Pular para o conteúdo principal

Drops #7- Insanidade e Le Bistrot Gourmet


Drops #7- Incoerência de um louco e Le Bistrout Gourmet





Incoerência de um louco

Este é um pequeno desabafo sobre uma insanidade que ouvi. O princípio da Democracia é o poder emanado do povo que, através de sua vontade, escolhe pessoas para exercerem cargos públicos por um tempo determinado em lei. Isto significa que o povo escolhe quem deve reger algum cargo público.

Ouvi um absurdo. Que a OAB e o poder militar deveriam ter deixado a ex-presidente Dilma isolada, fazendo de Temer o regente real do governo. Ele, que diz que Temer é um golpista, prefere outro tipo de golpe. Um golpe brando, no qual a vontade popular é um mero coadjuvante. Ora, se aquela pessoa foi eleita para um cargo público, é evidente que ela deve exercer tal cargo, não ficando apenas como uma marionete nas mãos de um grupo oculto. Por mais incompetente que possa vir a ser, o cargo é dela, até que cometa crime e seja afastada após o devido processo legal. Entretanto, essa mentalidade não me espanta, pois é a mentalidade de quem gosta da Gestapo. Uma pessoa que não respeita a vontade do voto e não sabe o que é democracia.  



Le Bistrot Gourmet

Fui conhecer o Le Bistrot Gourmet. O restaurante é frequentado pela alta classe de Porto Alegre e isso me atraiu. Para resumir, o restaurante não me impressionou. A salada verde feio sem atrativo. O recipiente no qual ficam o açúcar e o adoçante estava com dois sachês abertos, o que demonstrou falta de cuidado para com a mesa. O prato principal estava bem preparado, muito bem preparado. O medalhão macio, a massa no ponto certo e a apresentação bonita, todavia, não tinha também a sobremesa que eu desejava. O prato principal não salvou a casa. Até agora em Porto Alegre: 1º- Puppi Bagio; 2º- Bah; 3º- Peppo Cucina; 4º- Le Bistrot Gourmet .








Postagens mais visitadas deste blog

Outros Papos Indica: O Cérebro que se Transforma

Norman Doidge é psiquiatra, psicanalista e pesquisador da Columbia University Center of Psychoanlytic Training and Research, em New York, e também psiquiatra da Universidade de Toronto (Canadá). Ele é o autor deste livro que indico a leitura. O livro, segundo o próprio editor, “reúne casos que detalham o progresso surpreendente de pacientes” que demonstram como o cérebro consegue ser plástico e mutável. Pacientes como Bárbara que, apesar da assimetria cerebral grave, na qual existia retardo em algumas funções e avanço em outras, conseguiu se graduar e pós-graduar. Um espanto para quem promove a teoria de que o cérebro humano é um órgão estático, com pouca ou nenhuma capacidade de se adaptar. “ Creio que a ideia de que o cérebro pode mudar sua própria estrutura e função por intermédio do pensamento e da atividade é a mais importante alteração em nossa visão desse órgão desde que sua anatomia fundamental e o funcionamento de seu componente básico, o neurônio, foram esboçados pela p

TOP 3 de séries que merecem remake!

 Existem muitas séries da década de 90, na minha opinião, que mereciam um remake (manter a obra original, apenas contando novamente a história, com a tecnologia atual disponível). Vou citar aqui 3 delas. Estas séries foram escolhidas, pois são séries que ainda mexem comigo, que ainda gosto e que ainda lembro delas como se tivesse as assistido ontem. Esse foi o critério de seleção para esse simples TOP 3, de séries da década de 90, que mereciam um remake.  Oh My Goddess A série mesmo começou em 1988, encerrando-se em 2014, contendo um total de 48 volumes. Ela entra na lista por conta do seu primeiro OVA, lançado em 1993, cabendo perfeitamente nessa lista. A animação realizada pelo studio AIC foi uma das mais belas que já vi e promoveu a criação de outras séries, sendo que a última, se não me engano, terminou em 2013, com outro OVA. Já se passaram quase 10 anos desde a sua conclusão. Um remake dessa série, contando-a do começo a o fim, seria uma ótima celebração. O mangá vendeu mais de 4

Antologia Scortecci 40 Anos!

Antologia para edição especial de aniversário de 40 anos da Scortecci editora, para a 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo (2022) e, enfim, para ser a edição comemorativa dos 100 anos da Semana de Arte Moderna. Como as poesias já fazem parte desse blog, não faria sentido reescrevê-las, então, deixo aqui cópias das páginas da minha colaboração. Foi uma honra poder ter participado de tão nobre edição comemorativa. Obrigado pela oportunidade.     Primeira parte: Segunda parte: