sábado, 1 de fevereiro de 2020

Dungeon ni Deai wo Motomeru no wa Machigatteiru Darou ka: Orion no Ya


Dungeon ni Deai wo Motomeru no wa Machigatteiru Darou ka: Orion no Ya




O filme já está disponível para o Brasil via a plataforma Hidive e eu perdi quase que uma hora e meia da minha vida assistindo-o, e lamentei, pois esse tempo não voltará e será repleto de péssimas lembranças. Se o filme é ruim? Sim, ele é. E eu lamento não ter procurado por spoilers com mais afinco, para ter evitado perder um tempo precioso. Vai ter spoiler aqui.

 Sinopse

A história conta a convocação do personagem Bell para uma missão junto com Artemis, Héstia e Hermes, pois o Bell foi o único infeliz que conseguiu ser aceito pela lança para essa missão. A missão é única e está relacionada com um monstro chamado Antares.

Crítica

Eu tinha uma memória boa de Danmachi por causa da primeira temporada e, com isso, fui assistir à segunda temporada. Por alguma razão do destino, o autor concluiu que a antítese de um herói seria uma prostituta. Um erro de interpretação de fatos mitológicos, mas, tudo bem, a história é uma ficção, por isso, ele pode interpretar como quiser. E eu posso criticar justamente por isso e usando da mesma liberdade. Foi ruim demais! E me pergunto qual será o vilão da terceira temporada? Um cafetão? Talvez um vendedor de drogas, se bem que um já apareceu na segunda temporada.

O filme nos traz justamente o Bell da segunda temporada: um carinha fraco, apático e dependente de outros personagens. Ele não brilha em tela como o personagem principal e sequer faz a diferença. Uma mula segurando a lança seria melhor que ele. E isso me traz um desgosto. O Bell da primeira temporada crescia a passos largos e se tornava um personagem confiável a cada episódio, mas aí veio a segunda temporada e ele quase foi estuprado no bairro da luz vermelha. Que mico! Que tristeza ver um personagem tão promissor ser jogado no lixo desse jeito. E o filme não ajuda a fazer o personagem brilhar, ao contrário, o arremessa ainda mais fundo no poço que o autor o enfiou, pois ele deixa de ser um personagem confiável. Nem dá para chamá-lo de herói.

Como já escrevi aqui antes, um herói é um indivíduo capaz de grandes feitos em guerra e de gerar MILAGRES em situações de extremo perigo. Eles possuem origem divina em muitos contos, sendo fruto do amor de um deus com uma humana, por isso, eram pessoas de total confiança, capazes de feitos além dos feitos humanos. Por exemplo, Belerofonte que matou a Quimera, ou Herácles que matou Cérbero (o cão guardião do inferno). Por isso, eu prezo muito essa palavra: herói. Não é qualquer personagem que se faz digno de ser portador desse título. Bell Cranel deixou de ser um dos portadores desse título. É apenas um personagem!

No filme, Bell poderia ter sido projetado pelo roteiro para ser exatamente um herói grego, capaz de um milagre, pois o roteiro pedia por um milagre. O roteiro apresentou um dilema para o personagem: cumprir sua promessa de proteger Artemis, ou cumprir sua missão e derrotar Antares. O roteiro precário decidiu que ele não poderia fazer os dois. Limitou a ação do personagem e o impediu de brilhar. No momento em que o roteiro poderia fazer o Bell ser portador de um milagre incrível, resolveu que não faria isso. Diminuiu o personagem. Ele poderia ter sido o personagem que “transforma um deserto em vales verdejantes”, mas o autor o enxergou apenas como um fraco incapaz de cumprir uma promessa e incapaz de gerar um milagre. Um incapaz! Bell é apenas um incapaz.

O pior é a passada de pano que o autor desse filme usou para tentar diminuir o desprezo da audiência pela fraqueza do personagem, pois ele sabia que o personagem iria falhar e tentou passar panos quentes na situação, tentando converter a derrota do personagem em uma vitória. É apenas um jogo de palavras para evitar que o  dano ao personagem fosse maior. Bell falhou, não importa o que escrevam no roteiro, Bell poderia ter saído com uma vitória completa, mas ele falhou. É algo como: “ela não morreu, ela está em um lugar melhor agora”. Uma bobagem! A única vitória aceitável para a ocasião seria o personagem ser portador de um milagre, como os heróis gregos faziam e que a história da série tenta sempre se basear.

E isso refletiu negativamente na bilheteria, pois o “boca a boca” surtiu efeito e o filme arrecadou  míseros ¥74,254,900; ou seja, nem 70 mil dólares, em sua estréia . Um fracasso justo, pois ninguém vai ao cinema ver um herói que não muda a situação na qual ele está inserido. Se é para ficar na mesma, não precisava de um herói, bastava chamar o seu zé da esquina para isso. Vai ver o Bell seja justamente isso: o seu zé da esquina.

E essa não é apenas a única questão ruim do filme. As piadas são ruins. A música é ruim. A interação dos personagens é ruim. Nada encaixa direito. Nada funciona. Até a animação é mediana em muitas ocasiões. Nem saiu um trabalho primoroso. Foi doloroso ver esse filme, mas serviu para que eu criasse esse texto e os alertasse sobre o filme. Conhecendo bem vocês, tenho certeza que muitos irão assistir ao filme agora. KKKKKK

Precisei desabafar. O filme é ruim e ponto! 🌟🌟      

sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

Nota Zero!


Nota ZERO



Como podem ver pela imagem, algumas séries estão com direito de exibição liberado para nossa região, mas somente 30 dias após sua exibição na televisão japonesa. Não dá nem para chamar isso de simulcast. Muito dessa tragédia se deve ao fato da má formatação dos contratos de distribuição. Outro ponto que nos leva a essa situação é uma tentativa burra de privilegiar um serviço de streaming a outro.

No caso da tentativa de privilegiar um serviço a outro, temos o dedo da Sony no meio. Sim, ela é dona de uma rede de distribuição e do serviço Funimation, então, segundo o que li no fórum da Crunchyroll, ela promove essa bizarrice para dar estaque ao seu próprio sistema de streaming. O que deixa isso ridículo, e até causa raiva no assinante de outros serviços, é que o serviço da Sony é fechado para muitos países, com exceção, por exemplo, dos EUA e Canadá. Com isso, ela não está promovendo seu sistema de streaming, mas deixando o assinante com raiva do sistema dela. Lembram da porcaria que a Sony fez com o Animax? Então, se isso for verdade, é ela, de novo, promovendo o caos, só que, agora, no sistema de streaming.

Dona Sony, é ZERO para você desde os tempos do Animax!

segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

As três melhores da temporada!


As três melhores séries dessa temporada

Antes de começar, um pequeno aviso: a temporada passada teve um vencedor, Oresuki, mas não fiz a crítica final, pois a série teve um final falso e ainda não terminou. Estou esperando  terminar, para poder realizar uma análise do produto completo.  

Essa temporada está fraca, mas ainda entregou algumas boas séries. Curiosamente, as duas primeiras são do tipo de entretenimento de educação, ou seja, são do tipo que te divertem, mas que te ensinam também, como Cells At Work. Eu queria esperar um pouco para soltar esse material, pois a Aniplex prestigiou a Funimation e deu a ela exclusividade de até 30 dias para algumas séries. Sony erra até não dar mais. Incrível isso! Sexta-feira reclamarei mais sobre isso. 😊  

Aqui a minha lista de séries que você não pode deixar de assistir. As três séries que mais me agradaram nessa temporada (em ordem). Curiosamente, são elas que possuem as melhores aberturas e encerramentos da temporada também.

Primeiro Lugar- RikeKoi



O animê assinado pelo estúdio Zero-G trata de uma situação romântica envolvendo dois cientistas que se apaixonaram e tentaram provar cientificamente seu amor. O carisma dos personagens transborda em tela. As tentativas de comprovação científica da tese “estou apaixonada(o)?”, que inicia quando Ayame acredita estar apaixonada e o Yukimura, usando no princípio da incerteza, pede evidências desse amor, são o ápice genial dessa comédia. É aqui que somos apresentados a algumas formas de gerar dados de forma metódica e, de fato, são usadas em laboratórios para a análise de um objeto de estudo.
É uma comédia de chorar de rir, pois eles conseguem casar direitinho o amor, um sentimento abstrato, com os estudos científicos de comprovação. É como se eles tentassem comprovar que a alma existe. E não se enganem, eles não tratam o amor com ceticismo, eles realmente acreditam no amor e usam a ciência para esconder uma certa inaptidão para relacionamentos. E as situações geradas na série são espetaculares, além disso, as garotas são lindas e cativantes. Acredito que teremos uma espécie de divisão da série, de apenas 12 episódios, em pequenos arcos apresentando casais diferentes. Eu gosto muito dessa divisão e torço para ser assim.




Segundo Lugar- Murenase! Seton Gakuen



A série tem a assinatura da Cygames (Granblue Fantasy) e trata da chegada de um humano, Jin, a uma escola bem diferente, que possui alunos animais e professores em extinção 😊. Jin, então, tenta se adaptar a essa nova escola, o que será difícil, pois ele tem ódio a animais. Ele, então, conhece a única humana da escola e se apaixona por ela, porém, ele acaba se envolvendo com uma menina-loba, Ranka, e muita coisa acaba acontecendo. Apesar do ódio que ele sente, ele ainda tem um pouco de respeito pelos seus colegas e, muito por conta da humana, ele acaba se envolvendo em um clube gastronômico e com seus membros. Não vou dar mais spoiler que isso.

A série me cativou, pois ela apresenta dados dos animais através dos personagens que os representam na série. A menina bicho-preguiça, por exemplo, é um exemplo incrível disso. É possível aprender muito sobre as espécies animais, seus hábitos alimentares e seus costumes. E o roteiro ainda avacalha com algumas situações, como o caso da menina-zebra e sua linhagem. Ele consegue te fazer chorar de rir e te fazer aprender mais sobre os animais apresentados na série. Como fiz Medicina Veterinária, estou adorando essa série pois estou me envolvendo cada vez mais com a história e os personagens.



A abertura e o encerramento são os melhores dessa temporada. A música da abertura deixa uma sensação de selva e bagunça, enquanto as cenas comprovam que a escola é uma algazarra sem tamanho. E olha os spoilers funcionando em mim de novo, a cena em 1:10 me deixou super curioso. Que diabo foi isso? Kkkkkk Além disso, parece que eles vão abordar a questão dos órgãos reprodutores das hienas, principalmente das fêmeas, e espero que não venha nenhuma lacração aí embutida.



Quem já teve cachorro sabe que é assim mesmo. O encerramento mostra bem o comportamento canino quando ele está separado da pessoa que ele gosta. A Ranka é uma menina-loba muito carismática. E ela é uma lobinha bem pequena, quase uma raposinha. É muito linda!



Terceiro Lugar- In/Spectre



Kotoko Iwanaga foi sequestrada, quando tinha 11 anos, por Youkais que desejavam fazer dela uma intermediária para resolver conflitos envolvendo youkais, espíritos e fantasmas. Quando chamada, ele deveria responder ao chamado e resolver a questão que atormentasse o youkai que a chamou. Como ela aceitou o desafio, tiraram-lhe a perna e um dos olhos. Já com 17 anos, não lembro bem a idade atual dela, ela encontra um rapaz chamado Sakuragawa, de 22 anos, que também está envolvido no mesmo mundo no qual ela também se envolveu. O destino dos dois se une com um laço de amor.

 Essa série me pegou pela interação dos personagens principais, pois me lembrou bastante a da série Bunny Girl. Muitos diálogos inteligentes, com respostas interessantes e bom domínio da linguagem. O autor sabe o que está escrevendo e tem controle absoluto da estrutura do enredo. Gostei bastante desse aspecto. Presumo, inclusive, que o autor tenha amor pela semiótica.  

A Kotoko é uma mulher carismática, inteligente, independente e muito próxima de como é a figura feminina. É um prazer vê-la em tela. O Sakuragawa é um rapaz tranquilo e que reserva alguns segredos, mas é uma presença masculina evidente. A interação dos dois é sensacional e o enredo trata disso com muita atenção.



Conclusão

A temporada está fraca, mas ainda possui muitas séries interessantes. Dê atenção a estas e, acredito, não vai se arrepender! Todas estão no serviço de streaming Crunchyroll.



Nunca teremos uma reconciliação!

Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, fala que o Presidente Bolsonaro tem total razão sobre os efeitos devastadores do isolamento na...