Pular para o conteúdo principal

O belo vive!

 O Belo vive;  Sonhos na neve;  Alma limpa!

Melhor Slice Of Life: Laid-Back Camp!

Melhor Slice of Life





Animações do gênero slice of life tem como principal foco o cotidiano dos personagens, o momento no qual eles vivem. Em animações desse gênero, o que prima no roteiro é a vida dos personagens. Deste modo, vemos personagens indo estudar, conhecendo algum esporte, tocando algum instrumento musical, ou conhecendo mais da cidade em que vivem. Não existem monstros a enfrentar e, se aparecer algum adversário, o roteiro não se foca nele. Mais vale a um slice of life mostrar um personagem tirando uma soneca do que salvando o mundo (rs).

Eu despertei tardiamente meu interesse por este gênero. Considerando que assisto animações japonesas desde a época de Groizer X, e considerando que o primeiro slice of life que gostei mesmo foi K-ON, percebe-se que meu interesse por este gênero é recente.

De forma muito abrangente, Urban Dictionary[1]: “The best and worst of life, conveniently sliced and packaged in the form of books, television, theater or cinema for your viewing pleasure. Things that are "slice of life" are generally emotion provoking, insightful, moving, but also realistic”.

E, nesta temporada, tivemos uma quantidade abençoada de séries neste gênero. E uma delas se sobressaiu. Já vendeu mais de 13 mil unidades em blu-ray (Anime News Network[2]). E isto impressiona, pois animações raramente passam de 10 mil unidades, somando-se DVDs e Blu-Rays. As que chegam ao número de 3 mil unidades vendidas já são festejadas como grandes sucessos.


Melhor Slice Of Life da Temporada de Inverno de 2018 é:
Yuru Camp, também conhecida como Laid-Back Camp!

http://www.crunchyroll.com/laid-back-camp






Sinopse Crunchyroll: “Nadeshiko, uma colegial que se mudou para Yamanashi, decide ir visitar o famoso Monte Fuji das notas de mil ienes. Contudo, enquanto pedalava para Motosu, ela acaba desmaiando de cansaço e acorda à noite num lugar desconhecido, sem saber como voltar para casa. Felizmente, ela é salva por Rin, uma garota que está acampando sozinha - e assim começa a história das garotas que adoram a vida a céu aberto”.

Não tem muito segredo em como avaliar uma obra neste gênero. Basta, a qualquer obra neste sentido, que te dê sensação de relaxamento, que te divirta com boas piadas, ou te faça chorar com algum destino trágico. Em síntese, que te dê prazer ao assistir à sua história. O que esperar de uma obra que conta histórias do cotidiano? Identificação, simpatia e sentimento.

Laid-Back Camp possui personagens fazendo o que de melhor pode se esperar de personagens deste gênero, ou seja, personagens que vivem a vida. Elas optaram por passar sua juventude acampando. O sentimento bucólico, isto é, de se aproximar da natureza, com as paisagens ao redor do monte Fuji e o próprio monte Fuji, é uma recompensa que não via em animações há um bom tempo. Foi tão prazeroso aos japoneses, que o Marco, do Intoxi Anime, disse em vídeo que o número de pessoas que começaram a acampar, após este seriado, aumentou muito no Japão. O sentimento bucólico foi abraçado por muitos.




As situações que elas passam também ajudam na identificação. Quem nunca precisou de dinheiro para poder adquirir alguma coisa de seu interesse? Em determinados momentos, elas escolhem trabalhar para juntar dinheiro e adquirir produtos para acampar. Eles precisam aprender a eonomizar e fugir das tentações do mercado. E isso é difícil (rs)! Eu já precisei aumentar minha produtividade, para melhorar meus recursos, e poder comprar alguma coisa que era de meu interesse, então, eu me identifiquei com este esforço delas. E aqui também tem um ensinamento valoroso. Se desejar comprar algo, trabalhe por isto! O trabalho dignifica a pessoa e ver um animê, discretamente, ensinando isso é muito gratificante!






E as personagens são alegres. Elas se divertem quando estão em grupo, e se divertem quando acampam sozinhas. Elas se divertem escolhendo produtos, assim como se divertem trabalhando. E nós nos divertimos com as piadas que o roteiro nos lança. Então, elas nos cativam pela simpatia e eu comecei a ter por elas muita empatia. Desde piadas com produtos, até piadas com mensagens de celular, é tudo muito bem montado e desenvolvido pelo roteiro. Dá para dizer que o enredo conseguiu retratar bem a juventude normal. Em determinados momentos, eu ficava me lembrando da minha adolescência e recordava que algum amigo meu, ou até mesmo eu, já tinha passado por alguma coisa parecida.





É uma série que vale a pipoca e a risada! E, por estes motivos expostos, eu escolhi esta série como a melhor série no gênero slice of life da temporada de inverno de 2018!       




[1] Urban Dictionary: https://www.urbandictionary.com/define.php?term=slice%20of%20life
[2] ANN: https://www.animenewsnetwork.com/news/2018-04-17/japan-animation-blu-ray-disc-ranking-april-9-15/.130489

Postagens mais visitadas deste blog

Boushoku no Berserk

Berserk of Gluttony: Uma Série Que É Meu "Pecado"! Boushoku no Berserk (Berserk of Gluttony) - Pictures - MyAnimeList.net Fate é um jovem que acreditava ter uma habilidade inútil chamada "Gula", que o mantinha constantemente faminto. Ele era um vassalo em uma casa de cavaleiros sagrados, onde era tratado com desdém, nutrindo uma paixão secreta pela cavaleira Roxy Hart. Ela destaca-se como a única guerreira nobre em um mundo dominado por cavaleiros que abusam de seu poder para oprimir o povo. Quando Fate acidentalmente mata um ladrão enquanto ajuda Roxy, ele descobre que sua habilidade de "Gula" vai além do que parecia. Esse evento o faz perceber os aspectos positivos e negativos de seu "pecado". Comprometido a proteger Roxy, ele decide usar seu poder em prol da casa daquela que sempre o tratou com humanidade e respeito. Baseada em uma novel escrita por Ichika Isshiki , com arte de fame , "Berserk of Gluttony" é serializada desde 2017,

Outros Papos indica: Japanese Noodles Udon Soba Kyoto Hyogo

 Saboreiem! Um canal dedicado à culinária japonesa! Se gostarem, se inscrevam lá!

Traduções ideológicas

Hoje, no blog, não farei recomendações, mas sim uma sugestão. Há uma controvérsia em torno de alterações indesejadas em traduções e legendas de obras japonesas. Se os próprios japoneses começassem a traduzir e legendar seus animes para o Ocidente, essas distorções poderiam ser evitadas. Pergunto-me por que, até agora, os japoneses ainda não optaram por legendarem eles mesmos e disponibilizarem à venda discos com suas obras legendadas em outros idiomas. Isso certamente eliminaria o ruído ideológico e, sem dúvida, eu seria um dos consumidores da mídia física lançada por eles, com legendas "feitas em casa". Na administração, aprendemos que devemos apresentar não apenas os problemas, mas também as soluções. Portanto, considero essa a solução para o problema das alterações ideológicas em obras orientais.