Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de junho 14, 2020

OP indica um herói!

 Indicando mais um vídeo do canal do professor Bellei.

Apoio ao Não-PlayStation Mil Grau!

Algumas semanas atrás, ficamos sabendo de uma acusação séria envolvendo um canal de humor negro e guerra de consoles, chamado Xbox Mil Grau, a respeito de uma possível injúria racial promovida por um membro do canal. A marca Xbox, no Brasil, lançou um comunicado nas redes sociais obrigando a Mil Grau a abandonar o uso da marca. Vocês podem ver o caso todo acompanhando a livre do Flow Podcast que estou deixando em anexo logo abaixo. Em primeiro lugar, venho salientar que não acreditei nessa acusação. Crimes de racismo e xenofobia possuem uma raíz de rejeição em comum, isto é, geralmente um racista também possui traços de xenofobia. Em uma live da Mil Grau, eu comentei, via SuperChat, que meu bisavô era Sírio e tinha fugido para o Brasil, ou seja, nesse momento, todos ficaram sabendo que eu sou bisneto de árabe. Nunca fui tratado de maneira diferente. Sempre fui tratado bem, por isso, suspeitei de que algo estaria errado nessa história. Depois fui acompanhar a live do Flow

Poema sobre Honra!

Honra   Honra não é para fracos; Orgulho é para poucos; Não desistir do ideal; Resgataremos os loucos. A lei é a mão principal.     Honra é um dos temas de Kengan Ashura, por isso essa quintilha sobre ela para ligar com o tema da segunda-feira.  

Kengan Ashura

Kengan Ashura   Como escrevi na semana passada, decidi retornar à Netflix por achar que o meu apoio ao boicote já havia dado seu recado. Dessa forma, achei algumas histórias interessantes na plataforma. Obviamente, muitas séries e filmes com agenda progressista, mas muitos filmes e muitas séries boas no meio disso tudo. Ótimos faroestes de 1960, como “Os Brutos Também Amam”, que dá um ótimo recado aos que defendem o desarmamento, quando Shane, criticado por ensinar um garoto a atirar, responde mais ou menos assim: “Uma arma é um instrumento como qualquer outro, como uma enxada, ou um machado. Ela pode ser boa ou má dependendo de seu usuário!”. Ótima lição! Como lembram, um louco usou 40 litros de gasolina para incendiar um estúdio de animação no Japão, provando que a arma pouco importa, mas o coração perverso é que deveria preocupar. E se houvesse uma boa alma portando uma arma naquele momento, imagino que muitas vidas poderiam ter sido salvas.   E, no meio dessa biblioteca i