Pular para o conteúdo principal

O futuro do blog.




Durante a entrega do Prêmio Cultura Nacional e Internacional, conversei bastante com o presidente da Real Academia de Letras, sr. Mário Scherer, sobre diversos assuntos que tocaram em vários temas. De política, até a busca da arte pelo belo, fomos construindo objetivos e missões. Fui revigorado com as sábias palavras desse mestre e consegui vislumbrar objetivos para o blog, para a minha escrita e para a minha vida.

Estou muito preso ao modo de construção moderno. É uma bengala para a minha falta de esforço. Eu desabafei sobre isso, em uma autocrítica, também vislumbrando um 2019 no qual procurarei outros modos de construção mais rigorosos. Voltarei ao parnasianismo e aos estilos mais próximos do romantismo. Minha missão, para 2019, é sair do modernismo e passear por outras fontes de construções poéticas. Não me distanciarei do gótico.

Daniela Diana[1]: “A Poesia Parnasiana reflete o realismo poético, embora existam pontos discordantes entre os dois movimentos.
Na Poesia Parnasiana, a estética é traduzida pela "arte pela arte" ou, ainda, a "arte sobre a arte". É o movimento da perfeição literária”.

Eu também decidi escrever um conto por semana e, quando tiver bastante material, publicar. Tenho preferência por contos de terror. Vou comprar livros de mestres do horror para absorver seus estilos e formar o meu próprio estilo. Amo as histórias do King, mas quero perceber outros autores. Buscarei conhecimento em muitas fontes. O Conto do Ratinho continuará. Ele é uma história baseada em fatos recentes e desejo continuar escrevendo usando minha vida como material. Um conto por ano.

Os textos mais longos, sobre política, economia e direito continuarão tendo seu espaço no blog e continuarão sendo escritos da mesma maneira. Muitos perguntam qual o motivo de usar tantas referências, usar tantas vozes em meu texto. É uma construção próxima ao que se faz quando se está elaborando um TCC (trabalho de conclusão de curso). Na época do meu TCC, eu mesmo perguntei para a minha orientadora se não poderia apenas escrever o que li, e ela me disse que não. Normas da ABNT[2]: “Talvez nos pareça algo desnecessário, mas a verdade é que as Normas ABNT são essenciais para dar ao conhecimento científico ali descrito, um cunho de maior confiança e seriedade. Além disto, é um critério de normatização adotado em vários países do mundo. Elas fundamentam-se na necessidade de uma padronização para os trabalhos acadêmicos. Definem um padrão único para transmitir uma informação pesquisada, a conclusão de um estudo ou um conhecimento científico que se deseja perpetuar. Padronizar é uma de suas finalidades, pois sendo assim, torna fácil a compreensão por qualquer pesquisador, cientista e professor do mundo.

Os trabalhos desenvolvidos à luz das normas ABNT obedecem à determinadas exigências que os tornam mais considerados e de maior credibilidade. Portanto, é preciso estar atento às atualizações realizadas de tempos em tempos para estar dentro dos padrões de normatização vigentes.

Por essa razão adotei um estilo um pouco mesclado, seguindo as regras da ABNT em um momento, e em outro momento, algo mais livre. Por exemplo, aqui posso simplesmente escrever “clique aqui” (inserindo um link) para levar o leitor a um outro texto, imagem ou vídeo, coisa que não existe em um livro impresso. Agora, seguir ao máximo as normas da ABNT, facilita na hora de adaptar para o impresso. E, em época de guerra contra Fake News, mostrar as fontes de sua leitura é importante para dar veracidade ao que está sendo escrito. Com isso, tento trazer ao blog credibilidade e informar da melhor maneira possível.

Dessa forma, o blog continuará em 2019.


[1] Daniela Diana, lido em 19/11/2018, em: <https://www.todamateria.com.br/poesia-parnasiana/>
[2] Normas e Regras, lido em 19/11/2018, em : <https://www.normaseregras.com/normas-abnt/>

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Diego Rox e o Jardim das Borboletas

Diego Rox e o Jardim das Borboletas
Como sabem, sou inscrito do canal do Nando Moura, ou seja, sou um dos “bots” do canal. Sobre este assunto, está até engraçado. Vou escrever sobre isto antes de entrar no assunto. Os adversários que temem a verdade nos ofendem com termos que não condizem com nosso real comportamento. Ficou engraçado, porque, se juntarmos todas as ofensas em uma frase, eu acabo virando um “robô, com recurso de bot, nazista e fascista, que não gosta de odores fortes”, por isso, está engraçado ver esta situação. Fui reduzido a um robô Windows 10, que não gosta de pum.
Ao assunto. Através do vídeo do Nando, sobre o uso de bots, eu acabei conhecendo o canal do Diego Rox. Veja um vídeo abaixo. Ele parece ter uma agenda parecida com a do Nando Moura, isto é, ele é cristão, pois acredita em Deus e em Cristo, prega ação contra a corrupção, homenageia os verdadeiros heróis anônimos, é caridoso e defende a liberdade. Uma agenda que também me aproxima dele, por isso, hoje, esto…

Cavaleira ou Amazona? Veja a resposta!

Amazona ou Cavaleira?
    Em meu tempo de colégio, nas décadas de 80 e 90, nos foi ensinado que o feminino de cavaleiro seria amazona. Em uma prova, um colega marcou o feminino de cavaleiro sendo cavaleira e foi repreendido. Desta forma, fixei amazona como o feminino correto para o termo em questão, ou seja, mulher que anda a cavalo. Ao assistir Walkure Romanze, eu me deparei com a palavra cavaleira e me questionei. Inclusive, alertei-os para a forma que eu julgava correta, mas sem retorno positivo. Deste modo, fui pesquisar para ver se a expressão estaria correta.


    Nestas pesquisas, encontrei um professor que prontamente me respondeu a esta questão. O caso estava solucionado com uma bela lição que, agora, repasso a vocês. Com a palavra o professor Ari Riboldi.
    No meu tempo de estudante, no ensino primário e no ginásio, também se aprendia assim: cavaleiro (masc.), amazona (fem); cavalheiro (masc.), dama (fem.). No entanto, os dicionários registram o termo 'cavaleira' …

Será o Veredito?!

Canal Será o Veredito?!
Foi a primeira recomendação do Youtube que gostei de ter recebido. Sobre o canal: “O Direito tá na mídia! O Direito tá na moda! Um juiz de direito se torna celebridade nacional. Tribunais transmitem suas sessões ao vivo pela televisão. Os meios de comunicação não se cansam de veicular notícias jurídicas. Mas, o mundo jurídico possui formalidades que dificultam a compreensão dos seus temas pelo cidadão que não tem formação no direito. Muito se fala; pouco se explica. Por isso surgiu o "Será o Veredito!?". Um canal que traz informações sobre o direito com uma linguagem simples, clara e objetiva.”



O primeiro vídeo que vi desse canal foi uma resposta ao Bugalho. Uma resposta baseada em livros, mostrando a fonte de seu conhecimento e minando, com ótimos argumentos, a posição de seu opositor. Todos os vídeos que assisti foram assim, com a fonte de leitura em mãos. Ele já se disse de centro-direita, o que o faz ser um aliado natural da liberdade e da proprie…