Pular para o conteúdo principal

Crunchyroll mangá

Aplicativo de leitura



O Crunchyroll (CR) tornou-se um centro de entretenimento mais diversificado e, por assim dizer, mais completo. À época do início de sua expansão para o Brasil e América Latina, ele nos trouxe animês e dramas japoneses. Fixando-se em nosso território, além de aumentar o acervo de títulos, iniciou a legendagem deles em português. Em um momento mais recente, o CR abriu uma seção de quadrinhos japoneses (mangá), além de criar um novo site para o KDrama (dramas asiáticos). A expansão é evidente em todos os aspectos, inclusive com o oferecimento de vagas para a área de marketing (clique aqui e veja).


Como já analisei o CR em dois momentos (06 deabril, e também em 06 de novembro) gostaria de complementar estas análises com o novo serviço de leitura digital de mangás oferecido pelo Crunchyroll. Será uma análise rápida em dois aspectos: Quantidade de Títulos e Disponibilidade para leitura.



A quantidade está em um nível interessante, pois possui inúmeros títulos para nossa região. O CR possui mais título, hoje, que muitas editoras tradicionais. Acho que o fato da plataforma ser eletrônica acaba por facilitar o aumento do acervo. A distribuição do CR por diversas regiões, bem como seus contatos, acabam por facilitar a vinda de títulos para o seu serviço. Acredito, também, que tanto o CR, como uma editora convencional, realizam contratos de serviço de tradução, diagramação, revisão e outros que forem necessários para a venda de seus mangás. O que difere é que, em uma editora tradicional, o serviço de gráfica, além de oneroso, demanda tempo, já na plataforma digital, basta atualizar o serviço e “upar” o arquivo para a plataforma. Também não existe a necessidade de se criar cópias para a venda em bancas. Tudo é eletrônico, portanto, mais barato. Não apenas isso, a quantidade de títulos pode ser fruto de um grande investimento na área. E a quantidade de títulos não seria nada se não houvesse algum “carro chefe” de vendas. Para nossa região, temos Attack on Titan, Fairy Tail, Space Brothers, Arpeggio e outros títulos interessantes. Infelizmente, ainda não estão em português, mas acredito que isso seja uma questão de tempo, pois foi exatamente assim no início dos outros serviços ofertados.






A disponibilidade para a leitura é outro ponto forte. Além do serviço estar disponível na plataforma “convencional”, isto é, para PCs, ele pode ser lido em aplicativos disponíveis na Play Store e na App Store da Apple (Android e Iphone). Isso significa que podemos ter acesso aos títulos em qualquer ocasião. Ao ter uma oportunidade, basta acionar o app, escolher o título e ler. O serviço nos deixa marcar alguns mangás como “favoritos” e isso facilita ao tentar acha-los dentro do acervo, pois os mesmos ficam separados dos outros. E roda bem. Mesmo em lugares aonde o sinal é fraco, o mangá abre e a leitura é fácil.



A conclusão que cheguei é que o serviço é muito bom e, por isso, uma excelente oportunidade. Basta uma assinatura em algum dos planos abaixo para se ter o acesso a ele e começar a ler bons mangás em qualquer lugar que queira.    


Postagens mais visitadas deste blog

Outros Papos Indica: O Cérebro que se Transforma

Norman Doidge é psiquiatra, psicanalista e pesquisador da Columbia University Center of Psychoanlytic Training and Research, em New York, e também psiquiatra da Universidade de Toronto (Canadá). Ele é o autor deste livro que indico a leitura. O livro, segundo o próprio editor, “reúne casos que detalham o progresso surpreendente de pacientes” que demonstram como o cérebro consegue ser plástico e mutável. Pacientes como Bárbara que, apesar da assimetria cerebral grave, na qual existia retardo em algumas funções e avanço em outras, conseguiu se graduar e pós-graduar. Um espanto para quem promove a teoria de que o cérebro humano é um órgão estático, com pouca ou nenhuma capacidade de se adaptar. “ Creio que a ideia de que o cérebro pode mudar sua própria estrutura e função por intermédio do pensamento e da atividade é a mais importante alteração em nossa visão desse órgão desde que sua anatomia fundamental e o funcionamento de seu componente básico, o neurônio, foram esboçados pela p

TOP 3 de séries que merecem remake!

 Existem muitas séries da década de 90, na minha opinião, que mereciam um remake (manter a obra original, apenas contando novamente a história, com a tecnologia atual disponível). Vou citar aqui 3 delas. Estas séries foram escolhidas, pois são séries que ainda mexem comigo, que ainda gosto e que ainda lembro delas como se tivesse as assistido ontem. Esse foi o critério de seleção para esse simples TOP 3, de séries da década de 90, que mereciam um remake.  Oh My Goddess A série mesmo começou em 1988, encerrando-se em 2014, contendo um total de 48 volumes. Ela entra na lista por conta do seu primeiro OVA, lançado em 1993, cabendo perfeitamente nessa lista. A animação realizada pelo studio AIC foi uma das mais belas que já vi e promoveu a criação de outras séries, sendo que a última, se não me engano, terminou em 2013, com outro OVA. Já se passaram quase 10 anos desde a sua conclusão. Um remake dessa série, contando-a do começo a o fim, seria uma ótima celebração. O mangá vendeu mais de 4

Antologia Scortecci 40 Anos!

Antologia para edição especial de aniversário de 40 anos da Scortecci editora, para a 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo (2022) e, enfim, para ser a edição comemorativa dos 100 anos da Semana de Arte Moderna. Como as poesias já fazem parte desse blog, não faria sentido reescrevê-las, então, deixo aqui cópias das páginas da minha colaboração. Foi uma honra poder ter participado de tão nobre edição comemorativa. Obrigado pela oportunidade.     Primeira parte: Segunda parte: