Pular para o conteúdo principal

Uma Alternativa para Ayakashi Ghost Guild




Uma bomba recaiu sobre os jogadores de game recentemente. Uma das maiores companhias no ramo de jogos para redes sociais e celulares anunciou o fechamento de muitos de seus títulos, incluindo games fortes como City Ville e Ayakashi Ghost Guild. A Zynga anunciou que esses títulos serão fechados em 30 de abril desse ano. O motivo seria a queda no número de usuários e a baixa renda que esses títulos vem conseguindo ultimamente.


O relatório do ano fiscal aponta uma confortável margem de lucro e reserva, acima de 180 milhões de dólares, então, o fechamento desses títulos surpreendeu a todos. Veja no Adweek, como escreve Brandy Shaul: “Social game developer Zynga has announced its Q4 2014 financial results, reporting bookings of $182.4 million, up four percent quarter-over-quarter. The developer of Facebook and mobile games saw mobile bookings represent 60 percent of the total bookings for Q4 2014, up from 34 percent in Q4 2013.”


Apesar do retorno financeiro e da estabilidade, muitos funcionários foram demitidos e os jogos serão fechados. Outra matéria do site Adweek, também escrita por Brandy Shaul dá detalhes dos jogos que serão fechados: “In addition to Pioneer Trail, Zynga has also announced an April 30 closure date for five more games, including some mobile titles: Zynga Slots, Duck Dynasty Slots, Riches of Olympus, Ayakashi: Ghost Guild and FarmVillage (a title launched by Zynga China at the end of Q4 2014).”


Como a decisão leva em conta popularidade e retorno financeiro, não acredito que a Zynga voltará atrás na decisão de manter um ou outro jogo, apesar de já existir uma petição online contra o fechamento de Ayakashi Ghost Guild. Ela pode ser acessada aqui e já está atingindo a meta de 5 mil assinaturas (dia 26/03/2015). Então, nos resta procurar por outro jogo. Eu mesmo sou um que vai sentir a falta da Mira, mas recomendo o jogo abaixo. Clique no nome para ser direcionado para a página do desenvolvedor do jogo.








O jogo da empresa japonesa Silicon Studio é semelhante a Ayakashi em estrutura, ou seja, o jogo possui estrutura de história, batalhas, cartas, evolução de personagens, sistema de guildas, compra e venda de cartas, eventos especiais e enredo. Como Ayakashi, Ishtaria usa do traço do mangá como sua fonte principal de arte para os personagens. Ou seja, quem está acostumado ao Ayakashi, logo se adapta a Age of Ishtaria. A vantagem desse jogo está na qualidade da história, que possui gráfico mais dinâmico, com mais movimento e estrutura mais bem elaborada.


Outra diferença está na forma de atacar. Em Ishtaria é possível conduzir os ataques de diferentes maneiras, criando combos diferentes que são mais indicados para luta contra um único oponente, ou contra vários oponentes de uma única vez. Dessa forma, você cria diferentes formas de derrotar um adversário, não ficando preso a uma única forma de combate. Eu me surpreendi também com a beleza da animação da evocação de cartas, que surpreende pelos detalhes.


Se você não conhecia Ishtaria e se interessou, ele está disponível para iOS6.0 ou sistema superiores, sendo recomendado aparelhos com o iPhone 4s, ou superior. Também está disponível para Android4.0 ou superior. Vá na loja e baixe para experimentar.


Sobre a Silicon Studio: “Silicon Studio Corporation was established in November 1999 as an affiliate of SGI Japan, Ltd., the then local subsidiary of US-based Silicon Graphics Inc., to engage in a broad range of businesses related to real-time graphics. Our corporate history after the establishment is shown below.”





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Diego Rox e o Jardim das Borboletas

Diego Rox e o Jardim das Borboletas
Como sabem, sou inscrito do canal do Nando Moura, ou seja, sou um dos “bots” do canal. Sobre este assunto, está até engraçado. Vou escrever sobre isto antes de entrar no assunto. Os adversários que temem a verdade nos ofendem com termos que não condizem com nosso real comportamento. Ficou engraçado, porque, se juntarmos todas as ofensas em uma frase, eu acabo virando um “robô, com recurso de bot, nazista e fascista, que não gosta de odores fortes”, por isso, está engraçado ver esta situação. Fui reduzido a um robô Windows 10, que não gosta de pum.
Ao assunto. Através do vídeo do Nando, sobre o uso de bots, eu acabei conhecendo o canal do Diego Rox. Veja um vídeo abaixo. Ele parece ter uma agenda parecida com a do Nando Moura, isto é, ele é cristão, pois acredita em Deus e em Cristo, prega ação contra a corrupção, homenageia os verdadeiros heróis anônimos, é caridoso e defende a liberdade. Uma agenda que também me aproxima dele, por isso, hoje, esto…

Cavaleira ou Amazona? Veja a resposta!

Amazona ou Cavaleira?
    Em meu tempo de colégio, nas décadas de 80 e 90, nos foi ensinado que o feminino de cavaleiro seria amazona. Em uma prova, um colega marcou o feminino de cavaleiro sendo cavaleira e foi repreendido. Desta forma, fixei amazona como o feminino correto para o termo em questão, ou seja, mulher que anda a cavalo. Ao assistir Walkure Romanze, eu me deparei com a palavra cavaleira e me questionei. Inclusive, alertei-os para a forma que eu julgava correta, mas sem retorno positivo. Deste modo, fui pesquisar para ver se a expressão estaria correta.


    Nestas pesquisas, encontrei um professor que prontamente me respondeu a esta questão. O caso estava solucionado com uma bela lição que, agora, repasso a vocês. Com a palavra o professor Ari Riboldi.
    No meu tempo de estudante, no ensino primário e no ginásio, também se aprendia assim: cavaleiro (masc.), amazona (fem); cavalheiro (masc.), dama (fem.). No entanto, os dicionários registram o termo 'cavaleira' …

Será o Veredito?!

Canal Será o Veredito?!
Foi a primeira recomendação do Youtube que gostei de ter recebido. Sobre o canal: “O Direito tá na mídia! O Direito tá na moda! Um juiz de direito se torna celebridade nacional. Tribunais transmitem suas sessões ao vivo pela televisão. Os meios de comunicação não se cansam de veicular notícias jurídicas. Mas, o mundo jurídico possui formalidades que dificultam a compreensão dos seus temas pelo cidadão que não tem formação no direito. Muito se fala; pouco se explica. Por isso surgiu o "Será o Veredito!?". Um canal que traz informações sobre o direito com uma linguagem simples, clara e objetiva.”



O primeiro vídeo que vi desse canal foi uma resposta ao Bugalho. Uma resposta baseada em livros, mostrando a fonte de seu conhecimento e minando, com ótimos argumentos, a posição de seu opositor. Todos os vídeos que assisti foram assim, com a fonte de leitura em mãos. Ele já se disse de centro-direita, o que o faz ser um aliado natural da liberdade e da proprie…