Pular para o conteúdo principal

Questões sobre Isekai!



https://www.crunchyroll.com/pt-br/isekai-cheat-magician



Isekai e algumas questões

Isekai é um gênero, ou subgênero, da literatura que conta a história de personagens que são tirados de sua realidade e cotidiano, para irem a outros mundos, ou outras realidades. Geralmente, o tema é mais abordado na fantasia, mas está também relacionado à ficção e literatura fantástica. Atualmente, está ganhando tanto espaço, e sua popularidade é tão grande, que já pode ser tratado mais como um gênero do que como um subgênero da literatura.

Urban Dictonary
Meaning:
"Another world" 
Usually referring to Japanese stories (anime, manga, light novels or web novels) which involve the main character being transported into another world via either reincarnationsummoning, or a god transmigrating them. 

The setting is usually but not always, medieval fantasy with swords and magic.


---~~~---

Segundo Bushido, do OtakuPT:
Isekai, em japonês 異世界 (literalmente “mundo diferente”) é um subgénero de light novels, mangás, animes e videojogos que se desenrolam à volta de uma pessoa normal que é transportada para ou aprisionada num universo paralelo.

O primeiro Isekai?

Antes de mais nada, devo reforçar aqui que os textos indicados foram analisados tendo em conta apenas a característica do personagem visitar outros mundos, pois essa é a essência do tema.

E já que algumas pessoas incluem textos ocidentais no debate, não restringindo o gênero apenas ao que foi, ou é produzido no Japão, sinto-me confortável para ir nessa direção. Não levando em conta histórias bíblicas (Adão e Eva; e Enoque), podemos achar nos poemas de Dante Alighieri (Divina Comédia) traços de um Isekai com a jornada do personagem por diferentes mundos (Inferno e Paraíso, por exemplo). Embora não se tenha uma data concreta de seu nascimento, estudiosos registram que a obra é de 1300. 

Ainda indo na direção da mitologia, temos os 9 mundos da mitologia nórdica, seus deuses e heróis que viajavam por estes mundos em suas histórias.



Já na mitologia japonesa temos os irmãos Izanami e Izanagi e as histórias da criação das ilhas do Japão, deuses e, por fim, de sua separação (mundo de Yomi). Eles aparecem no livro Kojiki, livro sagrado escrito em 712. 

Saindo um pouco das histórias mitológicas, pois pode-se alegar que não foram realmente jornadas por mundos diferentes, mas jornadas dentro do mesmo mundo, porém, em dimensões diferentes; temos ótimos representantes do gênero na literatura do ocidente. Alguns sites indicam, como o primeiro Isekai da literatura o livro “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll, que foi publicado em 1865, porém, o final do livro deixa margens para interpretar se Alice apenas sonhou com os acontecimentos, por isso, não o incluiria com segurança como o primeiro Isekai. Prossigo, então, com “O Mágico de Oz”, escrito por L. Frank Baum em 1901. Também temos em Peter Pan um bom exemplo. Inicialmente escrito como roteiro para uma peça de teatro, foi editado em formato escrito (livro) em 1911. (Agradeço ao amigo @riojin_san pela dica!) As Crônicas de Nárnia, que é uma coleção de livros de C. S. Lewis, teve seu início em 1949. Todos acima versam sobre o descobrimento de mundos fantásticos!

O fato é que ainda existirá muita discussão sobre isso, pois não é um tema fechado. E você? Lembra de alguma obra, ocidental ou oriental, mais antiga que essas? Comente! 


Minecraft é um Isekai?

Considerando que jogamos com um personagem chamado Steve, que aparece em um mundo diferente, já adulto, não sendo sequer parecido com os demais personagens do jogo, pode indicar que Steve pode ter sido invocado para aquele mundo. Como ele possui poderes mágicos, viaja por outras dimensões, e consegue invocar outros personagens, é forte a evidência de que Minecraft pode mesmo ser um Isekai. O que acham?



https://www.minecraft.net/pt-br/


Isekai hoje!



Sãos muitas as séries que estão no mercado hoje em dia com esse tema. Konosuba, Shield Hero, Re: Zero, “Milf Isekai” (😊), OverLord, e está em dúvida se o mercado não se tornou saturado para o tema.  Eu acredito que ainda não. Se formos levar em consideração que o homem sempre sonhou com alguma viagem que o tire de sua realidade; com meios para explicar, ou ensinar, novas gerações sobre temas próprios da cultura, e que sempre foi de interesse de qualquer sociedade o mistério e a descoberta de novos mundos, que tornaram clássicas as histórias, por exemplo, como as de Jules Verne, acredito que sempre teremos espaço para esse gênero, que é um escape claro para as pressões do cotidiano. Forçando um pouco a barra, o desejo pelo descobrimento de novo mundos foi o grande responsável pelo início das navegações, ou seja, desde a época mais remota o homem sempre buscou novos mundos. Podemos aferir que o Isekai está no sangue de toda a humanidade. Forcei muito a barra? 😉

Evidentemente, teremos ciclos com altos e baixos, dependendo da qualidade das histórias e dos autores, mas acredito que as histórias do gênero Isekai estarão sempre presentes, pois elas abraçam a ideia de que existe um mundo no qual podemos ser felizes. E isso não tem preço para a alma humana. Voltando para a história bíblica, até faço uma reflexão sobre isso e pergunto: não seria o Isekai o desejo do homem em retornar ao paraíso perdido em Gênesis?




Postagens mais visitadas deste blog

Outros Papos Indica: O Cérebro que se Transforma

Norman Doidge é psiquiatra, psicanalista e pesquisador da Columbia University Center of Psychoanlytic Training and Research, em New York, e também psiquiatra da Universidade de Toronto (Canadá). Ele é o autor deste livro que indico a leitura. O livro, segundo o próprio editor, “reúne casos que detalham o progresso surpreendente de pacientes” que demonstram como o cérebro consegue ser plástico e mutável. Pacientes como Bárbara que, apesar da assimetria cerebral grave, na qual existia retardo em algumas funções e avanço em outras, conseguiu se graduar e pós-graduar. Um espanto para quem promove a teoria de que o cérebro humano é um órgão estático, com pouca ou nenhuma capacidade de se adaptar. “ Creio que a ideia de que o cérebro pode mudar sua própria estrutura e função por intermédio do pensamento e da atividade é a mais importante alteração em nossa visão desse órgão desde que sua anatomia fundamental e o funcionamento de seu componente básico, o neurônio, foram esboçados pela p

TOP 3 de séries que merecem remake!

 Existem muitas séries da década de 90, na minha opinião, que mereciam um remake (manter a obra original, apenas contando novamente a história, com a tecnologia atual disponível). Vou citar aqui 3 delas. Estas séries foram escolhidas, pois são séries que ainda mexem comigo, que ainda gosto e que ainda lembro delas como se tivesse as assistido ontem. Esse foi o critério de seleção para esse simples TOP 3, de séries da década de 90, que mereciam um remake.  Oh My Goddess A série mesmo começou em 1988, encerrando-se em 2014, contendo um total de 48 volumes. Ela entra na lista por conta do seu primeiro OVA, lançado em 1993, cabendo perfeitamente nessa lista. A animação realizada pelo studio AIC foi uma das mais belas que já vi e promoveu a criação de outras séries, sendo que a última, se não me engano, terminou em 2013, com outro OVA. Já se passaram quase 10 anos desde a sua conclusão. Um remake dessa série, contando-a do começo a o fim, seria uma ótima celebração. O mangá vendeu mais de 4

Antologia Scortecci 40 Anos!

Antologia para edição especial de aniversário de 40 anos da Scortecci editora, para a 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo (2022) e, enfim, para ser a edição comemorativa dos 100 anos da Semana de Arte Moderna. Como as poesias já fazem parte desse blog, não faria sentido reescrevê-las, então, deixo aqui cópias das páginas da minha colaboração. Foi uma honra poder ter participado de tão nobre edição comemorativa. Obrigado pela oportunidade.     Primeira parte: Segunda parte: