Pular para o conteúdo principal

Outro Papos indica Little V Mills

 O belo também é harmonia musical, então, indicar o canal de um metaleiro que não somente faz covers de anime songs (anisongs) como também as adapta para o metal, é indicar o belo. Pode parecer estranho, mas o metal possui beleza, principalmente se o trabalho for rigoroso como o dele. Ele adapta para o heavy metal, ele canta e ainda canta em japonês. E a  beleza no heavy metal é multifacetada, indo desde o visual rebelde até a exuberância teatral, sempre refletindo a diversidade e a criatividade desse gênero musical.

Esclarecimento sobre alguns trabalhos!


Meus trabalhos em nova casa

Alguns de meus trabalhos estão saindo da antiga editora. Eu estava descontente com o serviço de vendas. Como podem ver pela loja Amazon dos EUA, um  exemplar do Faces de Deus está sendo vendido por 175 dólares. Entrei em contato para verificar a possibilidade da redução do preço, pois até na Amazon do Brasil o livro está bem caro. Citei o caso dos livros sendo vendidos pela loja virtual. Foi-me dito que a própria Amazon adquiriu um exemplar e está definindo este valor para o mercado. Então, parece-me que o sistema de vendas da editora perdeu o controle da situação e eu não gostei disso.





Nesse sentido, pensei em contra-atacar o preço da Amazon imprimindo exemplares a preço menor e colocando o mesmo na loja virtual. Procurei gráficas e encontrei uma com um bom custo para o autor. Ao pedir os arquivos finais (capa e miolo) da antiga editora, fui lembrado que não poderia usar outra gráfica com estes arquivos, sob pena de cometer crime por usar o logo da Scortecci. Um obstáculo jurídico que não tinha percebido. Segundo o formulário, eu não poderia usar o logo, a ficha catalográfica, o isbn e qualquer coisa que remetesse à editora.

Então, decidi começar tudo do zero. Já informei a Scortecci para cancelar o serviço de vendas dos títulos mencionados. O Faces de Deus, o Fé de mais, ou Fé de menos?,  e o Eu Falei de Crise estarão migrando para a nova editora aos poucos. Nova ficha catalográfica, novo ISBN (impresso e digital), nova capa (com as mesmas incríveis imagens criadas por Ale Nagado) e novo serviço de vendas. O registro autoral do Eu Falei de Crise já está garantido pela Biblioteca Nacional, bem como dos demais trabalhos. Para outubro, já estou trabalhando na readaptação e relançamento do Faces de Deus e do lançamento oficial do Eu Falei de Crise. Em novembro, levarei o Fé de mais, ou Fé de menos? para lá.

Trabalho de Ale Nagado nas capas dos meus livros. 


Desta forma, apesar do pequeno contratempo, eu conseguirei honrar com a minha palavra e conseguirei lançar o Eu Falei de Crise em outubro, como planejado. A nova casa será a editora Perse, que já detêm o serviço de vendas de outros trabalhos: Apocalipse: Brasília!, Mangá Tropical- Um estudo de Caso e Manual do escritor Independente.

Postagens mais visitadas deste blog

Boushoku no Berserk

Berserk of Gluttony: Uma Série Que É Meu "Pecado"! Boushoku no Berserk (Berserk of Gluttony) - Pictures - MyAnimeList.net Fate é um jovem que acreditava ter uma habilidade inútil chamada "Gula", que o mantinha constantemente faminto. Ele era um vassalo em uma casa de cavaleiros sagrados, onde era tratado com desdém, nutrindo uma paixão secreta pela cavaleira Roxy Hart. Ela destaca-se como a única guerreira nobre em um mundo dominado por cavaleiros que abusam de seu poder para oprimir o povo. Quando Fate acidentalmente mata um ladrão enquanto ajuda Roxy, ele descobre que sua habilidade de "Gula" vai além do que parecia. Esse evento o faz perceber os aspectos positivos e negativos de seu "pecado". Comprometido a proteger Roxy, ele decide usar seu poder em prol da casa daquela que sempre o tratou com humanidade e respeito. Baseada em uma novel escrita por Ichika Isshiki , com arte de fame , "Berserk of Gluttony" é serializada desde 2017,

Outros Papos indica: Japanese Noodles Udon Soba Kyoto Hyogo

 Saboreiem! Um canal dedicado à culinária japonesa! Se gostarem, se inscrevam lá!

Traduções ideológicas

Hoje, no blog, não farei recomendações, mas sim uma sugestão. Há uma controvérsia em torno de alterações indesejadas em traduções e legendas de obras japonesas. Se os próprios japoneses começassem a traduzir e legendar seus animes para o Ocidente, essas distorções poderiam ser evitadas. Pergunto-me por que, até agora, os japoneses ainda não optaram por legendarem eles mesmos e disponibilizarem à venda discos com suas obras legendadas em outros idiomas. Isso certamente eliminaria o ruído ideológico e, sem dúvida, eu seria um dos consumidores da mídia física lançada por eles, com legendas "feitas em casa". Na administração, aprendemos que devemos apresentar não apenas os problemas, mas também as soluções. Portanto, considero essa a solução para o problema das alterações ideológicas em obras orientais.