segunda-feira, 3 de março de 2014

Readaptação alimentar é a pá de terra que faltava para fechar o caixão deste moribundo site.


Tenho que explicar minha situação. Há uns 8 anos atrás, não me recordo do ano exatamente, fui internado no hospital Prontonorte com um problema intestinal grave. Após exames e estabilização de meu quadro, eu tive alta e retornei para casa com o diagnóstico de “síndrome do intestino irritável”. Passei estes anos me acostumando a esta realidade.

Em 2013, ou seja, ano passado, o problema piorou muito. Piorou à ponto de ser atacado pela sensibilidade do intestino em plena rua. Decidi realizar novos exames que complementaram o diagnóstico de 8 anos atrás. Um exame detalhado para tentar revelar o que estava de errado. Dois exames revelaram o problema.

IgG para 221 alimentos é um ensaio baseado na tecnologia E.L.I.S.A. para detecção de anticorpos IgG em teste de diagnóstico de intolerância alimentar. Com ele, pode-se encontrar e contar o número de anticorpos por lâmina sanguínea e seu antígeno (alimento). Índices altos de anticorpos IgG, acima de 30 (o número vou deixar entre parênteses) indicam qual alimento meu corpo tornou-se intolerante.

Teste de Intolerância à Lactose pelo método Colorimetrico Enzimático, consiste na ingestão do açúcar do leite e a retirada de 5 doses de sangue (uma a cada 15 minutos) para o controle da produção da Lactase. A avaliação se dá pela variação das doses tendo como controle a Glicose Basal (a primeira ampola de sangue antes do consumo da lactose).  Consideram-se normais valores maiores que 20, somados ao valor da Glicose Basal.

Meu IgG A 200 deu intolerância à Caseína (33), Leite de Vaca (75), Clara de Ovo (48), Leite de Ovelha (44), Milho (31), Gliadina (38), Trigo (30) e Levedura, cerveja (34) , além de um borderline  para Leite de Cabra (27) e Cevada (26).

O teste de Intolerância à Lactose deu como Glicose Basal 99 e nenhum número, de nenhuma das outras dosagens, superou nem mesmo a marca de 101 mg/dL.

Todos os testes ficaram sob responsabilidade do Laboratório Sabin em Brasília. Com isso, estou tendo que me readaptar. A alimentação requer muitos cuidados, pois milho, leite, ovo, trigo e gliadina existem em quase 90% dos produtos industrializados.


Como estou readaptando a alimentação, vou me concentrar unicamente nisso por enquanto. Se o Outros Papos já estava parado, agora mesmo é que ele não vai retornar por um bom tempo, nem mesmo revista ou site. Parece que esta foi a pá de terra no caixão deste site moribundo, mas, como eu gosto de zumbis, não me surpreenderia se o Outros Papos saísse do túmulo uma vez mais. Enquanto isso, os livros vão continuar à venda aqui EditoraPerse (clique) e vou continuar no Twitter(aqui).