Pular para o conteúdo principal

O belo vive!

 O Belo vive;  Sonhos na neve;  Alma limpa!

Vamos cantar em japonês!


Vamos Cantar em Japonês

    Como sabem, o site também oferece espaço para divulgação de eventos via apresentação de um release. Existe um programa da NHK World Radio Japão chamado “Vamos Cantar em Japonês”, pois no dia 1º de abril, a NHK estará realizando uma gravação aberta ao público na cidade de São Paulo, com entrada franca, mas limitada. Segue informações do release:

“A apresentadora Sonia Nakagawa e a professora de canto Emi Ogawa estarão no local para, juntamente com o público, conduzir o programa.

Data: 1º de abril de 2012 (domingo)
Local: Pequeno Auditório da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo)
Rua São Joaquim, 381 – Liberdade – São Paulo – SP
Horário: a partir das 14 horas
Apresentadora: Sonia Nakagawa
Professora de canto: Emi Ogawa
VAGAS LIMITADAS!”

    Pesquisando um pouco, descobri que o programa terá um tema chamado “A canção que dedico ao Japão”, que será um concurso de karaokê com os seguintes classificados e suas apresentações:

Fabiano Andrade da Silva -- "ALONES" de Aqua Timez
Pedro Vasconcellos -- "Chigirie" de Hiroshi Itsuki
Aurora Kyoko Nakati -- "Tomorrow" de Mayo Okamoto
Rogério da Veiga Garcia -- "Ue o muite arukō" de Kyu Sakamoto
Renata Tiemi Kato -- "Okaeri" de Ayaka
Fábio Shinagava -- "Majingaa Z" de Ichiro Mizuki
Melissa Kuniyoshi -- "Seto no hanayome" de Rumiko Koyanagi
Flávio Vicente de Souza -- "Kitaguni no haru" de Masao Sen
Aline Majuri Wanderley -- "Nando demo" de Dreams Come True
Bruna Pais da Silva -- "Dragon Screamer" de DA PUMP

O programa terá dois blocos assim descritos.

1º bloco: "Vamos cantar em japonês em São Paulo"
Nosso ouvinte selecionado, Guilherme Barros Duarte, vai subir no palco e receber lições de canto da professora Emi Ogawa.
Música da aula: "I love you & I need you Fukushima" (Inawashirokos)

2º bloco:  Concurso de karaokê "A canção que dedico ao Japão". Os japoneses estão empenhados na reconstrução das regiões afetadas pelo desastre de 11 de março. Os 10 participantes selecionados vão enviar suas mensagens de apoio cantando músicas japonesas de sua preferência.

O programa será conduzido por:


Sônia Nakagawa e



Emi Ogawa


    Gostaram do evento? Acharam interessante? Querem participar? O site da NHK nos mostra como, basta prencher o formulário aqui(clique) com estas informações adicionais:

1. Nome
2. Cidade e estado onde você mora
3. Endereço de e-mail
4. Número de pessoas
5. Mensagem para a RÁDIO JAPÃO

Mais detalhes na página em português da NHK (clique)

Postagens mais visitadas deste blog

Boushoku no Berserk

Berserk of Gluttony: Uma Série Que É Meu "Pecado"! Boushoku no Berserk (Berserk of Gluttony) - Pictures - MyAnimeList.net Fate é um jovem que acreditava ter uma habilidade inútil chamada "Gula", que o mantinha constantemente faminto. Ele era um vassalo em uma casa de cavaleiros sagrados, onde era tratado com desdém, nutrindo uma paixão secreta pela cavaleira Roxy Hart. Ela destaca-se como a única guerreira nobre em um mundo dominado por cavaleiros que abusam de seu poder para oprimir o povo. Quando Fate acidentalmente mata um ladrão enquanto ajuda Roxy, ele descobre que sua habilidade de "Gula" vai além do que parecia. Esse evento o faz perceber os aspectos positivos e negativos de seu "pecado". Comprometido a proteger Roxy, ele decide usar seu poder em prol da casa daquela que sempre o tratou com humanidade e respeito. Baseada em uma novel escrita por Ichika Isshiki , com arte de fame , "Berserk of Gluttony" é serializada desde 2017,

Outros Papos indica: Japanese Noodles Udon Soba Kyoto Hyogo

 Saboreiem! Um canal dedicado à culinária japonesa! Se gostarem, se inscrevam lá!

Traduções ideológicas

Hoje, no blog, não farei recomendações, mas sim uma sugestão. Há uma controvérsia em torno de alterações indesejadas em traduções e legendas de obras japonesas. Se os próprios japoneses começassem a traduzir e legendar seus animes para o Ocidente, essas distorções poderiam ser evitadas. Pergunto-me por que, até agora, os japoneses ainda não optaram por legendarem eles mesmos e disponibilizarem à venda discos com suas obras legendadas em outros idiomas. Isso certamente eliminaria o ruído ideológico e, sem dúvida, eu seria um dos consumidores da mídia física lançada por eles, com legendas "feitas em casa". Na administração, aprendemos que devemos apresentar não apenas os problemas, mas também as soluções. Portanto, considero essa a solução para o problema das alterações ideológicas em obras orientais.