Pular para o conteúdo principal

O belo vive!

 O Belo vive;  Sonhos na neve;  Alma limpa!

Drops: O Melhor de Porto Alegre e Verão de 2017, parte III

Drops: O Melhor de Porto Alegre e o Melhor do Outono 2017, parte III

O Melhor Cachorro-Quente

Em Porto Alegre você está bem servido no quesito cachorro-quente. As duas casas que recomendarei tem tanto o serviço de delivery, via aplicativos, como pontos fixos comerciais, ou seja, você pode comer tanto no escritório, como em casa. O clássico Cachorro-Quente do Rosário[1] é um gigante do sabor. Servido com diversas opções (molho, ervilha, milho, pimenta, queijo), eles preparam um verdadeiro gigante. Elimina a fome com certeza, mesmo a fome que chega no horário do almoço.


Imagem meramente ilustrativa. Fonte: http://www.cachorrodorosario.com.br/produtos/1/-



O Pugg Hot-Dog Artesanal[2] é um cachorro igualmente grande, mas ele é mais refinado e, portanto, diferenciado. Essa lindeza abaixo é o Classic Relish deles, que é preparado com “pão ciabatta com delicioso molho artesanal de tomate, relish de pepino (conserva agridoce de pepino japonês, pimentões e cebola), molho tártaro (à base de maionese e alcaparras) e mostarda artesanal”. 





Quando estiver na capital, venha conhecer estas duas casas.


*****
*****

O Melhor de 2017- Verão
Knight’s & Magic[3]



Já escrevi sobre este título aqui no blog. Em síntese, um programador, apaixonado por robótica, acaba morrendo. Após este trágico evento, somos conduzidos a um mundo de fantasia e magia, para conhecermos um garoto que iria ser levado ao seu primeiro dia de aula. Justamente este garoto é a reencarnação do programador que havia morrido. Sem dar muitos detalhes, a trama permite que o garoto se lembre de sua vida passada e de sua paixão por robôs. Isto dá a ele a motivação para se empenhar nos estudos e atingir suas metas.

O primeiro ponto legal no enredo é mostrar que a reencarnação seria mais justa se pudéssemos lembrar de nossas vidas passadas. Ele não ficou perdido, pois sabia o que desejava para seu futuro. E ele batalhou para conseguir conquistar seus sonhos. Como ele conseguia se lembrar, o destino dele ficou potencializado. O segundo ponto legal, foi que a imaturidade do garoto não ficou esquecida. O personagem tinha a genialidade de um adulto, mas mantinha a inocência de uma criança. E isto gerou muitas ocasiões interessantes durante a história, pois a imaturidade dele se fez evidente em diversos trechos.

É uma animação boa,  que me conquistou naquele verão!








[1] http://www.cachorrodorosario.com.br/
[2] https://www.pugghotdog.com.br/
[3] http://www.crunchyroll.com/knights-magic

Postagens mais visitadas deste blog

Boushoku no Berserk

Berserk of Gluttony: Uma Série Que É Meu "Pecado"! Boushoku no Berserk (Berserk of Gluttony) - Pictures - MyAnimeList.net Fate é um jovem que acreditava ter uma habilidade inútil chamada "Gula", que o mantinha constantemente faminto. Ele era um vassalo em uma casa de cavaleiros sagrados, onde era tratado com desdém, nutrindo uma paixão secreta pela cavaleira Roxy Hart. Ela destaca-se como a única guerreira nobre em um mundo dominado por cavaleiros que abusam de seu poder para oprimir o povo. Quando Fate acidentalmente mata um ladrão enquanto ajuda Roxy, ele descobre que sua habilidade de "Gula" vai além do que parecia. Esse evento o faz perceber os aspectos positivos e negativos de seu "pecado". Comprometido a proteger Roxy, ele decide usar seu poder em prol da casa daquela que sempre o tratou com humanidade e respeito. Baseada em uma novel escrita por Ichika Isshiki , com arte de fame , "Berserk of Gluttony" é serializada desde 2017,

Outros Papos indica: Japanese Noodles Udon Soba Kyoto Hyogo

 Saboreiem! Um canal dedicado à culinária japonesa! Se gostarem, se inscrevam lá!

Traduções ideológicas

Hoje, no blog, não farei recomendações, mas sim uma sugestão. Há uma controvérsia em torno de alterações indesejadas em traduções e legendas de obras japonesas. Se os próprios japoneses começassem a traduzir e legendar seus animes para o Ocidente, essas distorções poderiam ser evitadas. Pergunto-me por que, até agora, os japoneses ainda não optaram por legendarem eles mesmos e disponibilizarem à venda discos com suas obras legendadas em outros idiomas. Isso certamente eliminaria o ruído ideológico e, sem dúvida, eu seria um dos consumidores da mídia física lançada por eles, com legendas "feitas em casa". Na administração, aprendemos que devemos apresentar não apenas os problemas, mas também as soluções. Portanto, considero essa a solução para o problema das alterações ideológicas em obras orientais.