Pular para o conteúdo principal

OP indica TBS no Youtube

Revisão: ChatGPT A Salad Bowl of Eccentrics! Indico mais um canal japonês com uma abertura realmente boa, embora não tenha conseguido uma posição de destaque na minha lista. Ela é divertida e um tanto alucinada. Achei criativo como os personagens animados interagem com o ambiente real, chegando a interferir nas funções de algumas máquinas. Também gostei muito do segmento ao estilo detetive/investigação policial que apresenta alguns personagens. É bastante excêntrico ver uma personagem feminina cantando um trecho da abertura, mas a voz que se ouve é do cantor oficial. Sem dúvida, é uma abertura muito criativa! Está sendo uma temporada bastante criativa! Ah, OP é Outros Papos! 【Elenco】 Sousuke Kaburaya: Makoto Furukawa Sara da Odin: Hina Yano Livia de Uudis: M・A・O Puriketsu: Haichi Daichi Mikami Moe: Akane Fujita Brenda Aizaki: Manami Numakura Yuna Naganawa: Yuuki Takada Haruka Kinoe: Mizuki Mano Isao Kusanagi: Yoji Ueda Takeo: Shinnosuke Tachibana Suzuki: Kousuke Toriumi 【Músicas Temáti

Cavaleira ou Amazona? Veja a resposta!

Amazona ou Cavaleira?

    Em meu tempo de colégio, nas décadas de 80 e 90, nos foi ensinado que o feminino de cavaleiro seria amazona. Em uma prova, um colega marcou o feminino de cavaleiro sendo cavaleira e foi repreendido. Desta forma, fixei amazona como o feminino correto para o termo em questão, ou seja, mulher que anda a cavalo. Ao assistir Walkure Romanze, eu me deparei com a palavra cavaleira e me questionei. Inclusive, alertei-os para a forma que eu julgava correta, mas sem retorno positivo. Deste modo, fui pesquisar para ver se a expressão estaria correta.

Walkure Romanze- exibido no Brasil pelo Crunchyroll


    Nestas pesquisas, encontrei um professor que prontamente me respondeu a esta questão. O caso estava solucionado com uma bela lição que, agora, repasso a vocês. Com a palavra o professor Ari Riboldi.

    No meu tempo de estudante, no ensino primário e no ginásio, também se aprendia assim: cavaleiro (masc.), amazona (fem); cavalheiro (masc.), dama (fem.). No entanto, os dicionários registram o termo 'cavaleira' - com a função morfológica de adjetivo e com o significado de "mulher que anda a cavalo; amazona". 
    Esse registro pode ser encontrado em dicionários mais antigos, como o "Dicionário contemporâneo da Língua Portuguesa", Caldas Aulete, de 1964: "Cavaleira.s.f. dama que sabe e costuma andar a cavalo; amazona; ..."  Do "Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa", 5ª edição, de 2010, consta: "Cavaleira [De cavalo + eira.] S.f. Amazona (2)". O Vocabulário Ortográfico da Língua Poruguesa (Volp), da Academia Brasileira de Letras, 5ª edição, de 2009, elaborado com a grafia conforme o recente Acordo Ortográfico - assinado entre os países de Língua Portuguesa  e com vigência obrigatória adiada para o início de 2016 no Brasil - contém: "cavaleira s.f."
   A rigor, o termo 'cavaleira' deveria ser empregado na função de adjetivo: mulher cavaleira. A tendência, porém, é a de substantivar o adjetivo, como ocorre no masculino, simplificando a forma de falar e de escrever: cavaleiro e cavaleira, em vez de homem cavaleiro e mulher cavaleira.
   Em muitos casos, o uso atropela a gramática e os dicionários. É o caso de 'poeta' e 'poetisa'. Sempre se aprendeu: masculino - poeta; feminino - poetisa. É assim que ainda consta dos dicionários e também do Volp, com forma para o masculino e forma para o feminino. A prática é bem outra. O substantivo 'poeta', no dia a dia, é comum de dois gêneros: o poeta; a poeta. Nesse caso, a norma é ignorada ou, melhor dizendo, os dicionários não se adaptaram ainda à evolução da linguagem, em constante mudança e evolução.
 
   Não tenho publicações sobre a norma gramatical, mesmo assim não fujo de dar minha opinião, sempre com base em gramáticas, dicionários e na realidade. A língua não é estanque. Está sempre em processo de mudança, de evolução, começando sempre pela linguagem falada, passando depois para a escrita. A meu ver, em poucos anos, deverá predominar a grafia 'cavaleira', até porque 'cavaleiro' tem a função de adjetivo e também de substantivo. Além disso, fica mais fácil de gravar e até para os processos de tradução automática. Dentro de um espírito de economia de linguagem e de simplificação, 'cavaleira' é uma grafia coerente e prática.

Fate Zero: Saber



Curiosidade

    A origem da palavra Cavaleiro, segundo o professor Riboldi vem do latim “caballarius”, escudeiro, derivado de “caballus”, cavalo destinado ao trabalho.


Sobre o autor

    Professor Ari Riboldi é natural de Silva Jardim, Serafina Corrêa-RS, é filho dos agricultores Vitório e Ângela Riboldi, de uma família de 9 irmãos. Casado com Maria de Lourdes Imperico, tem a filha Camila.  Desde 1977, desempenha as funções de docente, em Porto Alegre, na rede pública e privada de ensino. Técnico concursado do MEC, exerceu a função de Secretário e de Direção de Assessoramento Superior na Delegacia do MEC/RS. Foi professor do Colégio Diocesano São Francisco, do Colégio São Manuel.  Professor concursado da Prefeitura de Porto Alegre, lecionou na EMEB Liberato S. V. da Cunha, em 1987, e, por 18 anos, na EMEF Leocádia Felizardo Prestes. A partir de 2006, passou a trabalhar na Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Educação, na qual também é revisor de publicações.


OBRAS

 A CPI das Palavras, origem de palavras e expressões da linguagem política, em 2006, com segunda edição revisada e ampliada em 2008, publicação independente. 

O Bode Expiatório, origem de palavras, expressões e ditados populares com nomes de animais, em 2007, já em terceira edição. A obra deu reconhecimento nacional ao autor, a ponte de ser entrevistado pelo Programa Jô Soares, a convite da Rede Globo de Televisão, em 25/12/2007, quando falou sobre seus livros e, a pedido da produção, fez uma galinha dormir, para estupefação dos telespectadores.

Cabeça-de-Bagre, termos, expressões e gírias do futebol, em 2008.

O Bode Expiatório 2, origem de palavras, expressões e ditados populares com nomes de animais, em 2009.

O Bode Expiatório 3, origem de expressões e ditados com nomes de partes do corpo humano, de vegetais, de minerais e outras fontes, em 2013.

Autoria do professor Ari Riboldi


    Sobre o Bode Expiatório 3, o livro tem uma premissa interessante a apresenta-se desta forma, segundo as palavras do professor Ari: “Após exaustiva pesquisa, sinto-me gratificado com a publicação do terceiro volume de O Bode Expiatório. Os dois primeiros livros explicam a origem de expressões e ditados com nomes de animais. Este volume 3 versa sobre as inúmeras expressões e ditados populares com nomes de partes do corpo humano,  de vegetais, de minerais e outras fontes.

    A minha tarefa é a de registrar e, especialmente, a de resgatar a origem, buscar a explicação, lógica ou não, para o seu emprego. Não tenho e nunca tive a pretensão de ser o dono da verdade. Meu propósito é apresentar a versão ou as várias versões acerca da origem dessas expressões, com base na observação, na pesquisa bibliográfica de estudiosos consagrados e no depoimento de especialistas e das pessoas simples do povo. Como as expressões não possuem um registro formal de origem, uma certidão de nascimento, busca-se a fonte em lendas, tradições e costumes, o que leva a falar mais sobre a forma de seu uso do que propriamente acerca da sua gênese. Os ditados, por sua vez, são baseados em usos e costumes e reproduzem o senso comum. Por isso mesmo, podem conter rara sabedoria e velados preconceitos. O conhecimento desmistifica e aproxima da verdade.

    As pesquisas de linguagem levam a reverenciar o passado e a melhor compreender o presente. As palavras são fascinantes. Na sua história, carregam a alma humana.  Refletem os sentimentos e a cultura de um povo. Traduzem os caminhos percorridos pela humanidade. Estou falando de uma linguagem viva, espelho do cotidiano, pura como água da nascente. Uma boa viagem a todos neste maravilhoso mundo”.


Este último trabalho está à venda nas livrarias Saraiva (clique).

Postagens mais visitadas deste blog

Ghost in the Shell

Máquinas vivas; Um fantasma surge; O homem virtual. Ghost in the Shell está mais próximo do que pensamos! 

Boushoku no Berserk

Berserk of Gluttony: Uma Série Que É Meu "Pecado"! Boushoku no Berserk (Berserk of Gluttony) - Pictures - MyAnimeList.net Fate é um jovem que acreditava ter uma habilidade inútil chamada "Gula", que o mantinha constantemente faminto. Ele era um vassalo em uma casa de cavaleiros sagrados, onde era tratado com desdém, nutrindo uma paixão secreta pela cavaleira Roxy Hart. Ela destaca-se como a única guerreira nobre em um mundo dominado por cavaleiros que abusam de seu poder para oprimir o povo. Quando Fate acidentalmente mata um ladrão enquanto ajuda Roxy, ele descobre que sua habilidade de "Gula" vai além do que parecia. Esse evento o faz perceber os aspectos positivos e negativos de seu "pecado". Comprometido a proteger Roxy, ele decide usar seu poder em prol da casa daquela que sempre o tratou com humanidade e respeito. Baseada em uma novel escrita por Ichika Isshiki , com arte de fame , "Berserk of Gluttony" é serializada desde 2017,

Ciclos de revolução: A Quarta Revolução!

Ciclos de Revolução: A Quarta Revolução Revisão: ChatGPT Estamos vivenciando a quarta revolução industrial/tecnológica, e muito tem sido discutido sobre os potenciais danos que esta revolução pode causar ao tecido social, incluindo desemprego e outras adversidades. Procuro refletir sobre o futuro com base no passado, observando no presente os mesmos receios que nossos antepassados enfrentaram nas três revoluções industriais anteriores. Começo com uma conversa que tive com uma taxista, para então discorrer sobre algumas das revoluções passadas. Durante uma parada em uma lanchonete que estava instalando terminais de autoatendimento no último ano, tive uma conversa: “Taxista: --- Estão instalando essas máquinas para substituir trabalho humano. Muitos caixas estão perdendo seus empregos. Isso é o capitalismo! Eu: --- Por outro lado, a tecnologia, ao eliminar um posto de trabalho (caixa de atendimento), cria outras necessidades. A lanchonete precisará de profissionais para manutenção de sof