realidade pretendida. Segundo Raphaël Lima, ambos movimentos são primos, pois possuem, entre outras características, um Estado Totalitário. Veja o vídeo.




“Para a brevidade  deste estudo, basta acrescentar, a tantas outras características, o imperialismo. Mobilizado permanentemente, deixando de comer carne e manteiga para fazer canhões, o Estado totalitário, pela propaganda ou pela agressão, visa adquirir novos territórios e põe em perigo iminente e real a independência dos demais Estados”. (Darcy Azambuja --- Teoria Geral do Estado, 4ª edição, pág.  169)

Leia também: Why Nazism Was Socialism...

Lima também abordou um tema interessante, pois ele relativizou o conceito de direita e esquerda. Achei um pensamento interessante, pois eu também adoto a relativização para questionar alguns temas. Para Raphaël, o processo político não pode ser considerado estático/fixo por parâmetros como “direita”, “esquerda” e “centro”, pois os entes políticos ficam migrando de posição. Muitos estudos jurídicos apontam para o mesmo problema. Para fins históricos, podemos definir desta forma, mas para eventos recentes, devemos ter cuidado com a marca, pois a história recente é fluida e move-se de acordo com as ações humanas e, portanto, torna-se de difícil caracterização. 

Mais adiante, Leon jogou uma questão interessante, pois perguntou o que seria a ditadura militar brasileira e de onde surgiu a separação dos grupos políticos com suas devidas características. Provavelmente, ele tenta, desta forma, associar o regime nazista com o regime militar brasileiro, tentando comprovar que existe uma extrema-direita e ela é totalitária. O questionamento sobre as características dos movimentos políticos se dá, pois se a direita defende um Estado Mínimo, com ênfase na propriedade privada, então, o extremo disso nunca poderia ser um Estado Totalitário.

Partido de Direita (Conservador)- Origem

A classificação adotada por Sahid Maluf no livro Teoria Geral do Estado, em 2009, aponta para o estudo de Mendieta y Nuñes, Los Partidos Políticos, que descreve  três modalidades principais: a) partidos direitistas; b) partidos esquerdistas; e c) partidos centristas. A divisão entre “direita” e “esquerda” segundo Bobbio se deve a um evento histórico: “originadas nas assembleias francesas do século 18. Nessa época, a burguesia procurava, com o apoio da população mais pobre, diminuir os poderes da nobreza e do clero. Era a primeira fase da Revolução Francesa. A Assembleia Nacional Constituinte foi montada para criar a nova Constituição, mas as camadas mais ricas não gostaram da exaltação das mais pobres, e resolveram não se misturar, sentando separadas, do lado direito. Por isso, o lado esquerdo foi associado à luta pelos direitos dos trabalhadores e o direito ao conservadorismo e às classes altas”. Desta forma, a direita burguesa ficou conhecida como conservadora.

Partido de Direita (Conservador)- O Bem social pelo desenvolvimento econômico

A história descreve que os ideais de Adam Smith foram amplamente adotados pela burguesia, pois tais ideais iam contra a política econômica real do século XVIII.  Adam defendia total liberdade econômica, sem intervenção do Estado e que o mercado faria a regulação própria dos preços. A "bíblia" adotada pelos conservadores foi, então, “A Riqueza das Nações”. Neste livro, Adam prega que o Estado se desenvolverá mediante o crescimento econômico e a divisão do trabalho.  Tal trabalho foi tão importante para o desenvolvimento do pensamento conservador (direita) que Russell Kirk (Adaptado por Kirk de The Politics of Prudence) assim escreveu (Tradutores de Direita) : “Dissocie propriedade de posse privada e o Leviatã torna-se o dono de tudo. Sobre o fundamento da propriedade privada grandes civilizações são construídas. Quanto mais ampla a posse de propriedade privada, tanto mais estável e produtiva é a comunidade. Nivelamento econômico, sustentam os conservadores, não é progresso econômico. Ganhar e gastar não são os principais propósitos da existência humana, mas uma sólida base econômica para a pessoa, a família e a comunidade, é muito desejável.”

Então, o pensamento foi sendo moldado para que um partido de direita defenda um Estado mínimo, não intervencionista, com livre mercado e defesa da propriedade particular, pois, deste modo, o partido acredita que estará tirando o povo da pobreza e dando a todos a oportunidade de se desenvolverem.

E isso já cria um dilema para quem prega que exista uma extrema-direita. O que será o extremo de um Estado mínimo, não intervencionista, que proteja a propriedade privada, e deixe o mercado regular preços? Com certeza não é um estado totalitário, que extingue partidos e controla a economia, ou seja, não é o nazismo. Isso não é o extremo, isso é o oposto! Olavo de Carvalho escreveu (Veja): “A extrema esquerda só se distingue da esquerda por uma questão de grau (ou de pressa relativa), pois ambas visam em última instância ao mesmo objetivo. Já a extrema direita e a direita, mesmo quando seus discursos convergem no tópico dos valores morais ou do anti-esquerdismo programático, acabam sempre se revelando incompatíveis em essência: é materialmente impossível praticar ao mesmo tempo a liberdade de mercado e o controle estatal da economia, a preservação dos direitos individuais e a militarização da sociedade.” Por esta simples razão, ainda estou tentando descobrir qual seria a verdadeira extrema-direita, talvez o anarquismo? Ainda não sei.

Regime Militar

E disso chegamos na pergunta mais cabulosa do Leon. O que foi a ditadura militar? A ditadura militar não foi um movimento de esquerda, não foi um movimento de  centro e nem, tampouco, um movimento de direita. O regime militar foi um Estado de Exceção. Assis Souza: “Forma momentânea de governar prevista na própria Constituição em que se permite afastar direitos individuais, sociais e políticos protegidos no intuito final de manter estes mesmos direitos e o próprio Estado. A ordem constituída prevê mecanismos para manutenção de suas estruturas abrindo mão das mesmas, temporariamente.” (Afonso P. Rocha, pag 6508)

Espero que tenham assistido ao vídeo acima. Se não fizeram, parem aqui e assistam lá. Voltaram? Vamos prosseguir. Raphaël salienta o que move as massas para seus extremos. O Medo! O medo de que o Estado não venha proteger o cidadão contra ameaças internas e externas. Geralmente, o medo de situações políticas mais radicais. Ele explica que, muitas vezes, o fascismo e o surgimento da figura de um salvador advém da radicalização de um movimento contrário. No vídeo, ele informa que os socialistas estavam tentando a revolução armada em muitos países. No Brasil,  houve o princípio de um tumulto social que fez com que fosse declarado o Estado de Exceção. E síntese, é uma ditadura temporária. Sahid Maluf: “o socialismo revolucionário, nas diversas nuanças, criou os extremismos partidários”. (Teoria Geral do Estado, página 325)

Como concordo com Raphaël sobre os nossos agentes públicos, que não respeitam uma posição político-ideológica (direita e esquerda), eu prego que o regime militar foi um regime totalitário baseado em controle pelas Forças Armadas, ou seja, repetindo, não é um movimento nem de esquerda, nem de centro e nem de direita, pois foi um movimento totalitário militar, porém, com impacto econômico à esquerda, com afirma o advogado Bernardo Santoro: “O Regime Militar foi um dos períodos de maior protecionismo econômico da história do país, sendo essa outra bandeira tipicamente esquerdista.”



sexta-feira, 18 de agosto de 2017

A música na comédia!


Música em animês

Ouça com atenção a esta música. Depois de ouvi-la, siga o texto.



O que ela te pareceu? Bem triste, quase depressiva. Quem a ouve acha que a série se trata de um drama, não é? Entretanto, é uma comédia pastelão. Sim, o diretor escolheu uma música triste para abrir uma comédia. Ele errou. É a pior abertura que já vi em minha vida. Uma comédia deve ter músicas alegres, mais otimistas e vibrantes, como a música abaixo. Ouça:



A música orienta as nossas emoções. Se a música estiver errada, ela passará a mensagem errada e estragará a cena. Como já escrevi anteriormente, a música é responsável por nos transmitir a correta emoção. Comédias são peças que trazem alegria, portanto, são peças vibrantes, logo a música deve ser sempre para cima. Outra música que pode ser usada bem em comédias é a que possui uma batida constante que se assemelhe a palmas. Eis outro exemplo:




quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Guerra EUA X Coréia do Norte!





O tom das ameaças do ditador norte-coreano quase colocou o mundo em uma guerra nuclear, por isso, em protesto, não farei poemas hoje. Fatos recentes em ordem cronológica, colocados de acordo com fontes externas (USA Today, Fox News e Washington Post) mostram:



- Coréia do Norte ameaça lançar mísseis nucleares em Guam;

- EUA endurecem o discurso. Fogo e fúria. Cogita-se ataque contra a Coréia antes do lançamento dos mísseis;

- Japão liga sua rede antimísseis;

- EUA avançam com um navio de guerra contra o mar da China. O recado é claro, “estamos suspeitando de vocês”;

- China, após a mensagem norte-americana, decide declarar que se a Coréia do Norte iniciar a guerra, ela (China) ficará neutra. Se os EUA atacarem primeiro, ela defenderá o maldito líder da Coréia do Norte;

- Sem seu escudo (China), Coréia do Norte coloca seus mísseis em espera;

-Trump, por telefone, liga para o presidente chinês para discutirem o desarmamento nuclear da Coréia;

- EUA iniciam estudos de medidas econômicas contra a China, caso ela não consiga controlar o maldito ditador socialista da Coréia do Norte;

- China aplica duras sanções contra a Coréia do Norte e sufoca o maldito Kim Jong-Un.






Acho que, agora, haverá uma pausa. Trump se mostrou um grande negociador. Ele é duro, mas habilidoso. Kim achou que o Trump, por não ser político, seria quebrado por pressão. Ele errou e a situação ficou séria. Espero que haja paz agora.

O que escrevo à seguir é meu desabafo com a possibilidade de guerra na qual este merdinha quase colocou o mundo. Em uma escalada da violência, se Guam fosse atacada, nem mesmo Rússia e China juntas salvariam a Coréia do Norte e iniciaria uma guerra mundial. Com Einstein disse, "não sei com que armas lutaremos a terceira grande guerra, mas a quarta grande guerra lutaremos com paus e pedras". 

----- DESABAFO! -----

A Paz só pode ser medida quando se ouve o som do primeiro canhão. Quem dispara-o sabe que ele ecoará, e trará consigo o vermelho do sangue. O primeiro canhão, o primeiro fogo, e o primeiro míssil, levam consigo a alma de cada comandante e líder. A arma arranca de seu líder a salvação, fazendo escorrer do povo lágrimas e ecoa, novamente, trazendo contra si novas fúrias. Disparar o primeiro míssil não é resposta. Ameaçar não é resposta, pois só traz como consequências mais ameaças. O fim é a guerra na qual nenhum dos lados sai vencedor, porém, um dos lados sairá mais ferido.

No texto “EUA e China X Coréia do Norte!”, em maio de 2017, fiz um tremendo esforço para ser positivo, mas já tinha percebido que a guerra seria o cenário mais proeminente. O presidente dos EUA fez tudo certo, pois comandou medidas para tentar trazer o líder da Coréia do Norte para a mesa de negociações. Para quem não sabe, as sanções aprovadas pela ONU são para isso, para trazer esse bestinha para negociar. Trump também conseguiu tirar da Coréia seu principal aliado, que é a China.  A China aprovou até as últimas sanções impostas, contudo, o líder da Coréia do Norte é um louco feroz. Como veem na imagem acima, médicos acreditam que a ferocidade dele pode vir do uso de esteroides. Ele deu o primeiro tiro, lançou o primeiro míssil e a primeira ameaça. Ficou claro que a intenção dele era atacar desde o início e Obama permitiu que ele criasse mais rápido seu arsenal, ao não lidar direito com a situação.  A guerra é iminente, apesar do momento de calma, e a alma deste ditador já está manchada com sangue inocente. Desarmar a Coréia do Norte não será possível. A guerra está aí!

O cenário de guerra está montado e inocentes estão marcados. Só tenho que silenciar. Hoje, não escreverei poemas em protesto contra esta escalada de violência. Meu apoio aos EUA, ao Japão e à Coréia do Sul e minhas orações a todos os inocentes.   

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Reforma Tributária


Reforma Tributária 2017



A reforma tributária é necessária. Não quer dizer aumento de impostos, mas significa tentar uma melhora da arrecadação para a máquina pública. Diferente do que pensa o Contente (ConTv),  a arrecadação de impostos tem a função de manter o Estado em funcionamento. Sem impostos não teríamos, por exemplo, um exército para defender nossas fronteiras, ou escolas e hospitais para os mais necessitados. Em síntese, “O tributo é toda a prestação precuniária compulsória, em moeda (ou cujo valor pode ser expresso em valor monetário) instituída em lei e cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada (conceito legal[1])”, portanto, imposto não é roubo, mas é roubado.

E esse é um problema, quando a máquina  pública é muito grande. Assim como uma pessoa magra, teoricamente, come pouco e uma pessoa obesa, teoricamente, come muito, assim é o Estado. Um Estado grande precisa de mais impostos para se manter e gasta mais. Um Estado que gasta mais, puxa a inflação para cima e atrapalha o crescimento. O Estado precisa de mais arrecadação. A arrecadação vem do povo e do ciclo econômico que, em determinado ponto, retrai por causa do imposto (peso morto).  É um ciclo vicioso. É por isso que defendo um Estado mínimo, que só interfira em áreas básicas: segurança, educação e saúde.

A reforma tributária, segundo Graciliano Toni (FIESP), vai estar sintonizada com a otimização da arrecadação, isto é, “Hauly chamou de reengenharia, reconstrução, a mudança no sistema tributário. “Nosso objetivo é usar o sistema tributário para gerar emprego e renda.” Burocracia, corrupção, sonegação, incentivos e sonegação prejudicam a economia, afirmou.” Para tanto, alguns tributos saem de cena e outros entram. Veja imagem abaixo que resume a proposta e clique para ampliar.



O que me deixou um pouco preocupado foi a possibilidade de recriação da CPMF. Adolfo Sachsida (leia) é técnico de planejamento e pesquisa no IPEA, ele afirma e eu destaco:

Do ponto de vista econômico, a qualidade de um imposto é medida por três fatores: a) facilidade e custo da arrecadação; b) montante arrecadado; e c) peso morto associado ao imposto. A CPMF tinha bom desempenho nos itens “a” e “b”, mas é um desastre no item mais importante, o item “c”. A CPMF distorce demais as transações financeiras, com impactos diretos sobre a taxa de juros da economia. Dessa maneira, antes de qualificarmos um imposto como sendo “bom” é fundamental que chequemos as distorções que o mesmo gera na economia”.

O autor da proposta afirmou, em fevereiro deste ano, para a revista Época, que o ponto principal da reforma seria a criação do IVA, então, ao que tudo indica, a CPMF poderá ser descartada. Vamos torcer por isso.

Conclusão

Em resumo, essa proposta, se não está prefeita, vem contribuir para melhorar a arrecadação. Apesar da carga tributária continuar no patamar dos 35% do PIB, eu torço para que o aumento na eficiência da arrecadação venha a trazer prosperidade. Precisamos colocar o Brasil nos trilhos e evitar que sejamos uma Venezuela no futuro. O que almejo é uma arrecadação como esta que Luis Miranda informa em seu canal. Sei que a tributação nos EUA é mais complexa, porém, a ideia central explicada me encanta. Vídeo abaixo.



Desabafo

 Sim, Temer deveria ter sido afastado, mas, isso não ocorreu, porque ele é extremamente habilidoso como político. Devemos, no entanto, como já afirmei, desassociar a imagem das reformas da imagem dele. Independentemente do presidente, as reformas devem continuar acontecendo, pois são importantes para diminuir o desemprego, gerar renda, crescimento e valor para o povo. A única reforma que me parece prejudicial para o Brasil é a reforma política, pois tem muita coisa errada acontecendo lá. As demais reformas são bem positivas.


Se servir de alento, Temer será investigado após a conclusão de seu mandato. Assim espero.  





[1] Tributo - Direito e Leis. Disponível em:
<http://www.direitoeleis.com.br/index.php?title=Tributo&oldid=4979>. Acesso em: 4 de agosto de 2017.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Drops: Finais de animes II & Código CR II


Drops: Finais de Animes II e Código CR II



Finais de Animes II



Sim, estou devendo um texto sobre algum anime que tenha tido consistência em seu roteiro, e animação, até o fim da série. Estou com muitos textos para trabalhar, mas ainda vou fazer isso. Esta temporada, por exemplo, está entregando boas obras. Quem sabe faço de uma delas, não é? Até lá, vejam este vídeo, pois ele mostra até que ponto um último episódio pode estragar tudo. Sim, o vídeo tem spoiler da série SukaSuka. E SukaSuka é apelido, pois o nome da série é imenso. Pode traduzir para o português como "O que vai fazer depois do fim do mundo? Está muito ocupado? Poderia vir nos salvar?"





Código CR II


Semana passada, entreguei um código de acesso de 48HORAS para que experimentem o serviço PREMIUM+ do Crunchyroll. Aqui vai outro no mesmo esquema do anterior. É do primeiro que pegar! Sim, parece aquela tradição de jogar o buquê (rs).



Código:

5WCZKYD9TZ6 com validade até 15 de setembro de 2017.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Pais!


Pai é sentimento de proteção;

Com um olhar, muda toda uma situação;

Ele é tranquilidade;

Quando precisamos de fraternidade.



Enquanto pequenos, nós o copiamos;

Sua sombra nós procuramos;

Pai é o braço acolhedor;

Quando corremos para ele com dor.



Quando nossa vez chegar;

E nos tornarmos pais verdadeiros;

Devemos orientar;

E sermos, nós mesmos, guerreiros.



O AMV é sobre o Naruto. Órfão e, depois, pai. Ele é o resumo desse poema.




segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Importância da Propriedade Privada!




Como percebem na imagem acima, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), fazendo jus de um instrumento jurídico e administrativo, respaldado pela nossa Constituição, desapropriou um terreno para a construção de um parque. Segundo a matéria veiculada pelo Correio Braziliense, o socialista Rollemberg informa atender demanda de moradores da 207 sul, que desejam grama a renda, que desejam espaço para um parque, que provavelmente vai ser residência de moradores de rua, à criação de empregos.

A nossa Constituição assim enxerga a propriedade privada:

 ART. 5º, CAPUT, CF - Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes. 

Ela dá ênfase à propriedade privada, pois ela possibilita o crescimento do indivíduo e, portanto, o enriquecimento da economia e do Estado. Não existe país que se sustente sem definir e defender a propriedade do indivíduo. Existe, portanto, uma função social na propriedade privada.

ART. 170, CF - A ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, tem por fim assegurar a todos existência digna, conforme os ditames da justiça social, observados os seguintes princípios:
(...)
II. propriedade privada;
III. função social da propriedade privada.

Apesar disso, nossa Constituição derrapa mais adiante. Existe no Direito a interpretação de que o interesse social prevalece contra o interesse do indivíduo e a própria CF admite o uso do instrumento que Rollemberg aplicou.

 ART. 5º, XXIV, CF - A lei estabelecerá o procedimento para desapropriação por necessidade ou utilidade pública, ou por interesse social, mediante justa e prévia indenização em dinheiro, ressalvados os casos previstos nesta Constituição.

Rollemberg desapropriou o terreno, mas o que é desapropriação?

Desapropriação, segundo Celso Antônio Bandeira de Mello:

Pode-se dizer que a desapropriação vem a ser o procedimento administrativo através do qual o poder público, compulsoriamente, despoja alguém de uma propriedade e a adquire para si, mediante indenização, fundada em um interesse publico. A luz do direito positivo brasileiro, desapropriação se define como o procedimento através do qual o Poder Publico, compulsoriamente, por ato unilateral, despoja alguém de um bem certo, fundado em necessidade publica, utilidade publica ou interesse social, adquirindo-o mediante indenização previa e justa, pagável em dinheiro ou, se o sujeito passivo concordar, em títulos de divida publica com clausula de exata correção monetária, ressalvado a união o direito de desapropriar imovel rural que não esteja cumprindo sua função social através da reforma agrária" (CF/88, arts 5o, XXIV, 182,§§ 3º e 4º, III, 184, ,§§  1º a 5º, 185, I e II).

Como afirmei anteriormente, existe no nosso meio jurídico o entendimento de que o social tem prioridade sobre o individual. A interpretação do Rollemberg, do Partido Socialista Brasileiro (PSB), portanto, socialista, é a de que o GDF tem o direito a tirar deste ente a sua propriedade, pois existe uma demanda social pela área verde. Desta forma, ele pensa que o social está acima do individual. Entretanto, com 14 milhões de desempregados, com um Estado endividado e com o próprio GDF lutando para pagar a própria folha, não seria mais importante ao coletivo a abertura de uma empresa que geraria renda e trabalho? Vendo por este ângulo, a iniciativa privada estaria de acordo com anseios sociais, pois geraria trabalho, renda e lucro também ao GDF e ao Brasil. Não passa pela cabeça do governador que os moradores da 207 sul estão errados, e a comunidade maior, isto é, Brasília, e o Brasil, necessitam de trabalho e renda para melhorar o fluxo econômico? É o social verdadeiro que está sendo atendido pela criação desta empresa e não o anseio de uma micro-comunidade.

Infelizmente, socialista não pensa que propriedade privada desenvolve a nação e Rollemberg cai no mesmo erro de todos que levantam esta bandeira. Erro bem definido pelas palavras de Rodrigo Constantino (Gazeta do Povo) que, ao falar sobre as desapropriações na Venezuela, acaba por apontar o dedo também aos que aplicam o mesmo instrumento de maneira errada no Brasil. Segundo ele,“Socialismo, na prática, é fim da propriedade privada. É isso que ele prega, como idealização da inveja. A Venezuela hoje é um pouco mais socialista do que ontem. Não por acaso é também mais caótica, mais miserável, mais inflamada e segregada, sob risco de guerra civil. É o resultado do socialismo, ontem, hoje e sempre!”

Conclusão
O fim da propriedade privada leva ao caos, impede o crescimento e leva o Estado ao ciclo do endividamento, por isso, a desapropriação não pode ser usada de qualquer maneira. O social tem prioridade sobre o individual, por isso, os empregos, que seriam gerados por esta empresa, tem prioridade social maior que um simples parque. Mesmo porque Brasília possui uma vasta área verde e parques que, na sua grande maioria, estão abandonados. Fui morador de lá, eu vi, eu sei.  E o grande trunfo da propriedade privada é o enriquecimento também do Estado, gerando riquezas para o povo. Logo, erra o GDF e erra a comunidade da 207 sul.

Segundo a reportagem, a empresa não gostou da decisão do GDF e recorrerá. Tenho certeza que o meio jurídico saberá defender esta propriedade, sabendo que a maior demanda social é pela geração de empregos e renda.



Por favor, não votem em socialistas em 2018! Vamos ajudar o Brasil a não ficar como Cuba, Venezuela ou Coréia do Norte!  











sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Drops: Faces de Deus e Passe de Visitante do CR!


Faces de Deus



Já está disponível em formato digital (e-book) na livraria Amazon e por um preço mais barato. Se gosta de ler em formato digital, eis sua chance de ler. Compre aqui (clique). Também está disponível, em formato digital, nos seguintes endereços:



Google Play –



Sinopse: Faces de Deus originou-se de uma promessa por uma cura. Neste livro, relato o que considero essencial para a salvação da alma. Não basta sentar em um banco de igreja pois, para mim, a salvação vem pelo transformar que a Graça de Deus realiza na nossa vida e este transformar reflete-se em obras. Convido-o a conhecer meu pensamento lendo este pequeno livro.

Passe de Visitante

Alguns benefícios da assinatura Premium+


Como assinante do Crunchyroll, recebo, mensalmente, passes para entregar a quem eu desejar. Como não tenho a quem entregar, resolvi  colocar aqui. É DO PRIMEIRO QUE PEGAR! (rs) Sim, sem sorteio! É do primeiro que resolver pegar!

Código de Acesso de 48 HORAS com validade até 16 de agosto de 2017.
PCFUSBC3958

VENHA CONHECER O SERVIÇO PREMIUM+ DO CRUNCHYROLL!!

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

HERÓI!


Heroísmo é fruto da vontade de fazer o certo.
Quando todos se omitem contra o mal;
Basta um coração apto ao correto;
Com boa percepção do que é moral.

O heroísmo é parceiro do sacrifício;
De abandonar tudo por alguém;
O sacrifício torna-se uma necessidade, até um vício;
Quando o herói enfrenta algo que está acima dele e além.

O herói é um símbolo de que há esperança;
A vontade de fazer o certo ainda existe;
E que a humanidade na alma ainda persiste;
Dando-nos exemplo de temperança.

O heroísmo caminha com a luz;
E, para ela, a todos conduz;
Mesmo que com isso ele venha a perecer;
O herói luta até vencer.

Heroísmo é fruto da vontade de fazer o certo.
Quando todos se omitem contra o mal;
Basta um coração apto ao correto;
Com boa percepção do que é moral.


---------- SPOILER ALERT: BOKU NO HERO ACADEMIA ----------

Gosto de assistir séries e ficar observando os tipos de heróis que aparecem. Ainda farei um texto sobre heróis. O AMV abaixo mostra um tipo de atitude heroica que admiro muito. A série em questão é Boku no Hero Academia (assista via Crunchyroll). Eraser Head está dando uma aula aos garotos, quando o local da lição é invadido por vilões verdadeiros, colocando-os em confronto direto com marginais. Eraser tenta defender seus alunos (é o cara de cabelo longo, óculos e barbicha).



Já neste vídeo vemos o sacrifício do herói pelo correto. Eraser Head tem a habilidade de retirar os poderes de outros indivíduos. Enquanto ele é espancado, um dos vilões, cujo poder é desintegrar tudo o que ele toca, avança contra uma das alunas dele. Ele chega a tocar no rosto dela, porém, mesmo no chão, Eraser Head ainda é um herói! Assista via Crunchyroll!





segunda-feira, 31 de julho de 2017

Spoilers spoil? Parte II


Em novembro de 2015, eu decidi analisar e divulgar um estudo da Universidade da Califórnia, chamado  “Spoilers Don’t Spoil”, que influenciou outras pesquisas no mesmo campo de estudo. Você pode ler a minha análise aqui (clique). A intenção desta minha análise, na época, era defender que spoilers não prejudicam a diversão de uma história, e que a briga constante entre spoilerfílicos e spoilerfóbicos não tinha um real sentido. Veja um resumo da pesquisa no vídeo abaixo.



Os estudos que divulguei em 2015 foram:

·         Spoilers Don’t Spoil (clique) da Universidade de Psicologia da Califórnia, dos professores Nicholas J. S. Christenfeld e Jhonathan D. Leavitt (2011);

·         Who’s afraid of Spoilers (clique) da Albany State University- professora Judith E. Rosenbaum- e Uiversidade de Amsterdam- Benjamin K. Johnson.

·         Um estudo antropológico guiado para o Netflix que mostrou que os spoilers, para o público americano, passaram a ser algo comum e rotineiro.

Dois estudos confirmaram a teoria, enquanto um deles tentou refutá-la, entretanto, este, que tentou contrariar o estudo inicial, teve que admitir que spoilers não influenciam no nível de divertimento, sendo que deve ser uma questão individual. Isso está destacado no meu texto anterior. Leiam antes o texto anterior do blog, e depois voltem a este texto, pois esqueci de mencionar um elemento interessante do estudo da universidade de Amsterdam. Resolvi retornar ao tema e percebi uma oportunidade de tocar novamente nisso. 



No gráfico da página 43, do estudo “Who’s affraid of spoilers”, temos o resultado do cognition group, isto é, do grupo que prefere uma atividade mental mais apurada, que segundo Cacioppo and Petty (1982), “enjoy thinking”. O grupo é dividido em três subgrupos. Ao contrário do que alguns blogueiros escreveram, os três subgrupos não representam níveis de inteligência, mas níveis de prática mental, então, a relação entre need for cogniton e inteligência é como o cérebro trabalha as informações. Low, Medium e High, então, não representam níveis de inteligência, mas, como Anne Bost escreveu: "the tendency for an individual to engage in and enjoy thinking". Clique e leia mais sobre o tema.

Estes subgrupos mostram uma predominância por histórias que tiveram algum spoiler mostrado. O prazer de ler histórias que foram alvo de spoilers é alto nos subgrupos  Low e Medium e quase mostra uma indiferença para as pessoas no subgrupo High (dava até para alegar empate se fosse considerado um desvio padrão). Permitindo-se uma pequena soma, que não faz parte do estudo, temos estes números: Spoiled (1,53) Unspoiled (0,93). Isso determina que quem gosta de trabalhar a mente, e ter uma atividade mental, não está nem aí para spoiler, ou gosta de um. Outro ponto a ser notado é que os gráficos com histórias que tiveram algum spoiler tem  mínima de 0.46 no High (total de 0.8), ou seja, a pesquisa revela que o interesse pelas histórias nunca ficou comprometido. Além disso, o estudo acima apresenta um erro, que o professor assistente Alan Jern notou e explicou ao site Salon. Vou deixar o link ainda neste texto, após alguns parágrafos. Acompanhe, clique e leia.

Ainda sobre o estudo acima, ele  casou com uma das afirmações do pesquisador PhD Nicholas, do estudo “Spoilers Don’t Spoil”, que afirma “To Christenfeld, this suggests that spoilers help you know the purpose of the overall narrative, so you’re able to better incorporate all of the details and plot points that get you to the end.” Em outras palavras, ao saber o que vai acontecer, o grupo que gosta de raciocinar curte mais a narrativa e o trajeto que fará a história chegar até o ponto que foi revelado.  

Estudos Atuais?

Os estudos acima ainda não podem ser considerados antigos e possuem relevância, mas será que existem outros? Após uma procura significativa, pouco encontrei. Os que li estão tão perdidos que sequer conseguiram comprovar os dados das pesquisas que mostrei em 2015. Ninguém está conseguindo repetir os testes com os mesmos resultados. A comunidade acadêmica parece estar se debatendo, sem entrar em um consenso sobre o assunto. Como diz Elina Gama Fila (On Fiction): “In conclusion, different studies using different methods have produced conflicting findings. Some studies find that spoiling a story can increase the reader’s enjoyment while other studies have found the exact opposite. Until further research is done, we cannot conclude that spoilers increase or decrease enjoyment”.

O que abre portas para as experiências pessoais. Começo comigo (rs). Eu tinha assistido One-Punch Man via Daisuki, quando o mesmo fora lançado por lá,  e o revi novamente quando o mesmo ficou disponível via Netflix. A minha sensação ao assistir via Daisuki foi 9.0 (0 para muito insatisfeito, a 10 de muito satisfeito). Ao assistir novamente via Netflix, consegui uma sensação surpresa de nota 9.2! Até fiz maratona! Ao reconhecer cenas, eu pude observar novos temas. Isso deixou a série mais divertida.

E não estou sozinho, pois Alan Jern, professor assistente de psicologia em Rose-Hulman Institute Of Technology, fez o mesmo e com resultado semelhante. Eis o testemunho dele: “This is similar to my experience. When I saw “The Force Awakens” for the second time, the movie had at that point been “spoiled” for me — by me. To my surprise, I enjoyed it more. Research on spoilers suggests that my experience wasn’t unusual. And it’s a good reminder that we shouldn’t always trust our intuitions about our own behavior.” (Salon)


O estudo pode confirmar porque a audiência de Chaves, ou Pica-Pau,  ficava sempre no mesmo patamar apesar de ter entrado em um ciclo infinito de repetições. Apesar de reconhecer a cena, de já ter visto várias vezes, o público do seriado Chaves pareceu se divertir ainda mais e isso manteve a audiência por anos. E Chaves, bem como Chapolin, possuíam enredos que repetiam a mesma dinâmica de piadas, episódio após episódio. Se spoiler matasse o divertimento, os enredos de Chaves e Chapolin não teriam mantido o público como eles mantiveram por anos no SBT. 



Conclusão

Parece que precisaremos de mais algum tempo para verificar cientificamente os efeitos dos spoilers. Em algum determinado momento, a comunidade científica terá uma resposta para isso. Está me lembrando a história da canja de galinha. Nossas bisavós já sabiam dos benefícios da canja, muito antes da comunidade científica concluir seus benefícios (rs). A comunidade, tenho certeza, descobrirá em breve que spoilers não estragam a história. 

Então, repito minhas palavras anteriores e reafirmo

A conclusão que eu chego é que spoilers não estragam a história, entretanto, a população está dividida e em guerra por causa disso. Como foi mostrado pelas pesquisas, o temor que uma série amada fracasse, por causa de spoiler, é sem fundamento. Já a pesquisa da Universidade de Amsterdam nos indica que o processo de aprendizagem individual deve ser respeitado, ou seja, se uma pessoa não gosta de spoiler, ela deve ser respeitada. A que gosta de spoiler também deve ser respeitada. Desta forma, acredito que devemos combater e estimular:


O que combater

O que se deve combater é a figura do censor, ou seja, a pessoa que tenta controlar a outra, pois isso fere a liberdade de expressão e a busca pela informação. Impedir que uma pessoa dê um spoiler, ou busque um spoiler, é contra a realização plena da comunicação e contra tratados internacionais que nos garantem o direito à informação e a liberdade de expressão.


O que estimular


Estimular o respeito. Se a pessoa não gosta de spoiler, que seja respeitada. Se a pessoa gosta de spoiler, que seja respeitada também. Afinal, não existem vilões (com exceção da figura do censor), apenas pessoas tentando interagir sobre um determinado assunto. Vamos, portanto, nos respeitar.  Se o respeito não for obedecido, como diz a ministra, cabe a advertência adequada ao desvio de conduta. Agora, se você fica paranoico por causa de spoilers, ao ponto de agredir um amigo, é hora de procurar ajuda. 

sexta-feira, 28 de julho de 2017

TOP 3 Música de Jogos Para Celular!

Música é muito importante para a correta condução da emoção do público. O diretor que escolher a trilha sonora errada para seu produto, verá o fracasso da obra. Aqui vou deixar algumas músicas ótimas, de trilhas sonoras, que acabei encontrando em jogos para celular. Os jogos estão tão bem trabalhados que merecem elogios. Antigamente, ao se falar em jogos para celular, eu lembrava de Tétris. Hoje, eu me impressiono com a qualidade do material. Está tudo muito bem trabalhado. Acredito que, com o desenvolvimento de processadores mais potentes para celulares, melhores serão os jogos futuros. Baixe todos pelas lojas oficiais.


Eis um TOP 3 com músicas de jogos para celular! E você? Qual o seu TOP 3?


Goddess Kiss está em primeiro lugar com a música da abertura do jogo. Um jogo coreano que não deve em nada aos jogos japoneses, seguindo uma linha bastante fiel. É bem pesado, mas muito gostoso de jogar, pois é completinho. A música lembra a abertura de animês e isso me fascinou (rs).



Otogi Spirit Agents veio para resgatar os jogadores de Ayakashi Ghost Guild. Ayakashi fechou, mas parece que a equipe chinesa dele acabou por conseguir os direitos para criar Otogi, em um molde semelhante. A música oriental é charmosa.




Chain Chronicle é um jogo que foi retirado do ocidente, mas continua operando na Ásia. A SEGA fez um terrível trabalho ao transformar o jogo em uma animação. Entretanto, esta trilha sonora ainda me deixa ligado pela qualidade. Ao ler o relatório fiscal recente da empresa, Chain Chronicle ainda aparece como um produto internacional, ou seja, ainda teremos surpresas com esta franquia e espero que sejam positivas.





Menção honrosa

Ayakashi Ghost Guild. Um desastre financeiro fez a empresa fechar diversos de seus jogos, incluindo este. E houve uma verdadeira rebelião dos jogadores de Ayakashi possibilitando, talvez, o surgimento de Otogi. 




Mira, não te esqueceremos jamais! 




Em todos os jogos estou na guilda AlmaOtaku!   

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Imposto do Enforcado!

Tudo na vida deve ter equilíbrio;
Inclusive a arrecadação do Estado;
Aumento de impostos é ludíbrio;
Muitas vezes representa o Enforcado!

Se o imposto passa de um determinado ponto na curva;
Tenha a certeza que o Estado está asfixiando a economia;
A visão do Estado tona-se turva;
A recessão ressurge e nos tira a alegria.

Imposto sobre combustíveis afeta todo o nosso sistema;
Será repassado a produtos, serviços e esse é o problema;
Em um sistema frágil, em recuperação;
O aumento de imposto vem a tudo estragar como a um furacão.

Não é o momento para um aumento;
Estragará o que estamos conquistando;
Os preços aumentarão, nos sufocando;
A economia voltará a retrair, novamente em tormento!

Sou contra o aumento do imposto sobre os combustíveis. Estamos pagando por um erro do PT (veja vídeo abaixo) que o Temer não corrigiu. Existem outros desequilíbrios nas contas, mas quero deixar um alerta para um deles em específico. O BNDES é o grande responsável pelo desequilíbrio nas contas do governo e nada foi feito para alterar isso. Em “O Brasil no buraco” (veja) divulguei um texto do Mises, mas salientei que não queria o fechamento do BNDES. Agora, vejo que estou errado. Enquanto o BNDES existir, as contas do governo não fecharão no verde. O PT nunca foi pelos pobres.




Esta semana, eu inverti um pouco o modo de trabalho no blog. Normalmente, faço textos maiores para serem colocados sempre na segunda, um poema na quarta e textos curtos na sexta. Os textos maiores, geralmente, são de política, direito ou economia; os poemas são ligados a animês e sexta é dia de brincar e deixar textos leves. Esta semana, como devem ter notado, fiz um texto longo sobre um animê e um poema sobre economia. Inverti. Sexta-feira teremos um especial de clipes.