Pular para o conteúdo principal

Drops: O melhor do outono 2017 (Um Protesto) e Noragami!


Outono de 2017- Um Protesto!





Fiquei sabendo, ontem, dia 09/02/2018, que o diretor de Net-Juu no susume é antissemita. Leia a história toda no link da Anime News Network[1]. E quero lembra-los que não considero arte algo que enseje crimes, como, por exemplo, pintar em um quadro uma imagem santa, como uma hóstia, e escrever ofensas nela; imagine, então, saber que um diretor apoia o nazismo e não acredita no holocausto? É obvio que vou rejeitar tanto a obra, como o profissional. É meu direito e minha liberdade! Mesmo que a obra não tenha nada de errado, vou condenar o diretor por sua postura, portanto, Net-Juu no susume PERDEU o título de melhor animê de outono de 2017 pelo blog Outros Papos.


Girls Last Tour




Esta animação é, neste momento, a melhor animação do outono de 2017. Ela conta a história de duas sobreviventes de uma guerra que levou ao fim da humanidade. O traço e a animação são preciosos, pois primam pelo minimalismo. Minimalismo é um movimento artístico que prega o uso de poucos elementos para a expressão artística. Deste modo, a série demonstra poucos tons e cores, em sua paleta. Em alguns momentos, elas vagam por lugares sem luz, aumentando a percepção de cores com tons mais escuros. As personagens possuem traços arredondados, que simplificam expressões e os cenários são tão simples que quase beiram o rabisco em algumas cenas. Vejam estes detalhes na abertura abaixo.



Além disso, o enredo também não esclarece muito sobre a realidade das meninas e, portanto, o julgo também minimalista por apresentar apenas o necessário para o entendimento da realidade delas. E esta é a beleza da obra. O mínimo apresentado encanta pela simplicidade. E deixa o enredo mais exposto, pois nossa atenção se volta muitos aos diálogos, que são competentes ao mostrar a inocência delas. E a obra pesa na filosofia e nas questões sobre existência, vida, morte e lar. Vemos homenagens à teoria da relatividade de Einstein, quando elas andam de trator dentro de um trem. Ou quando uma delas começa a interpretar a morte como a não existência. Mesmo sendo uma consciência que tenta entender a não existência, ou seja, já existe uma contradição, é uma cena bela.

Apesar da série mostrar uma realidade crua, na qual as meninas precisam vagar sem rumo, para conseguir mantimentos que as mantenham vivas, a série também consegue mostrar beleza. É belo ver a cena na qual elas interpretam gotas de chuva, caindo em latas, como música, pois elas nunca ouviram música antes. É belo vê-las sonhando com uma casa arrumada. Existe beleza dentro de uma realidade cruel, e belas são as vozes calmas e serenas delas.

Ao todo, é uma série que já merecia o título de melhor animação de outono de 2017 e, acredito, conseguir corrigir uma injustiça.  Assista via HIDIVE!


NORAGAMI






Noragami



Assisti na temporada de outono de 2017, via Amazon Prime Video[2], e, mesmo não tendo sido produzida para aquela temporada, serve a esta situação. Eu a celebro, neste momento, como se fosse uma produção do outono do ano passado.

Sinopse: Nós acompanhamos a vida de um deus, de nome Yato, que deseja juntar dinheiro com diversos trabalhos, para levantar fundos para criar um templo em sua homenagem. Existem algumas implicações de um deus não ter seu próprio templo e a série mostra isso. Então, durante uma missão, Yato encontra uma jovem chamada Hiyori. Ela, não sabendo da característica divina do Yato, o “salva” de ser atropelado. Ele se demonstra grato a ela e os dois passam por muitas situações juntos. Esta é uma sinopse breve.

A série teve duas temporadas (2014 e 2015) e alguns OVAs e o que me encanta no enredo é a possibilidade de imaginar como o pecado age em um Deus, ou seja, como nossos pecados podem agredir um ser divino, cuja a natureza não pecaminosa o faz rejeitar o mundano. É um ponto criativo da série mostrar isso e nos faz refletir sobre como nossas ações podem ter consequências em um deus. Dá para fazer reflexões sobre Adão e Eva, ou Caim e Abel, com situações e pecados.

