sexta-feira, 6 de abril de 2018

Troféu Outros Papos- Comédia!


Troféu Outros Papos

A temporada está terminando, então, vou iniciar a minha própria sessão de premiação. Inicia-se o “Troféu Outros Papos”. Para estar presente aqui, basta que a série, personagem, tema, história, estejam de meu agrado. Simples assim! Algumas premiações serão descontraídas, outras não. Pretendo premiar comédia, slice of live, aventura, melhor vilão, melhor herói, melhor romance e melhor da temporada!


Sobre mim

Como devem saber pela minha biografia, sou autor do livro “Mangá Tropical- Um Estudo de Caso”, no qual analiso as influências japonesas em quadrinhos brasileiros. Além disso, sou membro da Real Academia de Letras, escritor e jornalista formado. Vou dar meu máximo!



Troféu Melhor Comédia



Dagashi Kashi conta a história do jovem Kokonotsu que deseja ser um mangaká, embora seu pai sonhe que ele venha a herdar a loja de doces baratos da família. Para apoiar o pai do Kokonotsu, existe uma jovem louca por doces, chamada Hotaru, que vive na loja provocando o jovem artista. Nesta segunda temporada, o vício por doces continua. 





O que procuro em uma comédia são situações como as definidas no site “Conceito[1]”: “Do latim comoedĭa, uma comédia é uma peça de teatro que apresenta cenas e situações maioritariamente humorísticas ou, no mínimo, divertidas. As comédias procuram entreter e divertir o público, dando-lhe vontade de rir, e em que os finais costumam ser felizes. A comédia é também o género que agrupa todas as obras com essas características”.

Dagashi Kashi, como explana o site acima (leia o texto completo no link), possui personagens estereotipados, como a própria Hotaru, viciada em doces, ou o pai do Kokonotsu, que vive sumindo (pai ausente). E os personagens são colocados em situações extremas, como, por exemplo, a nova empregada da doceria que, em um determinado momento, acredita que o amigo do Kokonotsu é um mafioso e que a loja de doces estaria em dívida com a máfia. Neste momento, iniciou-se um diálogo exagerado, estereotipado e, portanto, muito engraçado. As situações sempre convergem para os doces, ou para a loja, sempre passando pelas curvas das personagens femininas, que são bem exploradas pelo diretor para fazer também uma comédia sensual.




A comédia não precisa seguir muitas regras e nem precisa ser politicamente correta, então, outra ferramenta que eles usam na série é interligar os personagens com alguns fetiches e brincar muito com isso. Como exemplo, fazer um site para promover a loja de doces, mas o site acabar parecendo um site de relacionamentos. Enfim, a comédia se serve de muitos elementos justamente por não seguir muitas regras e não estar presa a nenhuma política corretinha.

Assista via Crunchyroll

Por todos os elementos apresentados, Dagashi Kashi se torna a melhor comédia da temporada e a Hotaru leva o prémio de Melhor Personagem Desaparecida. Quem seguiu a série vai entender esta piada!



[1] Conceito: https://conceito.de/comedia

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Lula na Cadeia! HC Rejeitado!


Lula na cadeia!



Terminou, na madrugada de hoje, o julgamento do habeas corpus (hc) do réu Lula da Silva, com a rejeição do hc por 6 votos a 5. Com a queda deste hc, Lula está mais próximo da cadeia! Antes de entrar no tema do julgamento, que durou mais de 10 horas, vou voltar um pouco no tempo, pois se faz necessário um agradecimento.

No dia 03 de abril de 2018, muitos movimentos sociais se uniram novamente para pedir a rejeição do hc do Lula pelo STF. Tribunal este que já havia admitido, contra súmula da própria casa, analisar o mérito do habeas corpus e ainda concedera salvo-conduto (que denominei em vídeo de hc pré-datado) até o dia de 04/04/2018. Dia este que seria o da votação e análise do mérito do hc. Duas situações vergonhosas que iam contra a jurisprudência do próprio pleno da Corte e que me fizeram acreditar que a casa estava incorrendo em vícios contra o ordenamento jurídico brasileiro.





As manifestações chegaram e chegaram com força. No vídeo acima, eu mostro a manifestação na cidade de Porto Alegre, no Parcão, próximo das 20h00, ou seja, com ela quase terminando. Notem a quantidade de pessoas que foram manifestar seu descontentamento, pedindo a rejeição deste hc. Cidades como São Paulo e Rio de Janeiro tiveram manifestações ainda maiores. E o clamor do povo foi ouvido pelo nosso General Villas Boas, que escreveu em sua conta no Twitter:





Acredito que esta manifestação, que foi seguida pela manifestação de outros generais (AÇO! SELVA!), abalou o plano que eles estavam armando para salvar Lula da cadeia e torná-lo elegível para a próxima eleição. Tenho certeza que o povo nas ruas, com apoio de nosso exército, fez o mal estremecer!


Julgamento

Então, chegou o dia do julgamento do habeas corpus (HC) 152752. Todos apreensivos, pois não confiávamos em todos os ministros da corte. Julgamento que, como escrevi, passou de 10 horas de duração. Muita aula de Direito, mas muita aula de hipocrisia também. Enquanto assistíamos ministros defendendo a prisão após condenação em segunda instância, e a rejeição do hc, outros buscavam qualquer fonte que pudesse justificar o injustificável.  Apelaram até para o Direito do Consumidor. Quero escrever sobre alguns votos, porém ficará para mais tarde.

O voto da ministra Rosa Weber foi o que definiu realmente a disputa. Apesar de ser contrária à prisão em segunda instância, ela manteve o entendimento anterior da casa e votou rejeitando o hc. Obrigado, ministra Rosa! E os ministros tiveram respaldo de nota técnica assinada por mais de 5 mil membros do MP, magistrados, desembargadores e advogados, além de pedido formal feito por alguns senadores e deputados, pedindo a manutenção da prisão em segunda instância.

E quando tudo parecia ganho, o advogado do réu se pronuncia pedindo que se votasse o salvo-conduto. Ora, se o hc já havia sido rejeitado, deveria cair automaticamente seu salvo-conduto, mas alguns ministros insistiram na votação do mesmo e perderam também! Tanto o hc, quanto o salvo-conduto, foram rejeitados! Os heróis da nossa pátria foram: Cármen Lúcia, Fux, Fachin, Alexandre de Moraes, Rosa Weber e Barroso. 

O site do STF[1] assim descreveu o resultado do julgamento: “Em decisão majoritária, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) negou o Habeas Corpus (HC) 152752, por meio do qual a defesa do ex-presidente Lula buscava impedir a execução provisória da pena diante da confirmação pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) de sua condenação pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O colegiado também, por maioria, rejeitou pedido da defesa para estender a duração de salvo-conduto concedido a Lula na sessão do último dia 22 de março.

Então, Lula está mais próximo da cadeia, o Brasil se livrou de virar uma Venezuela e nosso ordenamento jurídico manteve a consistência e a força para lutar pelo bem e pela justiça. As portas do inferno não se abriram para liberar traficantes, pedófilos e assassinos! A rejeição deste habeas corpus salvou o Brasil do caos jurídico, que se estava formando para livrar poderosos da cadeia. 

Eu agradeço a todos os brasileiros que lutaram, que foram para as ruas e se manifestaram, bem como agradeço a todos os Generais que se manifestaram defendendo nossa Justiça, nossa Ordem e nossa Paz! Obrigado a Todos! E, novamente, AÇO! SELVA! ORDEM & PROGRESSO!



[1] STF: http://portal.stf.jus.br/noticias/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=374436

quarta-feira, 4 de abril de 2018

Luz que nos ilumina!


Na escuridão,
O mal sente-se forte.
Luz, derrote-os!



Mais um haicai (5-7-5) sobre o mal. Nossa política chegou a um extremo tão parecido com isto que algumas sessões do Congresso são marcadas de noite, na tentativa de evitar a pressão popular.  

AMV: Savior-  Rise Against
De: PIDIKEY



terça-feira, 3 de abril de 2018

Vamos para as ruas!


As Instituições Brasileiras

Muitos devem estar se perguntando por que estamos achando, neste momento, que as instituições brasileiras não estão funcionando, mas achávamos que sim durante o impeachment da Dilma. Venho aqui demonstrar os dois momentos em um breve resumo.

1º Momento

Durante o processo de impeachment da Dilma ficou demonstrada a independência dos poderes da República, que trabalharam de maneira a garantir um processo dentro dos trâmites legais da nossa Constituição Federal. Sendo assim, a Polícia Federal, O Congresso (Senado e Câmara), o MPF, o STF e o TCU agiram dentro da lei e respeitaram as regras impostas para o julgamento. Apesar do presidente do STF ter permitido fatiar a condenação em duas partes, mantendo os direitos políticos da ex-presidente, todo o processo foi respeitoso com o nosso ordenamento jurídico e foi seguido por todas as instituições de maneira isonômica. Aos trancos e barrancos tudo funcionou dentro das regras e, portanto, ficou demonstrado o bom funcionamento das instituições brasileiras.

2º Momento

Todo o processo legal foi obedecido para o julgamento do Lula. Ele foi condenado em primeira instância e a condenação foi confirmada por unanimidade na corte revisora (TRF 4). Cabendo apenas ao réu os embargos, como já expliquei. Para as cortes superiores, restavam ao réu alguns remédios jurídicos, dentre eles o pedido de habeas corpus. Nenhum destes remédios têm o poder de reformular o conteúdo da sentença, ou seja, ele é um réu condenado bastando para tanto a divulgação da sentença no Diário Oficial. O transitado em julgado aqui é mera formalidade. O pedido de habeas corpus, então, foi rejeitado no STJ e foi parar no STF. Aqui se iniciam os vícios que demonstram que o STF está doente.

A)   Acontece que hc negado em tribunal superior não pode ser analisado pelo STF (súmula) e acabou sendo analisado. Deveria ter sido negado de imediato;
B)   Segundo desembargador Antônio Souza Prudente, não existe habeas corpus para decisão colegiada. Isto foi uma invenção jurídica;
C)   Com cansaço, os ministros do STF deram uma liminar ao réu para não ser preso até ser julgado o seu hc. Segundo Janaína Paschoal, ela nunca viu medida cautelar ser concedida a um hc preventivo por sessão suspensa;
D)   Segundo a juíza Marcela Lobo, STF concedeu liminar contra a sua própria jurisprudência.

E os vícios não param por aqui, porém, estes são os que já evidenciam a tendência do STF em beneficiar um réu condenado em segunda instância. E, também, já demonstram que o STF não está guardando a Constituição Federal. Eles estão quebrando o nosso ordenamento jurídico e transformando nossa estrutura jurídica em um caos.  Enquanto o Brasil continua cativo dos criminosos, os grandes criminosos estão sendo soltos. Isto não pode continuar!




No dia de hoje, vamos para a rua! Precisamos demonstrar ao STF que não concordamos com isto. Queremos que nossas leis sejam respeitadas por quem quer que seja. Queremos que o STF RESPEITE seu próprio ordenamento jurídico e rejeite este habeas corpus e mantenha a prisão após condenação em segunda instância.  





E não pense que a luta será fácil. Após o discurso de ontem, da ministra Carmen Lúcia, ficou no ar a impressão que o STF aceitará este habeas corpus monstruoso. Precisamos defender o Brasil!

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Crítica- A Torneira Mágica!


A  Torneira Mágica



Eu tenho ajudado com contribuições mensais o programa de televisão da Seicho-no-ie, pois nesta igreja minha mãe recebeu um milagre. Através destas contribuições, eu recebo diversos livros para estudo. No final de março, recebi o livro infantil “A Torneira Mágica” de Junji Miyaura, com ilustrações de Ernesto Miyaura. O livro em questão é da 4ª edição de 2014.

Chegamos a um ponto de nossa sociedade que precisamos estar atentos à educação de nossos filhos, pois a doutrinação nas escolas está sendo descoberta quase que diariamente. Faz-se necessário o acompanhamento do que se passa em sala, assim como estar mais presente na vida de nossos filhos, então, ter a chance de sentar com eles e conversar é de muita importância. Este livro nos fornece uma rica chance de diálogo com eles e, por isso, eu estou aqui recomendando a leitura do mesmo.

A história conta a descoberta de uma torneira mágica por um casal de idosos e de um velho rabugento. Os idosos, tementes a Deus e adeptos da gratidão, oração e da fé em um Deus presente (princípios da  Seicho-no-ie), são abençoados com as riquezas desta torneira, enquanto o velho rabugento tenta seu uso em vão, pois não reconhece a Deus dentro de si.

A autora do livro esclarece: “Esta história ensina a criança a perceber a diferença entre a oração correta e a incorreta, bem como a elevar o seu pensamento a Deus e aprofundar a consciência quanto à descendência divina”. Eu acrescento mais, pois percebi no livro que ele não valoriza apenas a questão da oração, mas, também, da recompensa divina pela fé e pelo compromisso com Deus. O velho rabugento personifica aqui os fariseus que, cheios de si, oravam em vão. Já o casal de idosos personifica aqui os humildes de coração que veem em Deus a sua riqueza e compaixão.  Deus, então, recompensa os bons de coração e os humildes.

Nestes tempos difíceis, precisamos nos voltar novamente a Deus e orar, ensinando aos nossos filhos o bem da oração. Este livro é uma pequena semente, também para os cristãos, que desejam ensinar aos filhos a oração desde cedo.

Se desejarem obter um exemplar, ele está à venda via Amazon por 10 reais.

Recado aos Raymundo!

Aos Raymundo de Porto Alegre; Eu não quero saber de suas mentiras e nem de seus venenos. Estou vivendo em paz com minha mãe. Deixem-nos ...