Pular para o conteúdo principal

OP indica TBS no Youtube

Revisão: ChatGPT A Salad Bowl of Eccentrics! Indico mais um canal japonês com uma abertura realmente boa, embora não tenha conseguido uma posição de destaque na minha lista. Ela é divertida e um tanto alucinada. Achei criativo como os personagens animados interagem com o ambiente real, chegando a interferir nas funções de algumas máquinas. Também gostei muito do segmento ao estilo detetive/investigação policial que apresenta alguns personagens. É bastante excêntrico ver uma personagem feminina cantando um trecho da abertura, mas a voz que se ouve é do cantor oficial. Sem dúvida, é uma abertura muito criativa! Está sendo uma temporada bastante criativa! Ah, OP é Outros Papos! 【Elenco】 Sousuke Kaburaya: Makoto Furukawa Sara da Odin: Hina Yano Livia de Uudis: M・A・O Puriketsu: Haichi Daichi Mikami Moe: Akane Fujita Brenda Aizaki: Manami Numakura Yuna Naganawa: Yuuki Takada Haruka Kinoe: Mizuki Mano Isao Kusanagi: Yoji Ueda Takeo: Shinnosuke Tachibana Suzuki: Kousuke Toriumi 【Músicas Temáti

Teoria do Agendamento hoje!




Diz a teoria do “agenda setting” (teoria do agendamento) que os meios de comunicação podem influenciar na conversa do cotidiano do cidadão e influenciá-los de certa maneira, fazendo com que percebam um fato como de grande ou pouco impacto. Vou deixar uma explicação melhor abaixo:


"(...)em consequência da ação dos jornais, da televisão e dos outros meios de informação, o público sabe ou ignora, presta atenção ou descura, realça ou negligencia elementos específicos dos cenários públicos. As pessoas têm tendência para incluir ou excluir dos seus próprios conhecimentos aquilo que o mass media incluem ou excluem do seu próprio conteúdo. Além disso, o público tende aquilo que esse conteúdo inclui uma importância que reflete de perto a ênfase atribuída pelos mass media aos acontecimentos, aos problemas, às pessoas."

Donald Shaw , 1979 (In: WOLG , 1994)



Então, algumas décadas atrás, os estudiosos acreditavam que um fato seria relevante de acordo com o grau de exposição dele na mídia. E que as conversas do cotidiano seriam baseadas neste agendamento da mídia. Por exemplo, o povo falaria sobre o campeão do futebol inglês enquanto houvesse divulgação disso pela mídia. Surgindo um novo tema nos meios de comunicação, logo o campeão inglês seria esquecido.

O ano de 2016 veio a revelar alguns pontos importantes sobre a distribuição de atenção do público nos meios de comunicação. Dois exemplos vieram a demonstrar que a midia convencional pode estar deixando de ser o carro-chefe do agendamento. Durante o evento do impeachment, correu a notícia de que as operadoras de internet no Brasil limitariam os novos contratos de banda larga pela quantidade de fluxo de dados, limitando a nossa internet. Estava jogado na mídia o que deveria ser o novo agendamento, ou seja, o povo deveria esquecer o impeachment e começar a discutir o limite de fluxo de dados. Isso não ocorreu. A discussão sobre o impeachment não morreu e juntou-se ao da internet limitada, que logo se juntou às notícias sobre Lula e Dilma (obstrução da justiça). Apesar do esforço em agendar um novo tema, os temas anteriores não morreram e todos os temas passaram a conviver no espaço social do brasileiro.

Existe um efeito do agendamento, que é fazer com que um consumidor acredite que um produto é bom, ou seja, o agendamento tem a tendência de promover produtos e serviços. Veja o caso do filme Ghostbusters. Ele foi amplamente elogiado em diversos meios de comunicação, fazendo com que o filme recebesse o score de 73% de críticas positivas. Agora, repare na média ao lado (score do público) na imagem que abre este texto. O agendamento ajudou na bilheteria (o estúdio esperava algo em torno de 44 a 50 milhões, e recebeu 46 milhões). O estúdio calculou que receberia 150 milhões em 15 dias, segundo a força deste agendamento, mas está com 106 milhões e 17 dias, ou seja, algo deu errado.


Conclusão

O que estes dois exemplos mostram é que o agendamento não possui nos meios de comunicação tradicionais, sua melhor força. No caso do impeachment, as redes sociais e o streaming continuaram suprindo o público com informações, não permitindo que a notícia esfriasse. Isso possibilitou que o tema permanecesse em pauta e ainda levou cerca de 4 mil pessoas às ruas no domingo passado, em Brasília. Outros milhares se manifestaram em diversas capitais. Já o filme em questão, teve na internet o seu algoz. As críticas ruins começaram a proliferar em vídeos, blogs e em plataformas como a do Rotten Tomatoes, dando ao filme um score de 3.2/5. Isso esfriou o interesse do público que ainda estava em dúvida se iria aos cinemas ou não.     


Os dois exemplos provam que os meios tradicionais devem conversar com os novos meios de comunicação (não tão novos assim) para conseguir atingir o público como faziam antigamente, e que o público, agora, possui meios mais livres para manifestar sua vontade e se mover para onde, como e quando quiser. 

Postagens mais visitadas deste blog

Ghost in the Shell

Máquinas vivas; Um fantasma surge; O homem virtual. Ghost in the Shell está mais próximo do que pensamos! 

Boushoku no Berserk

Berserk of Gluttony: Uma Série Que É Meu "Pecado"! Boushoku no Berserk (Berserk of Gluttony) - Pictures - MyAnimeList.net Fate é um jovem que acreditava ter uma habilidade inútil chamada "Gula", que o mantinha constantemente faminto. Ele era um vassalo em uma casa de cavaleiros sagrados, onde era tratado com desdém, nutrindo uma paixão secreta pela cavaleira Roxy Hart. Ela destaca-se como a única guerreira nobre em um mundo dominado por cavaleiros que abusam de seu poder para oprimir o povo. Quando Fate acidentalmente mata um ladrão enquanto ajuda Roxy, ele descobre que sua habilidade de "Gula" vai além do que parecia. Esse evento o faz perceber os aspectos positivos e negativos de seu "pecado". Comprometido a proteger Roxy, ele decide usar seu poder em prol da casa daquela que sempre o tratou com humanidade e respeito. Baseada em uma novel escrita por Ichika Isshiki , com arte de fame , "Berserk of Gluttony" é serializada desde 2017,

Ciclos de revolução: A Quarta Revolução!

Ciclos de Revolução: A Quarta Revolução Revisão: ChatGPT Estamos vivenciando a quarta revolução industrial/tecnológica, e muito tem sido discutido sobre os potenciais danos que esta revolução pode causar ao tecido social, incluindo desemprego e outras adversidades. Procuro refletir sobre o futuro com base no passado, observando no presente os mesmos receios que nossos antepassados enfrentaram nas três revoluções industriais anteriores. Começo com uma conversa que tive com uma taxista, para então discorrer sobre algumas das revoluções passadas. Durante uma parada em uma lanchonete que estava instalando terminais de autoatendimento no último ano, tive uma conversa: “Taxista: --- Estão instalando essas máquinas para substituir trabalho humano. Muitos caixas estão perdendo seus empregos. Isso é o capitalismo! Eu: --- Por outro lado, a tecnologia, ao eliminar um posto de trabalho (caixa de atendimento), cria outras necessidades. A lanchonete precisará de profissionais para manutenção de sof