segunda-feira, 28 de setembro de 2020

Hipogamaglobulinemia não familiar

 Hipogamaglobulinemia não familiar


Resultados do segundo laboratório!


Agora, com mais calma, posso contar o que me aconteceu. Estou escrevendo informalmente, pois é uma conversa entre amigos. No dia 19/08/2020, fui fazer exames para investigar a causa para as minhas plaquetas estarem um pouco abaixo do valor mínimo normal. Eu estava com os exames das plaquetas alterados desde o ano passado. Apesar de não ser uma plaquetopenia, aquilo estava me incomodando. Em exames de sangue, para investigar a causa, descobriu-se alterações nas minhas imunoglobulinas (IgA, IgM e IgG), com alterações, também, em exame de eletroforese de proteínas séricas. IgA em 39mg/dL; IgM em 15 mg/dL e IgG em 630 mg/dL. Apesar do IgG se apresentar normal para os parâmetros do laboratório, eu o inseri aqui como dado fundamental. No exame de eletroforese, a gama globulina estava em 0,54 g/dL, sendo que o mínimo (referência) deveria ser 0,74g/dL, e a albumina globulina estava em 2,3 g/dL com máximo (referência) em 2,0g/dL. Esse último nada representa para o quadro descoberto.


Para confirmar diagnóstico, refiz alguns exames em outro laboratório. No novo laboratório, as três classes se apresentaram baixas, definindo o problema. A IgA em 38,7 mg/dL; IgM em 13,2 mg/dL e IgG em 554 mg/dL, como mostra a imagem acima. Aqui, até a IgG mostrou-se abaixo do mínimo esperado, evidenciando um quadro de imunodeficiência.


Nesse mesmo laboratório, foi pedido as subclasses de IgG com os resultados:




IgG Total: 588,8 mg/dL (baixo)

IgG 1: 350 mg/dL (baixo)

IgG 2: 244,4 mg/dL

IgG 3: 24,2 mg/dL

IgG 4: 0,6 md/dL (baixo)


Foi necessário passar pela avaliação de três médicos, sendo dois imunologistas, para chegar a um tratamento que está sendo adotado no presente momento. Segundo um dos médicos, que está acompanhando o meu caso, a minha resposta autoimune está no limiar de funcionalidade, “entretanto, quaisquer desafios adicionais fazem com que a resposta se deteriore e seu organismo tenha dificuldade de lidar com infecções e outros aspectos da resposta imune”. Ele complementa: "estes desafios podem ser quaisquer tipos de estresse físico ou emocional". Dessa forma, estou precisando repensar minha vida e minha profissão. Ficou evidenciado uma hipogamaglobulinemia não familiar, principalmente pela dificuldade em enfrentar uma infecção por herpes, que me levou ao hospital.

Em meu corpo estão presentes os vírus Citomegalovírus, Epstein-Barr e o Zoster (são três vírus da família da herpes) que, em pessoas saudáveis, podem permanecer adormecidos, ou pouco ativos. No meu caso, com a resposta autoimune deteriorada, a herpes se espalhou pelo corpo. Precisei entrar com remédios para o controle dela e, mesmo assim, o meu corpo não reagiu. Após até ser medicado (Valtrex 500mg) com uma dosagem 6 vezes superior à dosagem de uma pessoa com boa resposta autoimune, por sete dias, eu ainda não tinha conseguido sair da crise gerada pela herpes, que continuava a se espalhar pelo meu corpo. Passaram-se semanas de tratamento, sem resultado. Após um mês sem resultados, optou-se, então, por ampliar o tratamento com um procedimento de infusão da Sandoglobulina, que é uma espécie de transfusão de imunoglobulinas, para quebrar a crise de herpes e tentar reverter o quadro. O tratamento é caro e requer cuidados.



Agora, imaginem vocês, se um vírus da herpes já me faz esse estrago, não quero nem ver uma infecção bacteriana. Por enquanto, os meus médicos garantem que o quadro está estável e que não corro risco de uma infecção me levar a um hospital, mas o controle da situação tornou-se mais rígido, pois tenho também asma alérgica, tireoidite e diabetes sem uso de insulina. É um quadro delicado e o tratamento com imunoglobulinas é um tratamento caro. Acredito que um plano de saúde não vá cobrir com alegria, por isso, a minha situação ficou bem séria e minha vida ficou de pernas para o ar. Obviamente, a infusão é o último recurso a ser adotado e, por enquanto, o tratamento vislumbra antivirais e controle regular das imunoglobulinas. Se houver algum descontrole, aí entraremos com as infusões. E eu não conto com a ajuda de muitas pessoas. Eu dei sorte que, nesse momento da minha vida, eu consegui vender minha casa e isso ajudou a pagar um tratamento inicial.


Nesse momento, é seguir em frente, porém, sempre de olho na minha saúde. Provavelmente, esse é o último ano do blog. Vou me esforçar para ainda trazer algumas atualizações, mas, com a situação como está, não vejo muitos motivos para me esforçar mais, pois devo me focar em minha saúde primeiro. Eu me afastei, inclusive, de familiares que amo. Qualquer coisa pode ativar uma resposta imunitária deficitária, até o estresse, então, acho que cheguei ao fim da minha jornada como escritor e blogueiro. 



Foi um prazer! A última atualização no blog será dia 16 de outubro. 





sexta-feira, 25 de setembro de 2020

Nota DEZ- Echidna!

 Nota DEZ!


Apenas um nota DEZ hoje. Echidna foi a personagem feminina mais incrível dessa temporada. Ela não apenas lidou com as outras bruxas, como conseguiu dar ao Subaru um amparo emocional muito forte. Por ela, e sem dar muitos spoilers, eu dou um NOTA DEZ! Mas continuo sendo Time REM! heheheh

quarta-feira, 23 de setembro de 2020

segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Selic e Economia

 Em breve informarei com cuidado o que está acontecendo aqui, para justificar a ausência de textos melhores para o blog, por enquanto, peço paciência. Para hoje, uma recomendação que faço!


A taxa Selic se manteve em 2% e uma amiga, que trabalha com corretagem de imóveis, afirmou que muitas pessoas estão deixando suas aplicações financeiras e estão investindo em imóveis para manter um retorno financeiro com o aluguel, ou revenda dos mesmos. A taxa Selic é a taxa base usada como referência para que os bancos calculem a rentabilidade das aplicações de seus fundos. Resumindo bem superficialmente, se a Selic for baixa, menores serão os resultados das aplicações em investimentos em bancos. Dessa forma, o Banco Central ajuda a economia, pois ele provoca uma movimentação dos recursos investidos, colocando dinheiro na praça.


O que o pessoal anda fazendo é tirando parte, ou toda sua aplicação, dos bancos e colocando em imóveis. Eu não aconselho isso por experiência própria. Para revender um imóvel, o valor de revenda nuca será o valor 100% investido, tendo sempre uma variação (geralmente a menor) do valor. São raros os casos de pessoas que compram um imóvel a baixo valor, reformam e conseguem vender o mesmo a um valor melhor. É preciso muita experiência no mercado de imóveis para alcançar esse nível e muitos investidores não conseguem isso. Já vi pessoas comprarem apartamentos e, na hora de revender, não conseguirem e ficarem com o imóvel parado por anos, gerando custos de condomínio, por exemplo.


O que aconselho? Investimento em empresas instaladas no mercado. Parte do problema da Selic se deve ao estrangulamento da economia pelo “fique em casa”, lockdown e outros problemas que estão relacionados com o modo com que o mundo lidou com a Covid-19. Dessa forma, quando a economia retornar, ela retornará forte por estar sendo artificialmente reprimida. Teremos um “boom” econômico (espero). Assim sendo, investir em empresas e ajudar o mercado a se aquecer seria, ao meu ver, o melhor caminho. Investir em ações pode ser um bom caminho também. Investidor-anjo, se tiver condições de esperar alguns anos pelo retorno financeiro, também me parece ser um bom negócio. E, ao investir em empresas que tenham sobrevivido à pandemia, você aquece o mercado, mantêm salários, consegue um bom retorno financeiro (se souber investir bem) e ajuda a fazer com que a roda da economia comece a girar e reaquece, também, os investimentos, pois fará com que a taxa Selic suba em um futuro próximo. Pense nisso!

quarta-feira, 9 de setembro de 2020

segunda-feira, 7 de setembro de 2020

 Minecraft Dungeons

GT: Paraymo





Estou voltando aos meus trabalhos e decidi recomeçar trazendo um jogo que gostei bastante. Adoro Minecraft pelo conceito genial de criação ilimitada. O que se pode criar em um mundo de Minecraft só está limitado pela criatividade do jogador. Dessa forma, eu tenho-o como meu Game of the Year (GOTY) pessoal. Então, eu não poderia deixar de experimentar o Minecraft Dungeons.


Diferentemente do Minecraft tradicional, aqui temos uma linha obrigatória a seguir, que coloca o jogador em uma história de combate que mescla o humor que conhecemos, de jogos como Lego (Marvel, por exemplo), e uma ação bem gostosa e fluida de combate contra mobs. A história é boa. Ela nos conta o passado de um renegado que, por vingança, tenta destruir vilas e escravizar Villagers fazendo com que nós (jogadores) tenhamos que intervir, para colocar um fim ao domínio do mal do pequeno tirando Illager. Em uma sequência de pequenos mapas, nós vamos evoluindo na trama, até o confronto final contra o Illager.





A ação


Os combates são divertidos, sendo que os mobs tem um comportamento interessante. Por exemplo, arqueiros sempre têm a tendência de se afastarem de você, para atacar de longe. Zumbis possuem a tendencia a fazer montinho e atacarem juntos. Existem mobs mais fortes, como golens, que te esmurram e lançam-te longe e, claro, creepers e aranhas. A combinação mais temida é ser preso na teia de uma aranha, que te imobiliza, enquanto outros mobs se aproximam para te atacar. Os chefes são ótimos! Cada um deles possui um sistema de ataque e defesa diferente. É divertido ficar experimentando novas formas de derrotar um mesmo chefe e o jogo te dá muitas formas para fazer isso. E o jogo mantêm sempre o sistema de dificuldade equilibrado, não permitindo que um jogador em nível 50 vá atacar um mapa em nível 10, com isso, o jogo consegue manter o mapa sempre desafiador, elevando-o à medida que o jogador também evolui.


Suas armas


As armas que você dispõe no jogo são interessantes, com armas de curto e longo alcance. Muitas com encantamentos diversos e, você ainda possui a ajuda de mobs (golem, lhama e lobo) para os combates. Ainda não cheguei na parte em que consigo pegar um golem, pois ele aparece mais para frente. Até aqui, eu derrotei o Illager no modo normal e estou no modo aventura. Então, entre o lobo e a lhama, eu prefiro a lhama, pois ela ataca de longe e ajuda na minha tática preferida. Meu modo de combate preferido é o de longo alcance, lançando flechas diversas e a lhama é a melhor para ajudar nessa tática de ataque à longa distância.



É bom?


Sim, é muito bom! O jogo tem uma mecânica divertida, combates sempre desafiadores e dou destaque para a nossa dublagem (a narradora) que fez um excelente trabalho narrando nossa história. Eu recomendo, mesmo para quem não conhece o Minecraft original. Lógico, quem conhece o jogo original possui um prazer maior no jogo ao reconhecer mobs e atitudes. Realmente, é um jogo muito bom!

sábado, 22 de agosto de 2020

Duas semanas de licença!

Vou precisar de duas semanas de licença. Infelizmente, o blog não possui material de reserva, então, pelo menos nessa semana, não teremos atualizações. Conto com a compreensão de todos. Obrigado!

Hipogamaglobulinemia não familiar

  Hipogamaglobulinemia não familiar Resultados do segundo laboratório! Agora, com mais calma, posso contar o que me aconteceu. Estou escreve...