sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Drops: O Melhor de Porto Alegre II & Melhor Animê da Primavera de 2017!

Drops: O Melhor de Porto Alegre II & A Melhor Animação 2017, II

O Melhor de Porto Alegre
Caipirinha


Caipirinha do Izakaya Danjou


Para este rápido texto, decidi analisar as caipirinhas de alguns bares e restaurantes da capital. Caipirinha clássica, isto é, a de limão! Os estabelecimentos analisados: Heilige, Outback (Barra Shopping Sul), Bah, Champanharia Natalício (Barra Shopping Sul), NB Steak, Izakaya Danjou e Cisne Branco. O que foi analisado: harmonia, força e prazer.



Caiprinha do Bah!




Harmonia

A mais harmônica é aquela na qual os ingredientes se misturaram com perfeição e não ficaram brigando pela dominância do sabor. Parece estranho, pois a caipirinha é feita de uma bebida alcóolica, açúcar, limão e gelo. E, por incrível que pareça, em algumas casas, os ingredientes não tinham muito equilíbrio. A mais harmônica, a mais perfeita, foi a da Champanharia Natalício. O curioso é que não estava no cardápio, mas o garçom não se intimidou, pegou minhas preferências e preparou a bebida. Assim nasceu a vencedora!

CHAMPANHARIA NATALICIO BARRA SHOPPING SUL
Porto Alegre - RS
Av. Diário de Notícias, 300 - 2º piso
51. 3028.1077



Força

Não diz respeito apenas ao teor alcóolico, mas ao sabor acentuado também! Ela não é harmônica, pois um dos ingredientes vai se sobressair positivamente. A com maior força foi a caipirinha do NB Steak. Bateu forte, rápido e de forma quase silenciosa. Essa não é indicada para quem está dirigindo, mas é muito boa! Se quiser aquela caipirinha que vai queimar os seus problemas no primeiro gole, eu indico a do NB Steak.


Rua Ramiro Barcelos, 389 - Floresta - Porto Alegre/RS - (51) 3225-2205



Prazer

Aqui, prazer significa todo o contexto em volta da bebida. O vencedor neste quesito: Cisne Branco! Tomar uma caipirinha bem preparada, enquanto navega pelo Guaíba, e vê Porto Alegre de um barco, é um dos prazeres desta viagem. Peça uma caipirinha acompanhada de uma porção de fritas, relaxe e navegue pelo Guaíba. Com certeza, esta foi a experiência mais incrível, e repleta de prazer, que fiz. Vale cada segundo!



EMBARQUES / DESEMBARQUES

Cais do Porto de Porto Alegre, armazém B3 com acesso de Pedestres na Praça atrás do Mercado Público.




Melhor Animê 2017- Primavera

Eromanga Sensei (Crunchyroll)





A história trata de um garoto que, logo após o pai se relacionar com uma outra pessoa, dando a ele uma irmã, acaba por perder a ambos (o pai e a madrasta). Sozinho, com a sua irmã, que acaba ficando reclusa no quarto, ele se vê pressionado por este destino. Para desabafar, acaba se tornando um escritor e consegue um sucesso relativo. Em um determinado dia, ele acaba descobrindo que a pessoa que desenha as ilustrações de seus livros é sua irmã reclusa. Com o pseudônimo de “eromanga-sensei”, que ela própria renega, colabora com os livros dele criando as ilustrações. Neste momento, Izumi (o garoto) se vê impulsionado a se relacionar com sua irmã, tentando fazê-la se abrir com ele. Este é o início da promessa que ambos farão e o início de um novo momento na vida deles.

Tinha tudo para ser um drama, mas o autor resolveu guiar o material para a comédia. E ficou sensacional! A vida é um elo de escolhas que te guiarão, fazendo seu futuro ser um eco de seu passado. O futuro do Izumi foi um eco de um passado no qual ele lutou para não afundar em uma depressão e foi bem sucedido. A série demonstra isso com perfeição. Os diálogos, as cenas, a música, a promessa, a direção, ou seja, tudo foi muito bem trabalhado para entregar uma série leve, atraente e com personagens carismáticos e cenas inesquecíveis. A Sagiri (irmã), por exemplo, é formidável. Além de reclusa, ela tem manias que a fazem parecer um velho, por vezes tarado, de 70 anos e isso a deixa muito carismática, criando cenas que me fizeram rir demais! Os outros personagens deixam esta mistura ainda mais agradável e polêmica!

Eu também me liguei na necessidade que o Izumi tinha em escrever, pois acredito que todo autor passou, ou passará, por momentos como os dele. E isso ficou guardado em mim. O resultado é que ele se tornou, para mim, um personagem simbólico.

E que música sensacional para a abertura. Confira abaixo!





quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Nem toda evolução é benéfica!



