Pular para o conteúdo principal

Crise da masculinidade!


A masculinidade




A principal função do blog é iniciar um tema, expondo-o, para que o leitor use as fontes aqui apresentadas como base para uma pesquisa mais aprofundada. Dessa forma, cabe ao leitor se aprofundar nos temas apresentados, ler os livros e conhecer os autores.

Quando citei que não havia percebido a masculinidade em personagens da série de mangá (quadrinho japonês) Komi can’t communicate e que a ausência do elemento masculino se dá pela opressão à masculinidade, que dizem ser tóxica, eu citei o que é a masculinidade para a Bíblia, citei como fui ensinado sobre o tema e terminei com um vídeo sobre o problema da masculinidade quando ela é reprimida, tornado os homens covardes e mais agressivos. Passe lá e veja os vídeos. Em resumo, a masculinidade frágil, reprimida, torna o homem mais fraco, tirando-lhe o papel social que a natureza lhe impôs. Com isso, a feminilidade também é atacada, pois ela é alterada quando a masculinidade também é.

E isso é um dilema em quadrinhos, pois não se pode desaparecer com a masculinidade, portanto, algum personagem deve se portar de forma mais máscula e isso está transformando as personagens femininas em algo mais bruto. Temos séries como Sket Dance, Saintia Shô e Gintama, por exemplo, nas quais as personagens femininas estão fazendo o papel masculino. Essa inversão de valores só colabora para confundir a sociedade, afetando negativamente as mulheres, e está ficando chato demais.

Dessa forma, achei melhor reforçar o tema com a apresentação de um pouco mais de dados e vídeos. Começo com esse do Dois dedos de Teologia. Apesar das recentes polêmicas com o Bernardo e com o Olavo, eu respeito bastante o rapaz e esse vídeo é impecável na apresentação da masculinidade segundo a Bíblia. Ele também percebe que a ausência da masculinidade está transformando a feminilidade, deixando a figura feminina mais bruta.  




Nesse vídeo, Peterson chama os homens a assumirem o Logos. Para Peterson, Logos é uma representatividade para o próprio Cristo, portanto, ele anseia que os homens sigam a Cristo. Em suas palavras[1]: “You could think about it as the power of speech to transform reality. But even more importantly, more fundamentally, it’s the power of truthful speech to transform reality in a positive direction. We have this magical ability to change the future, and we do that through action, obviously. But action is oriented by thought, and thought is mediated by dialog. And so it’s speech, in particular, that’s of critical importance to this logos process. The logos is symbolically represented in the figure of Christ, who’s the word that was there at the beginning of time. So that’s a very complicated topic, but what it essentially means is that the West has formulated a symbolic representation of the ideal human being, and that ideal human being is the person who speaks the truth to change the world.”.





Acredito que o retorno dos olhares para a masculinidade bíblica é uma resposta adequada a essa onda de ataques à masculinidade. É de lá que temos o máximo exemplo a ser seguido (Cristo, Logos) e é de lá que podemos trazer bons exemplos, pois nossa cultura judaico-cristã a aceita com normalidade. A resposta não é oprimir a masculinidade, mas cultivá-la de maneira adequada para que os homens vejam seu verdadeiro potencial e cresçam em harmonia consigo e com a sociedade. Dessa forma,  acredito que a masculinidade mostrada nos quadrinhos citados seja um reflexo da confusão que nossa sociedade enfrenta.

Não é errado cultivar a boa masculinidade. Quando o tema é bem abordado em animês e mangás, temos cenas incríveis. Homem é aquele que se sacrifica primeiro, que não cai quando enfrenta um obstáculo e que defende o que ama, dando sua vida por isso! Por isso, alguns textos atrás, fiz a relação da figura do herói com a figura masculina. Por exemplo, no vídeo abaixo, isso acontece em 03:02. Nesse ponto, surge no personagem Shirou a masculinidade boa e o heroísmo para defender suas aliadas. São dois conceitos que se relacionam. Se houvesse covardia, Rin e Saber estariam mortas. Esse é um bom exemplo da masculinidade bem aplicada em cenas de animês.  





[1] Lido em <https://www.jordanbpeterson.com/transcripts/transliminal/>

Postagens mais visitadas deste blog

Outros Papos Indica: O Cérebro que se Transforma

Norman Doidge é psiquiatra, psicanalista e pesquisador da Columbia University Center of Psychoanlytic Training and Research, em New York, e também psiquiatra da Universidade de Toronto (Canadá). Ele é o autor deste livro que indico a leitura. O livro, segundo o próprio editor, “reúne casos que detalham o progresso surpreendente de pacientes” que demonstram como o cérebro consegue ser plástico e mutável. Pacientes como Bárbara que, apesar da assimetria cerebral grave, na qual existia retardo em algumas funções e avanço em outras, conseguiu se graduar e pós-graduar. Um espanto para quem promove a teoria de que o cérebro humano é um órgão estático, com pouca ou nenhuma capacidade de se adaptar. “ Creio que a ideia de que o cérebro pode mudar sua própria estrutura e função por intermédio do pensamento e da atividade é a mais importante alteração em nossa visão desse órgão desde que sua anatomia fundamental e o funcionamento de seu componente básico, o neurônio, foram esboçados pela p

TOP 3 de séries que merecem remake!

 Existem muitas séries da década de 90, na minha opinião, que mereciam um remake (manter a obra original, apenas contando novamente a história, com a tecnologia atual disponível). Vou citar aqui 3 delas. Estas séries foram escolhidas, pois são séries que ainda mexem comigo, que ainda gosto e que ainda lembro delas como se tivesse as assistido ontem. Esse foi o critério de seleção para esse simples TOP 3, de séries da década de 90, que mereciam um remake.  Oh My Goddess A série mesmo começou em 1988, encerrando-se em 2014, contendo um total de 48 volumes. Ela entra na lista por conta do seu primeiro OVA, lançado em 1993, cabendo perfeitamente nessa lista. A animação realizada pelo studio AIC foi uma das mais belas que já vi e promoveu a criação de outras séries, sendo que a última, se não me engano, terminou em 2013, com outro OVA. Já se passaram quase 10 anos desde a sua conclusão. Um remake dessa série, contando-a do começo a o fim, seria uma ótima celebração. O mangá vendeu mais de 4

Antologia Scortecci 40 Anos!

Antologia para edição especial de aniversário de 40 anos da Scortecci editora, para a 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo (2022) e, enfim, para ser a edição comemorativa dos 100 anos da Semana de Arte Moderna. Como as poesias já fazem parte desse blog, não faria sentido reescrevê-las, então, deixo aqui cópias das páginas da minha colaboração. Foi uma honra poder ter participado de tão nobre edição comemorativa. Obrigado pela oportunidade.     Primeira parte: Segunda parte: