sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Nota DEZ e Nota ZERO!


Nota DEZ



Hanebado! Estou quase pronto a aceitar esta série como a melhor da temporada. Novamente, estou vindo aqui para elogiá-la. No episódio 8, vimos a Nagisa como uma verdadeira esportista a querer estender a mão para ajudar uma rival, que está prestes a cair em um poço de emoções negativas. Deste modo, temos uma Ayano em estado psicótico, estando ausente de qualquer sentimento de empatia, e a Nagisa que possui uma ética formidável. O confronto destas duas será uma tempestade. E a construção do enredo dignifica a profundidade destas duas personagens, fazendo com que o embate futuro delas tenha tudo para ser emocionante.  



Nota ZERO

Para o jornalismo que se diz isento, mas que beija a mão dos poderosos em troca de dinheiro de publicidade do governo. Sem uma mídia livre, não seremos realmente democráticos, estando sempre à beira da tirania. Mais para frente, darei outro zero para o jornalismo, mas por casos mais específicos em relação a estas eleições. 

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Guerra de ideias!



A liberdade de expressão é inviolável;
Não se deixe calar pela opressão;
Exponha o que é deplorável;
É seu direito como cidadão.

Discurse sobre valores, ética e moral;
Exponha suas ideias, seu ideal;
A liberdade de expressão é inviolável;
Não se deixe calar pela opressão.

Existe uma guerra acontecendo;
A internet está fervendo;
Exponha o que é deplorável;
É seu direito como cidadão.






segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Censura nas redes sociais, Hagakure neles!


Ocupe Espaço

Uma breve mensagem para esta segunda-feira. Mark Zuckerberg alegou que o Vale do Silício é majoritariamente de viés esquerdista. Isto me fez perceber um detalhe importante. Muitas vezes, o espaço é ocupado porque uma outra parte se recusa a preenche-lo. Se o Vale do Silício é predominantemente esquerdista é porque os conservadores e os direitistas permitiram que isto ocorresse. Agora enfrentam, tanto no Brasil como no resto do mundo, a censura que os quer calar, que vem das empresas de internet.



As redes sociais são os novos campos de batalha da guerra ideológica

No campo de batalha, tente impedir que os outros tomem a liderança e se concentre em quebrar as linhas inimigas. Dessa forma, sua determinação será superior à dos outros, sua mente se tornará selvagem e você manifestará seu valor marcial. —  Yamamoto Tsunetomo


Não existe dúvida nenhuma de que o campo virtual tornou-se o terreno da disputa da mensagem ideológica e o estamos perdendo, por não ocupar as principais cadeiras das empresas que hoje controlam a censura. Como Tsunetomo orientou, temos que impedir que a esquerda tome a liderança e temos que nos concentrar em quebrar as linhas inimigas, pois já estamos sofrendo com a censura em meios de comunicação. São duas ações: uma a longo prazo e outra a médio e curto prazo.




Estratégia a longo prazo- Tome a liderança! 

Precisamos ocupar mais cadeiras nas empresas de comunicação, nas escolas e faculdades. Para tirar a liderança do viés esquerdista vai demandar esforço em ocupar lugares estratégicos, principalmente na área política. Se uma organização está demonstrando aceitação de uma agenda progressista (pró-aborto, por exemplo) é porque seus funcionários a aceitam. Infelizmente, esta ação vai demandar muito tempo até que se fortaleça o suficiente para mostrar efeitos benéficos, mas ela deve ser feita. Um socialista já disse uma vez que não se deve tomar quartéis, mas escolas. Nós permitimos. Hoje, estamos lutado contra os efeitos desta tomada de poder cultural. Precisamos combater e tomar espaço nas organizações, associações, escolas, faculdades, enfim, em todos os campos estratégicos para manter a nossa agenda cristã segura.


Estratégia a curto prazo- Quebre as linhas do inimigo!

Para quebrar as linhas inimigas, penso como Leandro Ruschel e Claudia Wild que devemos tornar judicial as censuras sofridas e tornar o processo de censura impraticável. A liberdade de expressão precisa ser defendida e a justiça pode dar um fim a esta prática, uma vez que existem acordos/contratos  entre estas empresas e o consumidor final e, portanto, elas são passíveis de sofrerem com sentenças judiciais e devem obedecê-las. Lutar contra o viés esquerdista é lutar pela liberdade de expressão e contra a censura.    

Esteve só!

Esteve bem só, Nessa noite sem vento, Sou seu alento!