Pular para o conteúdo principal

Kaguya-sama: Love is War!


Kaguya-sama: Love is war
https://www.crunchyroll.com/pt-br/kaguya-sama-love-is-war



Sinopse Cr: “Veio de boa família? Sim! Tem uma personalidade promissora? Sim! Todos os jovens de elite com futuros brilhantes acabam indo parar na Academia Shuchiin. E ambos os líderes do conselho estudantil, Kaguya Shinomiya e Miyuki Shirogane, estão apaixonados um pelo outro. Mas seis meses se passaram e nada aconteceu?! Ambos são orgulhosos demais para confessar seu amor, e agora ambos estão brigando pra ver quem faz o outro se declarar primeiro! A parte mais divertida do amor é o jogo da conquista! Uma nova comédia romântica, sobre as batalhas intelectuais de dois estudantes de elite apaixonados.”


Quando li a sinopse, acreditei que seria uma guerra de egos. Uma guerra na qual o amor não teria um significado mais profundo, sendo apenas uma desculpa para a humilhação do parceiro(a). Esse foi meu primeiro olhar sobre a série. E, com esse coração endurecido, fui assistir. A série me surpreendeu e fui, aos poucos, gostando do enredo.


Na verdade, ao invés de ter dois personagens antipáticos, como eu imaginava que poderiam ser, eu fui percebendo que eles tinham simpatia, carisma e sinceridade com seus sentimentos e conseguiram que eu criasse empatia por eles. Não existe nada mais belo do que perceber, em personagens, valores intrínsecos que possibilitam que eles ganhem brilho próprio. Kaguya, à primeira vista, pode parecer fria, calculista e um gênio que faria Sherlock a elogiar, mas ela também é uma pessoa que protege o que ama, possui muita dor causada pela solidão e isolamento, e tem adoração sincera pelo Miyuki. Já Miyuki pode parecer o cara perfeito, que nasceu com dons e dádivas dadas pelos deuses, mas ele esconde imperfeições e seu trabalho árduo para conseguir estar em uma posição de destaque. Seu amor pela Kaguya é tão grande quanto sua timidez. Também é um personagem perspicaz e de raciocínio rápido. O autor, então, foi muito bem sucedido na criação desses e do roteiro, que comento no parágrafo abaixo.


Enredo e personagens secundários


E essa profundidade de criação não seria nada se o enredo não fosse equilibrado. A série se tornaria chata se houvesse um desequilíbrio na “guerra” entre os dois. Imagine se fosse como um “Tom & Jerry”? No cartoon, Tom perde 98% dos combates contra o Jerry, fazendo com que o peso de um personagem seja maior do que do outro. Já em Kaguya, o equilíbrio entre eles é preciso e eles conseguem uma harmonia incrível nos combates românticos. Grande parte do sucesso desse equilíbrio se deve à presença de contrapesos, que são personagens secundários que ajudam a manter o equilíbrio de poderes entre as duas potências (Kaguya e Miyuki). Um desses contrapesos é a secretária Chika. Enquanto Kaguya é uma força lógica e que bem planeja seus passos, Chika é a presença caótica que anula a força lógica da Kaguya. Quando em cena, Chika tem como função se contrapor à Kaguya. Já Yuu é uma presença que anula a força caótica da Chika, fazendo com que a presença dela não interfira nas ações dos personagens principais.  


Essa rede de relações entre os personagens é tão bem criada que existe uma harmonia agradável em todos os capítulos. Já os combates, nos quais um planeja como fará o outro se declarar, são tão bem elaborados que parecem saídos da mente de um Sherlock (ou de um L). São planos inteligentes. E na interação entre eles, durante o combate, entra em cena o narrador que nos direciona pelo combate de maneira cômica e divertida. É nosso guia pelos pensamentos de ambos, enquanto o jogo de estratégias é jogado. A melhor parte é assistir, comendo pipoca, os pensamentos e conclusões deles para se saírem de situações perigosas.


