Pular para o conteúdo principal

O belo vive!

 O Belo vive;  Sonhos na neve;  Alma limpa!

Censura nas redes sociais, Hagakure neles!


Ocupe Espaço

Uma breve mensagem para esta segunda-feira. Mark Zuckerberg alegou que o Vale do Silício é majoritariamente de viés esquerdista. Isto me fez perceber um detalhe importante. Muitas vezes, o espaço é ocupado porque uma outra parte se recusa a preenche-lo. Se o Vale do Silício é predominantemente esquerdista é porque os conservadores e os direitistas permitiram que isto ocorresse. Agora enfrentam, tanto no Brasil como no resto do mundo, a censura que os quer calar, que vem das empresas de internet.



As redes sociais são os novos campos de batalha da guerra ideológica

No campo de batalha, tente impedir que os outros tomem a liderança e se concentre em quebrar as linhas inimigas. Dessa forma, sua determinação será superior à dos outros, sua mente se tornará selvagem e você manifestará seu valor marcial. —  Yamamoto Tsunetomo


Não existe dúvida nenhuma de que o campo virtual tornou-se o terreno da disputa da mensagem ideológica e o estamos perdendo, por não ocupar as principais cadeiras das empresas que hoje controlam a censura. Como Tsunetomo orientou, temos que impedir que a esquerda tome a liderança e temos que nos concentrar em quebrar as linhas inimigas, pois já estamos sofrendo com a censura em meios de comunicação. São duas ações: uma a longo prazo e outra a médio e curto prazo.




Estratégia a longo prazo- Tome a liderança! 

Precisamos ocupar mais cadeiras nas empresas de comunicação, nas escolas e faculdades. Para tirar a liderança do viés esquerdista vai demandar esforço em ocupar lugares estratégicos, principalmente na área política. Se uma organização está demonstrando aceitação de uma agenda progressista (pró-aborto, por exemplo) é porque seus funcionários a aceitam. Infelizmente, esta ação vai demandar muito tempo até que se fortaleça o suficiente para mostrar efeitos benéficos, mas ela deve ser feita. Um socialista já disse uma vez que não se deve tomar quartéis, mas escolas. Nós permitimos. Hoje, estamos lutado contra os efeitos desta tomada de poder cultural. Precisamos combater e tomar espaço nas organizações, associações, escolas, faculdades, enfim, em todos os campos estratégicos para manter a nossa agenda cristã segura.


Estratégia a curto prazo- Quebre as linhas do inimigo!

Para quebrar as linhas inimigas, penso como Leandro Ruschel e Claudia Wild que devemos tornar judicial as censuras sofridas e tornar o processo de censura impraticável. A liberdade de expressão precisa ser defendida e a justiça pode dar um fim a esta prática, uma vez que existem acordos/contratos  entre estas empresas e o consumidor final e, portanto, elas são passíveis de sofrerem com sentenças judiciais e devem obedecê-las. Lutar contra o viés esquerdista é lutar pela liberdade de expressão e contra a censura.    

Postagens mais visitadas deste blog

Boushoku no Berserk

Berserk of Gluttony: Uma Série Que É Meu "Pecado"! Boushoku no Berserk (Berserk of Gluttony) - Pictures - MyAnimeList.net Fate é um jovem que acreditava ter uma habilidade inútil chamada "Gula", que o mantinha constantemente faminto. Ele era um vassalo em uma casa de cavaleiros sagrados, onde era tratado com desdém, nutrindo uma paixão secreta pela cavaleira Roxy Hart. Ela destaca-se como a única guerreira nobre em um mundo dominado por cavaleiros que abusam de seu poder para oprimir o povo. Quando Fate acidentalmente mata um ladrão enquanto ajuda Roxy, ele descobre que sua habilidade de "Gula" vai além do que parecia. Esse evento o faz perceber os aspectos positivos e negativos de seu "pecado". Comprometido a proteger Roxy, ele decide usar seu poder em prol da casa daquela que sempre o tratou com humanidade e respeito. Baseada em uma novel escrita por Ichika Isshiki , com arte de fame , "Berserk of Gluttony" é serializada desde 2017,

Outros Papos indica: Japanese Noodles Udon Soba Kyoto Hyogo

 Saboreiem! Um canal dedicado à culinária japonesa! Se gostarem, se inscrevam lá!

Traduções ideológicas

Hoje, no blog, não farei recomendações, mas sim uma sugestão. Há uma controvérsia em torno de alterações indesejadas em traduções e legendas de obras japonesas. Se os próprios japoneses começassem a traduzir e legendar seus animes para o Ocidente, essas distorções poderiam ser evitadas. Pergunto-me por que, até agora, os japoneses ainda não optaram por legendarem eles mesmos e disponibilizarem à venda discos com suas obras legendadas em outros idiomas. Isso certamente eliminaria o ruído ideológico e, sem dúvida, eu seria um dos consumidores da mídia física lançada por eles, com legendas "feitas em casa". Na administração, aprendemos que devemos apresentar não apenas os problemas, mas também as soluções. Portanto, considero essa a solução para o problema das alterações ideológicas em obras orientais.