quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Media Book- Ibope 2010

(CORRIGIDO EM 24/09/2011)

ANÁLISE DOS MEIOS- MEDIA BOOK 2010


Resumo da penetração de mídia em 13 países já está on-line.


 


O ibope lançou, recentemente, a sua nova edição de estudos de mercado e mídia. O estudo é amplo e alcança o mercado de 13 países aonde o Ibope trabalha. Este grande resumo mostra as maiores audiências de televisão aberta e televisão a cabo, penetração da internet, investimentos nos meios de comunicação, além de dados de revistas e jornais. Mostrarei os dados referentes ao Brasil e curiosidades. 


 


O brasileiro, aqui estudado pelo ibope, está assim dividido: Classes A e B (A1, A2, B1 e B2), juntas somam 36% do universo entrevistado. A classe C, somente ela, é quase metade dos entrevistados- 49%. Dos 25 anos, até os 50 anos, somam 60% deste universo total.  


 


O mercado brasileiro, estudado pelo Ibope, mostra uma baixa penetração da televisão por assinatura, estando apenas com 28%. É muito baixa se estudada com quase todos os países da América do Sul. A televisão aberta continua, no ano de 2010, a ter a maior penetração de mercado com 97%. A maior janela para o mercado ainda é a televisão aberta. A internet, por sua vez, ultrapassa a penetração de jornais (34%), revistas (38%), tv a cabo (28%) e até das rádios (52%). Com uma penetração de 56%, a internet se mostra uma janela muito promissora. O curioso é que, no universo de pessoas entrevistadas e estudadas, apenas 49% disseram ter um PC em casa. Mas aí é que está o grande trunfo da internet, pois ela pode ser acessada via telefone, e 80% dos entrevistados disseram ter celulares. Por isso, o streaming é uma ferramenta de divulgação e comercialização que possui um espaço de crescimento altíssimo e, se bem explorado, promoverá retornos impressionantes. Por isso, Crunchyroll, Netflix e outros estão se movendo para abocanhar este mercado inexplorado oficialmente.


 


Os números à seguir mostram a força que a internet brasileira possui. O Ibope informa que 73.903.236 pessoas possuem acesso a web (casa, trabalho, escola...). Considerando que existem 190 milhões de brasileiros, é um mercado muito amplo. E 34.224.435 brasileiros usaram internet em casa ao menos uma vez em 2010 (usuários ativos), sendo que o total de usuários com acesso a internet foi de 51.077.405. Aqui a coisa muda de figura e desmascara muitos diálogos que tentam desqualificar a vinda de streamings ao Brasil, como “o brasileiro não tem como pagar por um sistema de streaming”, pois 51% dos que possuem internet estão nas classes A e B, ou seja, há, sim, um mercado forte e que tem condições de sustentar um sistema bom de streaming. Mas e a velocidade de acesso? Já existem esforços tanto do governo, quanto das empresas, para baratear a banda larga e torna-la  mais acessível. Em muitas regiões de Brasília já há, por exemplo, banda larga disponível gratuitamente (Esplanada dos Ministérios, região perto do Estádio Mané Garrincha). Aliás, os investimentos, em todo o ano de 2010, para a internet, no Brasil, estão em US$1.795.605.230,00 e, com a chegada de streamings, esse investimento tende a crescer e ampliar este mercado. Novamente, eu afirmo: quanto maior for o investimento, maior o mercado e, quanto maior o mercado, mais emprego, mais produtos e mais renda. Por isso, eu colaboro com os streamings oficiais.


Este é um esboço da mídia no Brasil. Quem quiser ler o estudo completo, e ver como Pokemon ainda é um produto forte em muitos países, acessem o link abaixo e leiam:


 


Estudo do Ibope


Crunchyroll


Netflix  


Nico Nico (em fase de investigação. Consegui me cadastrar, mas não consegui ver vídeo nenhum).

Eu Escritor!

Participei da seleção de textos do projeto Apparere, da editora Perse, e estarei nas páginas da antologia com o texto abaixo. O texto foi pe...