Abertura e encerramento




A música de abertura, bem como sua criação, é de uma estrutura artística muito interessante. Lembram dos filmes da década de 70? Se for novo, olhe algumas aberturas dos filmes antigos de James Bond (007) e verá que ali estão muitas das inspirações que usaram para produzir a abertura. Alguns fãs também verão inspiração de filmes do Bruce Lee nessa magnífica abertura. Psicodélico!





Forma produzidos muitos encerramentos para a série, mas a mais bela obra produzida foi a da Chika dançando. Não tem o que dizer, apenas sentar e assistir milhões de vezes. Movimentação natural, música muito boa e um minuto e meio de muita satisfação!  





Conclusão
Para mover todas essas peças, enquanto assistimos a combates lógicos bem estruturados, é tão difícil que eu me rendi ao autor. Ele foi um gênio na criação dessa obra. Portanto, eu recomendo essa como uma das melhores séries do ano.   

My Anime List Chart
Information
Type: TV
Episodes: 12
Status: Finished Airing
Aired: Jan 12, 2019 to Mar 30, 2019
Premiered: Winter 2019
Broadcast: Saturdays at 23:30 (JST)
Producers: Aniplex, Mainichi Broadcasting System, Magic Capsule, Shueisha, East Japan Marketing & Communications
Licensors: Aniplex of America
Studios: A-1 Pictures
Source: Manga
Genres: Comedy, Psychological, Romance, School, Seinen
Duration: 25 min. per ep.
Rating: PG-13 - Teens 13 or older






Postagens mais visitadas deste blog

Outros Papos Indica: O Cérebro que se Transforma

Norman Doidge é psiquiatra, psicanalista e pesquisador da Columbia University Center of Psychoanlytic Training and Research, em New York, e também psiquiatra da Universidade de Toronto (Canadá). Ele é o autor deste livro que indico a leitura. O livro, segundo o próprio editor, “reúne casos que detalham o progresso surpreendente de pacientes” que demonstram como o cérebro consegue ser plástico e mutável. Pacientes como Bárbara que, apesar da assimetria cerebral grave, na qual existia retardo em algumas funções e avanço em outras, conseguiu se graduar e pós-graduar. Um espanto para quem promove a teoria de que o cérebro humano é um órgão estático, com pouca ou nenhuma capacidade de se adaptar. “ Creio que a ideia de que o cérebro pode mudar sua própria estrutura e função por intermédio do pensamento e da atividade é a mais importante alteração em nossa visão desse órgão desde que sua anatomia fundamental e o funcionamento de seu componente básico, o neurônio, foram esboçados pela p

TOP 3 de séries que merecem remake!

 Existem muitas séries da década de 90, na minha opinião, que mereciam um remake (manter a obra original, apenas contando novamente a história, com a tecnologia atual disponível). Vou citar aqui 3 delas. Estas séries foram escolhidas, pois são séries que ainda mexem comigo, que ainda gosto e que ainda lembro delas como se tivesse as assistido ontem. Esse foi o critério de seleção para esse simples TOP 3, de séries da década de 90, que mereciam um remake.  Oh My Goddess A série mesmo começou em 1988, encerrando-se em 2014, contendo um total de 48 volumes. Ela entra na lista por conta do seu primeiro OVA, lançado em 1993, cabendo perfeitamente nessa lista. A animação realizada pelo studio AIC foi uma das mais belas que já vi e promoveu a criação de outras séries, sendo que a última, se não me engano, terminou em 2013, com outro OVA. Já se passaram quase 10 anos desde a sua conclusão. Um remake dessa série, contando-a do começo a o fim, seria uma ótima celebração. O mangá vendeu mais de 4

Antologia Scortecci 40 Anos!

Antologia para edição especial de aniversário de 40 anos da Scortecci editora, para a 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo (2022) e, enfim, para ser a edição comemorativa dos 100 anos da Semana de Arte Moderna. Como as poesias já fazem parte desse blog, não faria sentido reescrevê-las, então, deixo aqui cópias das páginas da minha colaboração. Foi uma honra poder ter participado de tão nobre edição comemorativa. Obrigado pela oportunidade.     Primeira parte: Segunda parte: