Pular para o conteúdo principal

Atualização de um livro

Como escritor, usei esse espaço para difundir minhas ideias e soluções para o desafio de se escrever e editar livros de forma independente. Após ter concluído um certo número de questões, eu lancei tudo em formato de livro, via Perse, que você pode conferir clicando aqui.



Como vou participar da Bienal do Livro do Rio de Janeiro, eu queria atualizar as informações que escrevi anteriormente. Na questão da divulgação de livros, eu apresentei uma ferramenta chamada Dino. Essa ferramenta, desde então, vem se desenvolvendo incrivelmente. Hoje, é o meu principal meio de envio de releases e que eu indico aos nobres colegas que necessitam divulgar seus livros de maneira eficiente. Vasco Ribeiro traça um resumo interessante para o conceito de release: “O press release já tem mais de cem anos de existência e é tido como a mais importante técnica de assessoria de imprensa. Muitos são os estudos que provam os altos índices de eficácia deste suporte na indução de notícias.” (Universidade do Porto). Release, então, é uma forma de comunicação entre dois profissionais. Um profissional da assessoria de uma empresa ou grupo, que possui o interesse em divulgar um fato de interesse social sobre seu grupo ou empresa em questão, e a redação de um meio de comunicação. O assessor lança o release, o jornalista o lê e, caso ache interessante, entra em contato para saber mais detalhes e realizar uma matéria mais aprofundada. Alguns profissionais simplesmente copiam e colam o release, mas o verdadeiro jornalista o usa como objeto para um artigo maior e melhor.


O que é o Dino?
“O Dino é uma plataforma para divulgação de releases: você cria seu release em um publicador fácil de usar, coloca fotos, vídeo, redes sociais e dá a 'ordem' de disparo. Em seguida, seu release é publicado simultaneamente em até 140 sites, enviado para até 25.000 jornalistas e é otimizado para ser melhor encontrado pelo Google. Você ainda recebe um relatório completo de cada divulgação”. (site Dino)




Quando escrevi sobre essa ferramenta, anos atrás, ela ainda não possuía parcerias com o site R7, Estadão e nem possuía esse aplicativo interessante para leitura de releases que uso no meu blog. Isso mostra como os fundadores do sistema se preocupam em agregar valor ao serviço e estar sempre preocupados com a qualidade do serviço. Essa preocupação se mostra ainda mais evidente quando eles começaram a lançar dicas para melhorar os releases, criando ótimas aulas de assessoria de imprensa.


Ao se escrever um livro, ou apresentar um produto ou serviço, quanto mais divulgação tiver, melhor será o resultado de vendas e participação no mercado. Nesse sentido, uma boa assessoria de imprensa torna-se fundamental para o sucesso do empreendimento, pois é sua primeira linha de contato com o público, através do trabalho conjunto com o jornalista. O Dino é um facilitador nesse sentido, fazendo com que seu release fique visível para muitos. Obviamente, é um sistema pago. Veja aqui os valores e os planos.


Como o uso para a divulgação de releases de meus livros, eu opto sempre pelo sistema do plano avulso e os resultados são muito bons. Veja abaixo um dos relatórios do lançamento do meu livro “Fé de mais, ou Fé de menos?” e perceba que o número de impressões do release é satisfatório, dando uma boa visibilidade para o material.






Nesse sentido, eu continuo aprovando o serviço da Dino e indicando. Quando o próximo evento se aproximar, lançarei novo release mediante o serviço deles, que é rápido, prático e eficiente.  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Diego Rox e o Jardim das Borboletas

Diego Rox e o Jardim das Borboletas
Como sabem, sou inscrito do canal do Nando Moura, ou seja, sou um dos “bots” do canal. Sobre este assunto, está até engraçado. Vou escrever sobre isto antes de entrar no assunto. Os adversários que temem a verdade nos ofendem com termos que não condizem com nosso real comportamento. Ficou engraçado, porque, se juntarmos todas as ofensas em uma frase, eu acabo virando um “robô, com recurso de bot, nazista e fascista, que não gosta de odores fortes”, por isso, está engraçado ver esta situação. Fui reduzido a um robô Windows 10, que não gosta de pum.
Ao assunto. Através do vídeo do Nando, sobre o uso de bots, eu acabei conhecendo o canal do Diego Rox. Veja um vídeo abaixo. Ele parece ter uma agenda parecida com a do Nando Moura, isto é, ele é cristão, pois acredita em Deus e em Cristo, prega ação contra a corrupção, homenageia os verdadeiros heróis anônimos, é caridoso e defende a liberdade. Uma agenda que também me aproxima dele, por isso, hoje, esto…

Cavaleira ou Amazona? Veja a resposta!

Amazona ou Cavaleira?
    Em meu tempo de colégio, nas décadas de 80 e 90, nos foi ensinado que o feminino de cavaleiro seria amazona. Em uma prova, um colega marcou o feminino de cavaleiro sendo cavaleira e foi repreendido. Desta forma, fixei amazona como o feminino correto para o termo em questão, ou seja, mulher que anda a cavalo. Ao assistir Walkure Romanze, eu me deparei com a palavra cavaleira e me questionei. Inclusive, alertei-os para a forma que eu julgava correta, mas sem retorno positivo. Deste modo, fui pesquisar para ver se a expressão estaria correta.


    Nestas pesquisas, encontrei um professor que prontamente me respondeu a esta questão. O caso estava solucionado com uma bela lição que, agora, repasso a vocês. Com a palavra o professor Ari Riboldi.
    No meu tempo de estudante, no ensino primário e no ginásio, também se aprendia assim: cavaleiro (masc.), amazona (fem); cavalheiro (masc.), dama (fem.). No entanto, os dicionários registram o termo 'cavaleira' …

Será o Veredito?!

Canal Será o Veredito?!
Foi a primeira recomendação do Youtube que gostei de ter recebido. Sobre o canal: “O Direito tá na mídia! O Direito tá na moda! Um juiz de direito se torna celebridade nacional. Tribunais transmitem suas sessões ao vivo pela televisão. Os meios de comunicação não se cansam de veicular notícias jurídicas. Mas, o mundo jurídico possui formalidades que dificultam a compreensão dos seus temas pelo cidadão que não tem formação no direito. Muito se fala; pouco se explica. Por isso surgiu o "Será o Veredito!?". Um canal que traz informações sobre o direito com uma linguagem simples, clara e objetiva.”



O primeiro vídeo que vi desse canal foi uma resposta ao Bugalho. Uma resposta baseada em livros, mostrando a fonte de seu conhecimento e minando, com ótimos argumentos, a posição de seu opositor. Todos os vídeos que assisti foram assim, com a fonte de leitura em mãos. Ele já se disse de centro-direita, o que o faz ser um aliado natural da liberdade e da proprie…