E, falando nisso, eu também achei espetacular algumas ligações com trechos bíblicos. Existe, na bíblia, por exemplo, um trecho que relata a armadura de Deus, constituída de fé, verdade, justiça, entre outro elementos bons e divinos. Aqui, nesta série, nós temos algo bem parecido, com os deuses vestindo-se com seus Regalias. Quem for assistir saberá interpretar esta parte.

Na série, também conhecemos uma deusa da guerra tão carinhosa que poderia ser, também, deusa do amor, chamada Veena e para quem fiz um poema. Procurem no blog. Yato, Hiyori, Veena e tantos outros, são personagens com traumas bem construídos e com interações bem desempenhadas. Uma série que chama pela comédia, mas que te faz refletir sobre a espiritualidade e consequências, carmas e destinos. Vale a pena conhecer!





[1] ANN:
https://www.animenewsnetwork.com/interest/2018-02-09/recovery-of-an-mmo-junkie-director-causes-controversy-with-anti-semitic-tweets/.127409
[2] Prime Video: https://www.amazon.com/dp/B00KTQIT26

Postagens mais visitadas deste blog

Outros Papos Indica: O Cérebro que se Transforma

Norman Doidge é psiquiatra, psicanalista e pesquisador da Columbia University Center of Psychoanlytic Training and Research, em New York, e também psiquiatra da Universidade de Toronto (Canadá). Ele é o autor deste livro que indico a leitura. O livro, segundo o próprio editor, “reúne casos que detalham o progresso surpreendente de pacientes” que demonstram como o cérebro consegue ser plástico e mutável. Pacientes como Bárbara que, apesar da assimetria cerebral grave, na qual existia retardo em algumas funções e avanço em outras, conseguiu se graduar e pós-graduar. Um espanto para quem promove a teoria de que o cérebro humano é um órgão estático, com pouca ou nenhuma capacidade de se adaptar. “ Creio que a ideia de que o cérebro pode mudar sua própria estrutura e função por intermédio do pensamento e da atividade é a mais importante alteração em nossa visão desse órgão desde que sua anatomia fundamental e o funcionamento de seu componente básico, o neurônio, foram esboçados pela p

TOP 3 de séries que merecem remake!

 Existem muitas séries da década de 90, na minha opinião, que mereciam um remake (manter a obra original, apenas contando novamente a história, com a tecnologia atual disponível). Vou citar aqui 3 delas. Estas séries foram escolhidas, pois são séries que ainda mexem comigo, que ainda gosto e que ainda lembro delas como se tivesse as assistido ontem. Esse foi o critério de seleção para esse simples TOP 3, de séries da década de 90, que mereciam um remake.  Oh My Goddess A série mesmo começou em 1988, encerrando-se em 2014, contendo um total de 48 volumes. Ela entra na lista por conta do seu primeiro OVA, lançado em 1993, cabendo perfeitamente nessa lista. A animação realizada pelo studio AIC foi uma das mais belas que já vi e promoveu a criação de outras séries, sendo que a última, se não me engano, terminou em 2013, com outro OVA. Já se passaram quase 10 anos desde a sua conclusão. Um remake dessa série, contando-a do começo a o fim, seria uma ótima celebração. O mangá vendeu mais de 4

Antologia Scortecci 40 Anos!

Antologia para edição especial de aniversário de 40 anos da Scortecci editora, para a 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo (2022) e, enfim, para ser a edição comemorativa dos 100 anos da Semana de Arte Moderna. Como as poesias já fazem parte desse blog, não faria sentido reescrevê-las, então, deixo aqui cópias das páginas da minha colaboração. Foi uma honra poder ter participado de tão nobre edição comemorativa. Obrigado pela oportunidade.     Primeira parte: Segunda parte: