Pular para o conteúdo principal

O belo vive!

 O Belo vive;  Sonhos na neve;  Alma limpa!

Um testemunho de vida!

 Existe um conceito na comunicação que se chama ruído. Ruído é tudo que atrapalha o entendimento de uma mensagem e, assumindo minha incompetência, eu deixo que muitos ruídos atrapalhem a minha mensagem. Um desses ruídos, que é jogado na minha cara sempre (vejam o complemento desse texto, ainda nessa semana,) é sobre  os meus erros de português. Assumindo novamente minha incapacidade de gerar textos bons, começarei a testar funcionalidades de IAs que gerem revisão, reescrita e avaliação de textos. Como já avaliado na semana passada, meus textos raramente ultrapassam a média 7/10 e isso me causa angústia verdadeira. Não é bom o suficiente. É um sofrimento interno ocasionado por experiências passadas. Experiências que serão contadas durante essa semana inteira. Decepções, inclusive, com um editor. Ecos de dor que ainda ressoam em mim.

O uso das IAs será sempre em cima de textos escritos por mim, ora os reescrevendo, ora apenas os revisando, retirando deles o ruído, que é a minha incapacidade gramatical e ortográfica. Eu sou um incapaz e estou aceitando isso. Eu considero que o uso das IAs é um auxílio para a escrita tal qual um robô é um auxílio para um médico em uma cirurgia minimamente invasiva. O médico ainda está lá, apenas substituindo seus braços por peças mais precisas. E ainda estou aqui, apenas melhorando minhas letras com a ajuda da IA, afinal, não sou eu que importa, pois já admiti que não presto, mas o que importa é a mensagem sem ruídos. E com isso a IA pode me ajudar. Outro exemplo é a máquina que cuida da minha infusão, quando estou internado fazendo tratamento. É uma máquina que ministra a velocidade da infusão e evita problemas como bolhas no sangue. Quando ela detecta bolhas, ela para imediatamente o tratamento e soa um alarme. Quando o medicamento acaba, ela detecta e avisa com um alarme que o produto (imunoglobulinas) acabou. Então, minha vida já depende de uma máquina eficiente. O uso de uma IA também está nesse sentido. Um auxílio para uma escrita minha, assim como é o corretor ortográfico do Word. 



"Você não presta para nada"!

Texto reescrito pela CHATGPT-4.

---


Nesta quarta-feira, vou compartilhar um dos meus poemas que foi selecionado em um recente concurso literário da Editora Persona, cujo tema é a morte. O poema tem uma conexão profunda com um testemunho pessoal que estou compartilhando hoje e que já explorei no capítulo X do meu livro "Sob a Luz dos Ensinamentos Bíblicos". Na sexta-feira, darei mais detalhes sobre as condições de saúde que enfrento - tireoidite de Hashimoto e imunodeficiência comum variável - e como elas contribuíram para tornar minha jornada ainda mais desafiadora.


### Minha História


O entorno familiar de minha infância foi turbulento. A pessoa que mais influenciou minha vida naquele momento estava lutando contra uma doença mental grave, com sintomas de comportamento maníaco-depressivo. Este cenário dificultou minha educação formal, fazendo com que eu repetisse dois anos no ensino fundamental. O ambiente em casa e as palavras negativas que ouvi moldaram uma autoestima muito baixa em mim. Em situações de depressão, essa pessoa me dizia sempre que eu não prestava para nada.


### Desafios Escolares


A escola onde eu estudava, o INEI, também não era propícia para o meu desenvolvimento. Fui vítima de bullying, inclusive de colegas do sexo feminino, o que me inspirou a abordar esses temas em obras ainda inéditas, como o meu livro "Ritos".


### Virada de Jogo


Fui transferido para o Colégio Dom Bosco, onde finalmente encontrei algum alento e fiz amizades. A mudança de ambiente fez toda a diferença: não repeti mais nenhum ano e comecei a trilhar um caminho acadêmico bem-sucedido. Em 1995, passei no vestibular para Administração na A.E.U.D.F., em 1998 para Medicina Veterinária na UNIPLAC e, em 2001, para Comunicação Social com foco em Jornalismo no UNICEUB, curso que concluí em 2005 pelo IESB.


### Conquistas Profissionais


No campo profissional, também tenho orgulho de dizer que passei em um concurso muito concorrido para o Banco do Brasil em 2005, onde trabalhei até 2009. Além disso, fui aceito no curso de Direito e tive a honra de assistir aulas com figuras notáveis do campo jurídico.



### O Poder da Resiliência


Mesmo com todos os desafios pessoais e de saúde que enfrento, consegui me destacar em várias competições literárias e hoje sou membro da Câmara Brasileira do Livro. A minha jornada tem sido marcada por obstáculos, mas também por vitórias significativas que vão contra todas as expectativas que foram colocadas sobre mim.


### Mensagem Final


Então, a você que está lendo, eu digo: não desista. Mesmo quando as odds estão contra você, continue lutando. Cada pequeno sucesso é um diamante em seu caminho. E se eu, com todos os meus desafios, consegui alcançar tudo isso, você, com dedicação e esforço, pode ir ainda mais longe.


---



Postagens mais visitadas deste blog

Boushoku no Berserk

Berserk of Gluttony: Uma Série Que É Meu "Pecado"! Boushoku no Berserk (Berserk of Gluttony) - Pictures - MyAnimeList.net Fate é um jovem que acreditava ter uma habilidade inútil chamada "Gula", que o mantinha constantemente faminto. Ele era um vassalo em uma casa de cavaleiros sagrados, onde era tratado com desdém, nutrindo uma paixão secreta pela cavaleira Roxy Hart. Ela destaca-se como a única guerreira nobre em um mundo dominado por cavaleiros que abusam de seu poder para oprimir o povo. Quando Fate acidentalmente mata um ladrão enquanto ajuda Roxy, ele descobre que sua habilidade de "Gula" vai além do que parecia. Esse evento o faz perceber os aspectos positivos e negativos de seu "pecado". Comprometido a proteger Roxy, ele decide usar seu poder em prol da casa daquela que sempre o tratou com humanidade e respeito. Baseada em uma novel escrita por Ichika Isshiki , com arte de fame , "Berserk of Gluttony" é serializada desde 2017,

Outros Papos indica: Japanese Noodles Udon Soba Kyoto Hyogo

 Saboreiem! Um canal dedicado à culinária japonesa! Se gostarem, se inscrevam lá!

Traduções ideológicas

Hoje, no blog, não farei recomendações, mas sim uma sugestão. Há uma controvérsia em torno de alterações indesejadas em traduções e legendas de obras japonesas. Se os próprios japoneses começassem a traduzir e legendar seus animes para o Ocidente, essas distorções poderiam ser evitadas. Pergunto-me por que, até agora, os japoneses ainda não optaram por legendarem eles mesmos e disponibilizarem à venda discos com suas obras legendadas em outros idiomas. Isso certamente eliminaria o ruído ideológico e, sem dúvida, eu seria um dos consumidores da mídia física lançada por eles, com legendas "feitas em casa". Na administração, aprendemos que devemos apresentar não apenas os problemas, mas também as soluções. Portanto, considero essa a solução para o problema das alterações ideológicas em obras orientais.