Pular para o conteúdo principal

O belo vive!

 O Belo vive;  Sonhos na neve;  Alma limpa!

Lula inelegível!


No dia 31 de agosto de 2018, iniciou-se o julgamento do pedido de registro de candidatura do Lula. Julgamento que se encerrou na madrugada do dia primeiro de setembro de 2018. O TSE[1] assim determinou:

O Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) indeferiu, por maioria de votos (6 a 1), o registro de candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para disputar as eleições à Presidência da República em outubro. A decisão seguiu o entendimento do relator do pedido na Corte, ministro Luís Roberto Barroso, que declarou a inelegibilidade de Lula com base na Lei da Ficha Limpa.

Também por maioria (5 a 2), o colegiado decidiu facultar à Coligação O Povo Feliz de Novo (PT/PCdo B/Pros) a substituição de seu candidato a presidente no prazo de 10 dias. Os ministros proibiram a Lula a prática de atos de campanha, incluindo a veiculação de propaganda eleitoral no rádio, na televisão e em outros meios de difusão de informação, como internet e redes sociais, até que ocorra sua eventual substituição. Os ministros também determinaram a retirada do nome do ex-presidente da República da programação da urna eletrônica de votação.”

O advogado Luciano Santos, um dos idealizadores da Lei da Ficha Limpa, comentou o julgamento do TSE e, segundo o Antagonista[2], afirmou: “Não cabe ao TSE analisar se a condenação dele foi correta, mas somente aplicar a lei. Considero que a aplicação da Ficha Limpa nesse caso foi justa. A lei se aplica ao candidato a vereador de Bora (SP), que pode ter 20 votos, ao candidato a presidente que tenha 40% das intenções de voto. Todos são cidadãos iguais, caso contrário, teríamos cidadãos de categorias diferentes.”

Como já escrevi nas redes sociais, e aqui repito, este julgamento foi um absurdo, pois foi criada toda uma circunstância para definir algo tão óbvio, que é a inelegibilidade do Lula. Ele estava e está inelegível segundo a Lei da Ficha Limpa e nada poderia salvá-lo. Bastava ao TSE referendar o que todos já sabiam e esperavam com ansiedade. Entretanto, todo esse espetáculo cansativo foi proveitoso, pois reforçou o domínio das leis e demonstrou que o Brasil ainda possui um ordenamento jurídico a ser seguido.

Tivemos um susto, porém, antes de se chegar a este resultado. Fachin demonstrou que dormiu nas aulas de Direito Internacional e tentou forçar um entendimento escabroso sobre o parecer da ONU. Sobre este tema, recomendo a leitura do voto do ministro Barroso, que escancarou a verdade sobre este episódio. Em resumo, mesmo que o parecer fosse legal, ele não poderia ser seguido com força de lei, pois iria contra o princípio da Soberania Nacional. Quando duas normas entram em conflito, o operador do Direito escolhe pela norma com maior hierarquia dentro do ordenamento. Não existe nada maior que a Soberania Brasileira e a autodeterminação dos povos.


Desta forma, quero acreditar que tenha se encerrado este episódio macabro da história brasileira, no qual um criminoso condenado em segunda instância desejou ser presidente do Brasil. E faço aqui um apelo novamente: não votem em socialistas. Para eles, o Estado é ferramenta de dominação do indivíduo e serve unicamente para proteger a sua laia.


Apoio de Lula

Após o fim do julgamento, cogitaram a possibilidade de Lula apoiar candidatos e aparecer como figurante, tentando indica-los para o eleitor. Sobre isso, acredito que todos fugirão deste embuste. Nenhum eleitor equilibrado votaria em candidato que tivesse apoio do maior ladrão do país e isto já ficou evidente pela taxa de rejeição que Lula possui. Segundo muitas pesquisas divulgadas, e que deixo aqui um exemplo, 54% dos eleitores  nunca votariam no Lula, portanto, agrega-lo à imagem é danoso para qualquer um. Isto será mais um tiro no pé da esquerda.


Paraná Pesquisas
http://www.paranapesquisas.com.br/wp-content/uploads/2017/09/Sem-t%C3%ADtulo754.png



Conclusão

Apesar dos sustos, a justiça eleitoral se manteve em pé. Lula caiu como deveria ter caído e espero que este episódio tenha se encerrado. Que as eleições cheguem e que o povo possa votar em paz, pelo bem do país, sem ser enganado por falácias e mentiras da esquerda.






[1] TSE: <http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2018/Setembro/tse-indefere-pedido-de-registro-de-candidatura-de-lula-a-presidencia-da-republica>
[2] Antagonista: <https://www.oantagonista.com/brasil/idealizador-da-ficha-limpa-diz-que-lei-foi-bem-aplicada-no-tse/>

Postagens mais visitadas deste blog

Boushoku no Berserk

Berserk of Gluttony: Uma Série Que É Meu "Pecado"! Boushoku no Berserk (Berserk of Gluttony) - Pictures - MyAnimeList.net Fate é um jovem que acreditava ter uma habilidade inútil chamada "Gula", que o mantinha constantemente faminto. Ele era um vassalo em uma casa de cavaleiros sagrados, onde era tratado com desdém, nutrindo uma paixão secreta pela cavaleira Roxy Hart. Ela destaca-se como a única guerreira nobre em um mundo dominado por cavaleiros que abusam de seu poder para oprimir o povo. Quando Fate acidentalmente mata um ladrão enquanto ajuda Roxy, ele descobre que sua habilidade de "Gula" vai além do que parecia. Esse evento o faz perceber os aspectos positivos e negativos de seu "pecado". Comprometido a proteger Roxy, ele decide usar seu poder em prol da casa daquela que sempre o tratou com humanidade e respeito. Baseada em uma novel escrita por Ichika Isshiki , com arte de fame , "Berserk of Gluttony" é serializada desde 2017,

Outros Papos indica: Japanese Noodles Udon Soba Kyoto Hyogo

 Saboreiem! Um canal dedicado à culinária japonesa! Se gostarem, se inscrevam lá!

Traduções ideológicas

Hoje, no blog, não farei recomendações, mas sim uma sugestão. Há uma controvérsia em torno de alterações indesejadas em traduções e legendas de obras japonesas. Se os próprios japoneses começassem a traduzir e legendar seus animes para o Ocidente, essas distorções poderiam ser evitadas. Pergunto-me por que, até agora, os japoneses ainda não optaram por legendarem eles mesmos e disponibilizarem à venda discos com suas obras legendadas em outros idiomas. Isso certamente eliminaria o ruído ideológico e, sem dúvida, eu seria um dos consumidores da mídia física lançada por eles, com legendas "feitas em casa". Na administração, aprendemos que devemos apresentar não apenas os problemas, mas também as soluções. Portanto, considero essa a solução para o problema das alterações ideológicas em obras orientais.