Pular para o conteúdo principal

OP indica TBS no Youtube

Revisão: ChatGPT A Salad Bowl of Eccentrics! Indico mais um canal japonês com uma abertura realmente boa, embora não tenha conseguido uma posição de destaque na minha lista. Ela é divertida e um tanto alucinada. Achei criativo como os personagens animados interagem com o ambiente real, chegando a interferir nas funções de algumas máquinas. Também gostei muito do segmento ao estilo detetive/investigação policial que apresenta alguns personagens. É bastante excêntrico ver uma personagem feminina cantando um trecho da abertura, mas a voz que se ouve é do cantor oficial. Sem dúvida, é uma abertura muito criativa! Está sendo uma temporada bastante criativa! Ah, OP é Outros Papos! 【Elenco】 Sousuke Kaburaya: Makoto Furukawa Sara da Odin: Hina Yano Livia de Uudis: M・A・O Puriketsu: Haichi Daichi Mikami Moe: Akane Fujita Brenda Aizaki: Manami Numakura Yuna Naganawa: Yuuki Takada Haruka Kinoe: Mizuki Mano Isao Kusanagi: Yoji Ueda Takeo: Shinnosuke Tachibana Suzuki: Kousuke Toriumi 【Músicas Temáti

Análise Dracula Untold- 2014


Dracula Untold (2014)



O filme tem um consenso, encontrado no site Rotten Tomatoes, que define o filme como uma obra que não é ruim, mas também não chega a ser boa o suficiente para fazer jus ao icônico conde. Eu decidi assistir a esta obra no Netflix, pois foi adicionada recentemente.

O filme não é uma adaptação até onde sei e tem como proposta contar a história do conde antes do que foi escrito por Bram Stoker, ou seja, não compete nem mesmo com a literatura que consagrou o personagem. É algo bastante livre, desde que não entre em temas relacionados diretamente com o livro e que entregue o personagem na mesma situação na qual ele foi iniciado na literatura.

Ao analisar isto, percebi que é fácil fazer um prequel, desde que se respeite as duas regras mencionadas no parágrafo anterior. O “Urobutcher”, então, teve vida fácil, pois respeitou de maneira decente a obra original da franquia Fate. Está bem, a frase anterior foi apenas uma provocação. Voltando ao filme em questão, Matt Sazama e Burk Sharpless (roteiristas do filme) também fizeram um trabalho decente, com poucas falhas.



Algumas falhas foram relevantes. Quem conhece a história, sabe que Dracul foi o vampiro original, rejeitando a luz e a salvação por causa de seu ódio pela morte de seu amor. Viveria para sempre nas trevas, se alimentando do sangue dos filhos de Deus, até reencontrar a reencarnação de seu amor. No filme, a maldição do morto-vivo é passada para ele por outro amaldiçoado. Talvez tenha sido o erro mais grave.  Outro erro menor é ter feito Dracul muito parecido com um herói, ao invés de um monstro. Ele está mais para um “Monstro do Pântano” do que para um “Batman”, mas, no filme, essa relação está invertida. Entretanto, não são falhas que te farão desligar a internet, ou jogar a televisão pela janela, como eu quase fiz ao ver a porcaria que fizeram com Chain Chronicle (desculpa, Pirika, seu capitão não conseguiu te salvar). Chain Chronicle, que lixo! X(~



 E, então, surgem os pontos fortes que te farão ficar interessado até o fim do filme. O primeiro deles é a boa qualidade de diálogos. Muita frase bem estruturada, com efeito e colocada no momento certo da narrativa. É uma loucura como gostei disso nesse filme. Cada frase mesclava muito bem com a ação seguinte. O segundo ponto forte do filme é a fotografia. Com muita sombra, os amaldiçoados pareciam realmente assustadores. O filme apela para tons escuros e mantêm um clima sombrio e tenso com isso. O terceiro ponto forte são todas as cenas de ação mostrando os dons das trevas. Está certo que, por vezes, parecia o Batman, mas o dom amaldiçoado, por vezes discreto, estava bem empregado. O quarto ponto forte é a relação dos personagens que fica bem, muito bem, ambientada. Dá para ver que a relação familiar é genuína e isso mostra quanto ódio uma morte pode gerar. Um ponto para os atores escolhidos que me fizeram acreditar que eles eram uma família.

Tudo isso estava bem misturado e me propiciou um agradável momento em frente à televisão e ainda entregaram Dracul intacto para o livro. Foi muito bem elaborado. Adorei ter assistido e se você ainda não viu, vai até o Netflix, o filme está por lá!   

Postagens mais visitadas deste blog

Ghost in the Shell

Máquinas vivas; Um fantasma surge; O homem virtual. Ghost in the Shell está mais próximo do que pensamos! 

Boushoku no Berserk

Berserk of Gluttony: Uma Série Que É Meu "Pecado"! Boushoku no Berserk (Berserk of Gluttony) - Pictures - MyAnimeList.net Fate é um jovem que acreditava ter uma habilidade inútil chamada "Gula", que o mantinha constantemente faminto. Ele era um vassalo em uma casa de cavaleiros sagrados, onde era tratado com desdém, nutrindo uma paixão secreta pela cavaleira Roxy Hart. Ela destaca-se como a única guerreira nobre em um mundo dominado por cavaleiros que abusam de seu poder para oprimir o povo. Quando Fate acidentalmente mata um ladrão enquanto ajuda Roxy, ele descobre que sua habilidade de "Gula" vai além do que parecia. Esse evento o faz perceber os aspectos positivos e negativos de seu "pecado". Comprometido a proteger Roxy, ele decide usar seu poder em prol da casa daquela que sempre o tratou com humanidade e respeito. Baseada em uma novel escrita por Ichika Isshiki , com arte de fame , "Berserk of Gluttony" é serializada desde 2017,

Ciclos de revolução: A Quarta Revolução!

Ciclos de Revolução: A Quarta Revolução Revisão: ChatGPT Estamos vivenciando a quarta revolução industrial/tecnológica, e muito tem sido discutido sobre os potenciais danos que esta revolução pode causar ao tecido social, incluindo desemprego e outras adversidades. Procuro refletir sobre o futuro com base no passado, observando no presente os mesmos receios que nossos antepassados enfrentaram nas três revoluções industriais anteriores. Começo com uma conversa que tive com uma taxista, para então discorrer sobre algumas das revoluções passadas. Durante uma parada em uma lanchonete que estava instalando terminais de autoatendimento no último ano, tive uma conversa: “Taxista: --- Estão instalando essas máquinas para substituir trabalho humano. Muitos caixas estão perdendo seus empregos. Isso é o capitalismo! Eu: --- Por outro lado, a tecnologia, ao eliminar um posto de trabalho (caixa de atendimento), cria outras necessidades. A lanchonete precisará de profissionais para manutenção de sof