Pular para o conteúdo principal

O belo vive!

 O Belo vive;  Sonhos na neve;  Alma limpa!

ChatGPT

ChatGPT (openai.com)

 

ChatGPT é uma das muitas ferramentas, uma inteligência artificial, que veio para substituir e complementar o trabalho criativo. Eu a testei e pedi para que ela criasse um conto com dois personagens brasileiros (Dilma e Bolsonaro). Escolhi esses nomes para tentar perceber como essa inteligência está sendo abastecida, com que dados ela está sendo criada. O conto é interessante também porque, além de bem escrito (heheheh), ele nos dá uma interessante abordagem pacifista. Eu fiquei interessado nela após assistir a uma live do canal "OK Nerd" no qual o proprietário do canal, Mafinha, pediu para a inteligência reescrever um roteiro de uma série e ela o fez muito bem. Com isso, percebi que ela poderia substituir o trabalho humano e reduzir a quantidade de empregos. Exemplo, para se fazer o roteiro de uma série bastam um produtor, a IA e um revisor. Não precisam mais de 5 ou 6 roteiristas. Não acredito que isso seja ruim. É apenas mais um avanço tecnológico e um dos mais impressionantes. 


ChatGPT (openai.com)



Conto escrito pelo ChatGPT. Tirem suas conclusões! 

"Era uma vez no Brasil, um país de paisagens deslumbrantes e uma rica cultura. Nesta história de aventura, os protagonistas são dois personagens muito diferentes: Dilma e Bolsonaro.

Dilma, uma mulher corajosa e inteligente, era uma exploradora apaixonada por preservar a natureza e proteger a fauna e a flora brasileiras. Ela possuía uma conexão única com a floresta amazônica e tinha um profundo respeito pelas tradições indígenas. Dilma sempre acreditou que a união e a cooperação eram fundamentais para o progresso do país.

Bolsonaro, por outro lado, era um ex-militar que ascendeu à política prometendo uma abordagem mais rígida e pragmática para lidar com os problemas do Brasil. Ele tinha uma visão mais voltada para o desenvolvimento econômico e a exploração dos recursos naturais, mesmo que isso significasse sacrificar algumas áreas protegidas.

Em um dia ensolarado, um antigo artefato indígena foi descoberto em uma remota região da floresta amazônica. Segundo as lendas, esse artefato possuía poderes místicos e estava associado a um grande tesouro escondido.

Ambos Dilma e Bolsonaro ouviram sobre a descoberta e perceberam que isso poderia mudar o destino do país. Dilma viu a oportunidade de proteger o artefato e garantir que ele fosse preservado para as futuras gerações, mantendo a cultura indígena viva. Bolsonaro, por outro lado, viu a chance de usar o tesouro para impulsionar a economia e fortalecer a posição do Brasil no cenário mundial.

Os dois personagens embarcaram em suas próprias jornadas, cada um seguindo seus objetivos. Dilma buscou a ajuda dos povos indígenas locais, aprendendo com sua sabedoria e conhecimento ancestral. Juntos, eles enfrentaram inúmeras adversidades na floresta, como animais selvagens, tempestades e até mesmo caçadores furtivos que cobiçavam o artefato.

Bolsonaro, por sua vez, formou uma equipe de especialistas em arqueologia e exploradores para alcançar o artefato antes de Dilma. No entanto, ele enfrentou desafios morais ao deparar-se com a destruição de parte da floresta para abrir caminho para sua expedição.

Enquanto as duas jornadas progrediam, Dilma e Bolsonaro começaram a perceber a importância de trabalhar juntos. A amizade improvável começou a se formar, e ambos compreenderam que seus objetivos eram mais bem-sucedidos quando combinados.

Em um momento crucial, quando o artefato finalmente foi encontrado, Dilma e Bolsonaro perceberam que precisavam escolher entre o bem do país e seus interesses pessoais. Diante dessa escolha, ambos decidiram preservar o artefato e devolvê-lo aos povos indígenas, reconhecendo o valor cultural e histórico.

E assim, Dilma e Bolsonaro deram um exemplo poderoso de como a união de diferentes perspectivas e ideias pode levar a soluções mais equilibradas e justas para os desafios enfrentados pelo Brasil. Eles se tornaram líderes que, mesmo com suas diferenças, trabalhavam juntos para um futuro melhor para o país e suas riquezas naturais.

Essa aventura não apenas trouxe tesouros místicos à luz, mas também trouxe à tona a importância de valorizar o patrimônio cultural e a proteção do meio ambiente para as gerações futuras. E assim, o Brasil seguiu seu caminho em direção a um futuro mais sustentável, onde a cooperação e a compreensão eram as chaves para o progresso."

Postagens mais visitadas deste blog

Boushoku no Berserk

Berserk of Gluttony: Uma Série Que É Meu "Pecado"! Boushoku no Berserk (Berserk of Gluttony) - Pictures - MyAnimeList.net Fate é um jovem que acreditava ter uma habilidade inútil chamada "Gula", que o mantinha constantemente faminto. Ele era um vassalo em uma casa de cavaleiros sagrados, onde era tratado com desdém, nutrindo uma paixão secreta pela cavaleira Roxy Hart. Ela destaca-se como a única guerreira nobre em um mundo dominado por cavaleiros que abusam de seu poder para oprimir o povo. Quando Fate acidentalmente mata um ladrão enquanto ajuda Roxy, ele descobre que sua habilidade de "Gula" vai além do que parecia. Esse evento o faz perceber os aspectos positivos e negativos de seu "pecado". Comprometido a proteger Roxy, ele decide usar seu poder em prol da casa daquela que sempre o tratou com humanidade e respeito. Baseada em uma novel escrita por Ichika Isshiki , com arte de fame , "Berserk of Gluttony" é serializada desde 2017,

Outros Papos indica: Japanese Noodles Udon Soba Kyoto Hyogo

 Saboreiem! Um canal dedicado à culinária japonesa! Se gostarem, se inscrevam lá!

Traduções ideológicas

Hoje, no blog, não farei recomendações, mas sim uma sugestão. Há uma controvérsia em torno de alterações indesejadas em traduções e legendas de obras japonesas. Se os próprios japoneses começassem a traduzir e legendar seus animes para o Ocidente, essas distorções poderiam ser evitadas. Pergunto-me por que, até agora, os japoneses ainda não optaram por legendarem eles mesmos e disponibilizarem à venda discos com suas obras legendadas em outros idiomas. Isso certamente eliminaria o ruído ideológico e, sem dúvida, eu seria um dos consumidores da mídia física lançada por eles, com legendas "feitas em casa". Na administração, aprendemos que devemos apresentar não apenas os problemas, mas também as soluções. Portanto, considero essa a solução para o problema das alterações ideológicas em obras orientais.