Pular para o conteúdo principal

Drops Rabugento: Kino & Black Clover!

Drops: Kino & Black Clover

Cuidado, tem spoilers de episódios aqui. Spoilers!
Pela primeira vez, é um drops rabugento, ou seja, vou criticar estas séries. Spoilers!

Kino



Kino trata das aventuras de uma jovem garota (que o diretor faz questão de alterar a cor dos olhos. Ainda não sei se eles mudam de cor pela incidência de luz, ou se tem um plot twist escondido nisso, ou se o diretor fumou) que viaja por diversos países, conhece sua história e parte após três dias. Acontece que tem muita coisa me incomodando aqui, além da cor dos olhos dela.

Primeiro, o enredo descreve que ela visita diversos países. Acho que o correto seria dizer que ela visita as capitais dos países, pois, se forem países, com uma única cidade, são países minúsculos! A segunda coisa, eles forçam uma barra para o drama. No último capítulo que vi, um “país” iria ser destruído por um vulcão. Os moradores sabiam disso. E eles preferiram esperar a morte certa pelo vulcão. Pelo amor de Deus, por que não foram acampar? Ficavam acampando ali perto, depois que o vulcão destruísse a cidade, eles voltariam e a reconstruiriam. Que bando de malucos suicidas! Preferiram morrer junto com a cidade, que eles poderiam reconstruir se optassem por se afastar um pouco. Acho isso forçar uma barra para o lado do drama. Isto é, drama sem necessidade.

Um ponto comum na nossa história real é a determinação de sobrevivência dos povos. Os povos lutam por sua sobrevivência Veja o caso de Israel, no vídeo abaixo, e compare com a decisão dos cidadãos deste país imaginário, visitado na série pela Kino. Com certeza, vai perceber que o enredo foi patife!




Bom, o que eu quero de uma série que tem uma moto que fala, e ninguém se espanta com isso? Mesmo assim, vou continuar acompanhando!



Black Clover




Um rei mago derrotou um rei demônio que destruiria o mundo. Depois desse dia, todos querem o título de rei mago. Esse é o contexto geral do enredo. E o enredo incomoda. Em um capítulo, duas semanas atrás, uma personagem adquiriu um poder para resolver uma contenda. O problema é que isso não foi explicado antes, então, foi um “deus ex machina” que o roteirista usou para resolver o problema. No capítulo seguinte, resolveram explicar porque ela adquiriu aqueles poderes. Isso é jogo sujo com a audiência. Simplesmente deram a ela um poder, de uma forma que não fora explicada anteriormente. Sim, é preciso explicar, dar as regras, mesmo que seja para quebrá-las depois. As cartas devem estar na mesa sempre.

 Fora que o personagem principal passa pelas fases da jornada do herói de forma rápida demais como, por exemplo, a aceitação dele pelos integrantes dos Touros. Bastou um desafio e todo mundo foi bater nas costas dele. Ele não precisou conquistar a confiança dos integrantes de maneira gradual, um por um. A série  prometia ser a sucessora de Naruto, mas está muito atrás dela e de Fairy Tail, que é outra obra que influencia Black Clover.  Sem contar como o personagem inicial torna-se irritante com seus gritos constantes.

Quem sabe a série mude e se desenvolva. Quero ser otimista e acreditar que a série irá melhorar com o tempo.  

Caso decida, pode assistí-los no Crunchyroll!

Postagens mais visitadas deste blog

Outros Papos Indica: O Cérebro que se Transforma

Norman Doidge é psiquiatra, psicanalista e pesquisador da Columbia University Center of Psychoanlytic Training and Research, em New York, e também psiquiatra da Universidade de Toronto (Canadá). Ele é o autor deste livro que indico a leitura. O livro, segundo o próprio editor, “reúne casos que detalham o progresso surpreendente de pacientes” que demonstram como o cérebro consegue ser plástico e mutável. Pacientes como Bárbara que, apesar da assimetria cerebral grave, na qual existia retardo em algumas funções e avanço em outras, conseguiu se graduar e pós-graduar. Um espanto para quem promove a teoria de que o cérebro humano é um órgão estático, com pouca ou nenhuma capacidade de se adaptar. “ Creio que a ideia de que o cérebro pode mudar sua própria estrutura e função por intermédio do pensamento e da atividade é a mais importante alteração em nossa visão desse órgão desde que sua anatomia fundamental e o funcionamento de seu componente básico, o neurônio, foram esboçados pela p

TOP 3 de séries que merecem remake!

 Existem muitas séries da década de 90, na minha opinião, que mereciam um remake (manter a obra original, apenas contando novamente a história, com a tecnologia atual disponível). Vou citar aqui 3 delas. Estas séries foram escolhidas, pois são séries que ainda mexem comigo, que ainda gosto e que ainda lembro delas como se tivesse as assistido ontem. Esse foi o critério de seleção para esse simples TOP 3, de séries da década de 90, que mereciam um remake.  Oh My Goddess A série mesmo começou em 1988, encerrando-se em 2014, contendo um total de 48 volumes. Ela entra na lista por conta do seu primeiro OVA, lançado em 1993, cabendo perfeitamente nessa lista. A animação realizada pelo studio AIC foi uma das mais belas que já vi e promoveu a criação de outras séries, sendo que a última, se não me engano, terminou em 2013, com outro OVA. Já se passaram quase 10 anos desde a sua conclusão. Um remake dessa série, contando-a do começo a o fim, seria uma ótima celebração. O mangá vendeu mais de 4

Antologia Scortecci 40 Anos!

Antologia para edição especial de aniversário de 40 anos da Scortecci editora, para a 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo (2022) e, enfim, para ser a edição comemorativa dos 100 anos da Semana de Arte Moderna. Como as poesias já fazem parte desse blog, não faria sentido reescrevê-las, então, deixo aqui cópias das páginas da minha colaboração. Foi uma honra poder ter participado de tão nobre edição comemorativa. Obrigado pela oportunidade.     Primeira parte: Segunda parte: