segunda-feira, 20 de julho de 2020

Habilidades usadas para Deus!

Mateus 25:14-30


Porque isto é também como um homem que, partindo para fora da terra, chamou os seus servos, e entregou-lhes os seus bens.
E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.
E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.
Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois.
Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.
E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.
Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.
E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.
E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.
Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.
Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;
E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.
Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?
Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.
Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.
Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.
Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.

Essa parábola é bem dura para com aqueles que tem habilidades e não as usam em favor de um propósito do seu senhor, pois mostra que o mau servo, aquele que tem uma visão distorcida de seu mestre, temendo-o injustamente, não usa o seu dom para lhe servir. Essa parábola é muito conhecida no mundo dos investimentos também, pois aqui tem uma lição econômica, mas eu a uso bastante para mostrar os dons, e habilidades que possuímos. Tudo precisa ser feito para honrar aquele a quem servimos, pois todos nós somos servos de alguém ou de alguma coisa (uma ideologia, um trabalho, uma fé, um Deus, um sistema, uma matéria, uma política, um estudo, um ídolo). No meu caso, interpreto essa parábola como a minha habilidade de escrita. Nunca a escondi debaixo da terra e sempre a usei para ajudar outras pessoas, pois creio em um Deus poderoso e bondoso.



Dessa forma, lancei, em 2003, o livro “Sob a Luz dos Ensinamentos Bíblicos” que, em 2015 viria a ganhar uma reedição com o nome “Fé de mais, ou Fé de menos?”. Nesse livro, lancei minhas experiências de vida e como a Bíblia tinha sido benéfica em diversas situações da minha vida. O livro continua disponível através da Amazon.



Já em 2018, eu lancei o livro “Faces de Deus”. Uma tragédia (um ano antes) quase aconteceu comigo, pois uma fratura no pé direito se complicou ao ponto de quase perder a perna. Foram mais de 3 meses de luta pela consolidação da fratura, após ter conseguido eliminar o risco de amputação. Como promessa de cura, eu editei esse livro que versa sobre a relação íntima que existe entre a graça da salvação e as obras da salvação. O livro também está disponível através da Amazon.



Esse ano, eu resolvi editar em livro os “contos do Ratinho”. O livro também é baseado em minhas experiências de vida. Um livro devocional sobre os sofrimentos que Deus permite que passemos. Um ratinho que é forçado a abandonar seu lar e como ele questiona o cientista (Deus) sobre os sofrimentos que ele passou. Ao final, o ratinho percebe que é soberbo, arrogante. Um livro que serve para refletir sobre os sofrimentos de uma maneira geral.


E, uma das coisas mais bonitas, é que todos os trabalhos estão disponíveis de graça para quem acompanha o blog, pois os textos estão aqui escritos e publicados. Lógico, se vocês quiserem comprar estariam ajudando a esse pequeno escritor e me deixariam imensamente grato. Seria bom poder viver do fruto do trabalho das minhas mãos, todavia, foi a maneira que encontrei para alcançar mais pessoas, divulgando os textos aqui. Com isso, espero não ter escondido meu dom debaixo da terra, apesar de não saber se conquistei outro dom através de meu trabalho. De qualquer modo, obrigado por me acompanhar até aqui.

Poemas no Twitter III

 Enfim, o último poema lançado no Twitter e fechando essa semana.