Pular para o conteúdo principal

Liberdade Econômica X Prosperidade

Países ricos e liberdade econômica!

Vou deixar dois links aqui e vou relacionar bem rápido as duas listas.

Liberdade Econômica – Heritage Institute
Ranking da Prosperidade – Legatum Institute

Na primeira lista, temos os países com maior liberdade econômica, ou seja, com menor interferência do Estado. Veja abaixo a imagem, mas recomendo entrar em ambos os sites para ver mais informações. Os dois primeiros países merecem destaque, pois podem dar uma indevida ideia sobre a atuação do Estado, por isso, escrevo em especial sobre eles.



Hong Kong (clique) tem apenas 3,3% da população ativa desempregada e 56 mil dólares de renda per capta. Como foi colônia do Reino Unido, ele segue um sistema chamado “um país, dois sistemas”, após ter sido devolvido para a China. Segue: “Hong Kong became part of the People’s Republic of China (PRC) in 1997. Under the “one country, two systems” agreement, China promised not to impose its socialist policies on Hong Kong and to allow Hong Kong a high degree of autonomy in all matters except foreign and defense policy for 50 years.”

Singapore (clique) é uma democracia com sistema republicano parlamentarista unicameral. Foi colônia do Japão e do Reino Unido, tornando-se independente de fato em 1965. Segue: “Singapore is a democratic state that has been ruled by only one party, the People’s Action Party (PAP), since independence in 1965. In the September 2015 election, the PAP won 83 of the 89 parliamentary seats and 69.9 percent of the vote. Prime Minister Lee Hsien Loong has led the government since 2004. Certain civil liberties, such as freedom of assembly and freedom of speech, remain restricted, but the PAP has embraced economic liberalization and international trade. Singapore is one of the world’s most prosperous nations. Its economy is dominated by services, but the country is also a major manufacturer of electronics and chemicals.”

Como veem em ambos os exemplos, quando o Estado coloca a mão em algo, existe uma retração, até na liberdade de expressão. Quando o Estado deixa a economia livre, ela prospera como nação. Ambos os países tem IDHs ótimos e, portanto, são países também bem relacionados na lista dos mais ricos. Singapore em 19º lugar e Hong Kong em 23º lugar no ranking. Caso tenha dúvidas sobre o governo de algum país, entre no site e veja os fatos clicando no país que desejar.


Aqui a lista dos 15 mais ricos países do mundo!





E chegamos na lista para a comparação. Percebam que na lista dos países mais ricos do mundo estão quase todos os países com maior liberdade econômica? Dos 15 países na lista, 10 estão no ranking de maiores liberdades econômicas. Vejam os dois quadros lado a lado e perceberão que falo a verdade. Quanto mais o Estado tenta interferir na economia, menos próspera é a nação. Adam Smith já havia dito que “o que vai gerar a riqueza das nações é o fato de cada indivíduo procurar o seu desenvolvimento e crescimento econômico pessoal", então, quando o Estado machuca o equilíbrio econômico com alguma interferência, tira do povo a capacidade de procurar seu desenvolvimento pessoal e, logo, empobrece o país. A relação entre Liberdade Econômica X Prosperidade torna-se verdadeira. Possivelmente, você pode ter ouvido sobre o mito do socialismo da Suécia. Deixo aqui um texto com vídeo e um vídeo para te esclarecer sobre o tema.

Gazeta do Povo: Sueco derruba o mito do socialismo que deu certo em um minuto




Continuando, os países mais ricos e com maior liberdade econômica são, por óbvio, os países com excelentes níveis de IDH. É o capitalismo “malvadão” que faz o povo sorrir, pois estes mesmos países aparecem em uma lista peculiar. Veja-a abaixo.


Conclusão




Postagens mais visitadas deste blog

Outros Papos Indica: O Cérebro que se Transforma

Norman Doidge é psiquiatra, psicanalista e pesquisador da Columbia University Center of Psychoanlytic Training and Research, em New York, e também psiquiatra da Universidade de Toronto (Canadá). Ele é o autor deste livro que indico a leitura. O livro, segundo o próprio editor, “reúne casos que detalham o progresso surpreendente de pacientes” que demonstram como o cérebro consegue ser plástico e mutável. Pacientes como Bárbara que, apesar da assimetria cerebral grave, na qual existia retardo em algumas funções e avanço em outras, conseguiu se graduar e pós-graduar. Um espanto para quem promove a teoria de que o cérebro humano é um órgão estático, com pouca ou nenhuma capacidade de se adaptar. “ Creio que a ideia de que o cérebro pode mudar sua própria estrutura e função por intermédio do pensamento e da atividade é a mais importante alteração em nossa visão desse órgão desde que sua anatomia fundamental e o funcionamento de seu componente básico, o neurônio, foram esboçados pela p

TOP 3 de séries que merecem remake!

 Existem muitas séries da década de 90, na minha opinião, que mereciam um remake (manter a obra original, apenas contando novamente a história, com a tecnologia atual disponível). Vou citar aqui 3 delas. Estas séries foram escolhidas, pois são séries que ainda mexem comigo, que ainda gosto e que ainda lembro delas como se tivesse as assistido ontem. Esse foi o critério de seleção para esse simples TOP 3, de séries da década de 90, que mereciam um remake.  Oh My Goddess A série mesmo começou em 1988, encerrando-se em 2014, contendo um total de 48 volumes. Ela entra na lista por conta do seu primeiro OVA, lançado em 1993, cabendo perfeitamente nessa lista. A animação realizada pelo studio AIC foi uma das mais belas que já vi e promoveu a criação de outras séries, sendo que a última, se não me engano, terminou em 2013, com outro OVA. Já se passaram quase 10 anos desde a sua conclusão. Um remake dessa série, contando-a do começo a o fim, seria uma ótima celebração. O mangá vendeu mais de 4

Antologia Scortecci 40 Anos!

Antologia para edição especial de aniversário de 40 anos da Scortecci editora, para a 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo (2022) e, enfim, para ser a edição comemorativa dos 100 anos da Semana de Arte Moderna. Como as poesias já fazem parte desse blog, não faria sentido reescrevê-las, então, deixo aqui cópias das páginas da minha colaboração. Foi uma honra poder ter participado de tão nobre edição comemorativa. Obrigado pela oportunidade.     Primeira parte: Segunda parte: