segunda-feira, 9 de março de 2020

A polêmica restrição de 30 dias!


Streaming com delay de 30 dias

Darwin's Game from Aniplex


Algumas distribuidoras, incluindo a Aniplex, de propriedade da Sony, estão realizando contratos de distribuição de animês com um atraso de até 30 dias em relação à sua exibição na televisão. Ainda não está claro o motivo para isso, apenas algumas conclusões que estão sendo divulgadas em fóruns, dentre elas, que a Sony estaria privilegiando um de seus serviços de Streaming: Funimation. E isso é polêmico em vários sentidos e não parece ser uma decisão lógica. Vou explicar com mais cuidado esse tiro no pé.

Em primeiro lugar, essa decisão me parece muito estranha pois a Sony também é parceira da Crunchyroll, ou seja, além de ser dona da Funimation, a Sony é também ligada à Crunchyroll através da Aniplex. É ilógico que uma empresa, que visa o lucro, venha a cometer um erro de desprezar um serviço de alcance global como é o serviço da Crunchyroll, ou seja, desprezar toda uma base de assinantes.

Além disso, observo que o alcance do serviço privilegiado, Funimation, é menor do que o alcance da Crunchyroll. Não faço relação com a base de assinantes, mas falo sobre o alcance por região. A Crunchyroll está com uma melhor distribuição mundial do que a Funimation, que está restrita principalmente aos EUA e Canadá. Dessa maneira, ao manter uma série restrita à Funimation, a Sony está restringindo o alcance da própria série no mundo. Ela está diminuindo o público base da série. O que se pode observar disso é que a Funimation está disposta a arriscar-se para tentar aumentar a sua base de assinantes nas regiões em que atua, mas está diminuindo a audiência global de uma série.

E acredito que essa decisão esteja promovendo três coisas: o avanço da pirataria nas regiões em que as séries estejam restritas por 30 dias, afinal, muitos podem optar por assistir às séries de forma ilegal; o desinteresse do público que, por causa de um atraso de um mês, pode vir a perder o interesse por assistir a essa série e, dessa maneira, reduzir a audiência potencial do seriado; por fim, a raiva do público atingido pela restrição. Nunca se irrita um cliente. O Brasil é um dos países atingidos pela restrição e somos o 4º maior mercado por assinantes que a Crunchyroll possui (dados revelados pela própria Crunchyroll durante o Anime Friends 2019).  Imaginem a quantidade de pessoas que estavam querendo assistir a Darwin’s Game, por exemplo, e que foram impedidas por causa de uma restrição contratual? Será que ficaram felizes com isso?

O motivo inicial que se pregava para assinar um serviço de streaming era o apoio ao produtor oficial de conteúdo e, agora, que o produtor oficial, através de um contrato de distribuição como esse, diz ao público que eles veem um norte-americano com mais valia do que um latino americano, como fica essa relação de confiança? É mais um tiro no pé que pode abalar a relação que se tenta construir diariamente (produtor-serviço- cliente).

E a Aniplex não está realizando esses contratos prejudiciais apenas com séries pequenas, afinal, Fate também entrou nessa e é uma das maiores franquias que se tem hoje em dia. Como eu assisti alguns capítulos com o delay, eu posso comentar que é desestimulante, pois, enquanto outros países festejam o término de um combate, na série, nós estamos entrando no primeiro confronto. Isso é um balde de água fria para muitas pessoas. Eu mesmo abandonei a série por conta disso e não sei se vou assistir a Darwin’s Game.

Isso me lembrou uma coisa da guerra de consoles: sonystas alegam que console vende por conta de exclusivos, não levando em conta outros fatores determinantes como, por exemplo, estabilidade da plataforma, melhores preços e melhores serviços. E, ao ver, pelos dados da própria Sony, que os jogos mais vendidos são multiplataforma, sendo que Minecraft liderou, ano passado, em vendas em muitos meses, prova o quão errada é essa ideia. Aliás, no mês de fevereiro, o jogo mais vendido foi FIFA. Será que a Sony pegou essa ideia absurda e a está levando para o streaming? Tomara que não, pois isso vai matar a confiança do público nos serviços de streaming.

Conclusão

Se a Sony permanecer nesse erro, estará minando a base de clientes dos serviços de streaming, irritando público e destruindo a própria plataforma Funimation e, também, estará diminuindo o alcance de muitas séries, tirando renda do produtor. E o prazo de 30 dias é um absurdo! Eu espero que a Crunchyroll consiga quebrar/renegociar esses contratos e impedir uma implosão do próprio sistema pela revolta do público. E é impressionante como uma empresa consegue gerar tanto atrito assim, como a Sony gera.       

Poemas no Twitter III

 Enfim, o último poema lançado no Twitter e fechando essa semana.