Nem toda evolução é benéfica

Diz o consenso que toda a evolução é boa;
Que a natureza não trabalha à toa[1];
De fato, isso é quase verdade, mas não plenamente;
Não é uma regra a ser seguida cegamente.

Dizem que conflitos te fazem amadurecer, fortalecem suas raízes;
Porém, a dor é positiva?
O coração amadurecido à força possui cicatrizes.
Estas cicatrizes são símbolos de uma evolução negativa.

Uma evolução negativa sempre deixa marca;
Sofrimento, desespero e pesadelos são presentes;
O coração sofrido, de uma alma perturbada, é seu monarca;
É uma evolução, ou involução? São consequentes.

O sentimento não evolui bem com a dor;
O coração transtornado corrompe-se com ardor;
O sorriso se esvai;
A lágrima cai.

A série, que serviu de inspiração para este poema, mostra bem este tipo de evolução causada pela dor. Phos começa a série como uma personagem preguiçosa, alegre e simpática, para, no fim da série, tornar-se triste e melancólica pela dor. Uma transformação negativa, que ela mesma se lamenta. Não acredito que a dor transforme positivamente alguém. Eu sei. 

Land Of The Lustrous pode ser conferida via HIDIVE!






[1] Corrigido o erro!

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Conto do Ratinho: Pensamentos e Dúvidas!


Pensamentos de Ratinho!

Passaram-se dois anos depois da invasão das cobras venenosas em meu cubículo. Naquela época, tomei-me por um temor de que fosse culpa do cientista, pois eu, com meu pequeno raciocínio de ratinho, já sabia que as cobras cobiçavam meu espaço. Com meu pequeno raciocínio de ratinho, eu já alertava o cientista de que as cobras queriam invadir. E eu alertava o cientista, mas ele permanecia em silêncio. E eu alertava ardentemente, mas a resposta do cientista era o silêncio.

Em meu cubículo, eu residia com um velho caranguejo que visitava as cobras com certa frequência. Ele, de forma inocente, achava que sua couraça o protegeria dos venenos. Que as cobras nada fariam contra ele. Era de uma inocência triste. Quando eu falava com o caranguejo sobre meus temores, ele ria. O caranguejo velho também não acreditava que elas fossem capazes de fazer mal a nós. Quando a parede de vidro se estilhaçou, e as cobras avançaram contra nós, ele ficou perplexo. Foi tão vítima delas, quanto eu.

Na época, fomos salvos pela mão do cientista. Nossa baia foi protegida por mangustos enviados pelo cientista. Como interpretar isso? Como o cientista, que nada fez para consertar a parede de vidro, naquele momento, resolveu estender sua mão para me poupar a vida? Não seria melhor ter arrumado a parede, antes que ela ruísse? Não seria melhor ter distanciado as cobras, deixando-as longe? A impressão que me deu é que o cientista está nos testando. Ele nos colocou em uma panela de pressão, para medir nossa capacidade e nossas reações.

Eu também fico pensando, enquanto como minha ração, que a minha situação atual também faz parte desta panela de pressão. Após dois anos do ocorrido, eu ainda estou em uma baia que não me pertence. O caranguejo velho parece continuar em contato com as cobras e, por causa deste caranguejo velho, que eu respeito e amo, eu não pedi aos mangustos que a justiça fosse feita, pois ele ama as cobras. Sim, o coração do velho caranguejo o impede de agir contra as cobras. E o meu coração, que o ama e respeita, me impede de ir contra elas.

Essa situação é o tempero desta panela de pressão na qual estamos inseridos. O cientista está nos marinando aos poucos, nos deixando envoltos em pressão e vapor quente. O cientista é mau? O que o cientista quer de fato?

Sobre os mangustos, eles me deram mais 6 anos para agir contra as cobras. Ao meu sinal, os mangustos serão a justiça. Por este fato, ainda estou esperando convencer o caranguejo velho. Esperando que ele se convença de que a justiça não feita é pior que a injustiça realizada. Que o mal sem reparação é um dano pior que o que as cobras ousaram tentar fazer. Faço isso para que o caranguejo não sofra.

E você, cientista? O que quer agora? Com sua mão poderosa, poderia resolver tudo pacificamente. Eu acredito em seu poder, mas estou tendo dúvidas quanto ao seu amor. No meu pensamento de ratinho, limitado pela minha pequenez, via no senhor um protetor, mas, agora, vejo no senhor um observador que conduz a um experimento cruel. Cientista, desta vez, não se cale. Responde! Ajude este ratinho a entender e a resolver tudo de maneira pacífica. Estas são as dúvidas, pensamentos, sentimentos e orações do ratinho a ti. Eu quero escrever, no conto do próximo ano, a sua bondade para comigo!


Erraram, erraram e erraram!

Bolsonaro O presidente Jair possivelmente errou ao clocar Aras no comando da PGR. É como se colocasse um cão de guarda que fosse ...