quarta-feira, 27 de julho de 2022

PoesiaBr 01

Os meus exemplares da antologia, referente ao concurso de poesias organizado pela editora Versiprosa, já chegaram. Um trabalho muito bom de edição e fico honrado em ter sido um dos classificados. Obrigado!



Minha contribuição com minha poesia classificada. 




quinta-feira, 21 de julho de 2022

Antologia Scortecci 40 Anos!

Antologia para edição especial de aniversário de 40 anos da Scortecci editora, para a 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo (2022) e, enfim, para ser a edição comemorativa dos 100 anos da Semana de Arte Moderna. Como as poesias já fazem parte desse blog, não faria sentido reescrevê-las, então, deixo aqui cópias das páginas da minha colaboração. Foi uma honra poder ter participado de tão nobre edição comemorativa. Obrigado pela oportunidade. 



  

Primeira parte:



Segunda parte:



quarta-feira, 20 de abril de 2022

Eu Escritor!

Participei da seleção de textos do projeto Apparere, da editora Perse, e estarei nas páginas da antologia com o texto abaixo. O texto foi pensado como uma peça de teatro, com duas vozes se complementando, versando sobre minhas motivações para escrever. Uma voz conta o dado biográfico, e uma segunda voz complementa com um pequeno haikai que resume o sentimento do parágrafo acima. Elaborei o texto relembrando meus motivos para escrever. 


Capa da antologia, editora Perse


*****


Eu escritor

Patrick Raymundo de Moraes


Enquanto aluno do ensino fundamental, eu sofri muito bullying tanto por parte dos meninos, como por parte das meninas. Eu tinha na televisão, quadrinhos e família meu sustento emocional para lidar com isso, mas eu ainda desejava desabafar. Eu desejava tirar, de dentro de mim, a revolta que sentia com essa situação. E, por esse motivo, comecei a escrever. Nesse mesmo período, perdi entes queridos da minha família. 


Na dor da morte;

A solidão se formou;

Escrever restou.


Nessa época, o colégio fez um concurso de poesias. Eu não tinha entrado nele, mas uma professora de redação, durante uma aula, me pegou escrevendo minhas poesias. Ao tomar meu caderno e ler, ela parou a aula e levou minha página para a diretora. Ali, meu verso fez parte da antologia que foi lançada pelo colégio INEI (Brasília) chamada “Letras da Juventude”. 


Poema venceu;

O inferno se desfez;

Meu “Eu” se refez.


Anos se passaram e eu conheci a poesia romântica e me encantei por ela. As musas representando o mais belo, a religião como a mais forte palavra, o campo como o mais belo cenário e o homem como o mais forte cavaleiro. Comecei a escrever poesias românticas pelo amor a essas características. Eu me encantei por estes versos.


Amar seu olhar;

Deixa-me te contemplar;

Meu doce amar.


Na faculdade, já tendo escrito alguns poemas e participado de diversas antologias, principalmente pela Shan Editores, eu comecei a usar os poemas para iniciar conversas com as pessoas ao meu redor. Os versos foram os primeiros passos para iniciar diversas amizades. Com poemas, eu fiz amigos!


Na amizade;

A escrita me salvou;

Amigos criou.


Dessa forma, conquistei o prazer por escrever e não consigo me imaginar dissociado dos poemas, dos versos e das letras. Acabei me formando em Comunicação Social e tendo na criação de textos, livros e sentimentos, a minha maior paixão.  


*****


O livro pode ser adquirido abaixo. Lembrando que o valor arrecadado não virá para mim, mas para a continuidade do projeto.

 Para comprar o livro, clique aqui.


terça-feira, 15 de março de 2022

TOP 3 de séries que merecem remake!

 Existem muitas séries da década de 90, na minha opinião, que mereciam um remake (manter a obra original, apenas contando novamente a história, com a tecnologia atual disponível). Vou citar aqui 3 delas. Estas séries foram escolhidas, pois são séries que ainda mexem comigo, que ainda gosto e que ainda lembro delas como se tivesse as assistido ontem. Esse foi o critério de seleção para esse simples TOP 3, de séries da década de 90, que mereciam um remake. 


Oh My Goddess



A série mesmo começou em 1988, encerrando-se em 2014, contendo um total de 48 volumes. Ela entra na lista por conta do seu primeiro OVA, lançado em 1993, cabendo perfeitamente nessa lista. A animação realizada pelo studio AIC foi uma das mais belas que já vi e promoveu a criação de outras séries, sendo que a última, se não me engano, terminou em 2013, com outro OVA. Já se passaram quase 10 anos desde a sua conclusão. Um remake dessa série, contando-a do começo a o fim, seria uma ótima celebração. O mangá vendeu mais de 45 milhões de cópias. 


Na série, vemos o romance do jovem Keiichi com a deusa Belldandy. Por conta de uma promessa que os ligou no passado, o reencontro deles era inevitável. Certa vez, ao tentar pedir uma pizza por telefone, ele acidentalmente liga para o escritório das deusas e é atendido pela Belldandy. Eles acabam por realizar um pacto e começam uma vida juntos. Na verdade, nada é acidental, pois eles já possuíam um forte destino juntos, como a série vai mostrar mais para frente. 


Eu amo essa série, porque nunca vi, em toda a minha vida, uma personagem feminina tão forte e presente. Além de ser muito doce, calma e serena, ela possui um imenso poder, pois é uma deusa de primeira grandeza. Essa mistura de elementos é muito bem equilibrada, pois ela não deixa de ser uma figura feminina. Hoje em dia, por conta de pressões de grupos minoritários, os personagens femininos estão cada vez mais com presença masculina em suas construções. São monstros cada vez mais agressivos e violentos (Jujutsu Kasen por exemplo), com tanta testosterona na sua construção que são, praticamente, futanaris. Eu sinto falta da presença gentil da Belldandy.





Saber Marionette J




O animê foi lançado em 1996, tendo várias continuações, como Saber J to X, J Again  e alguns OVAs. A série mostra um grupo de cientistas, todos homens, que se acidentam em um planeta desconhecido e, para sobreviverem, criam uma civilização preenchida totalmente por clones. Como não existiam mulheres, a clonagem foi a única solução e, para substituir a figura feminina, eles criaram marionettes, que são robôs com aspecto feminino. Dentre esses robôs, existem seis delas que possuem um sistema de circuitos que imita o coração humano, dando a elas sentimentos. Um jovem chamado Otaru acaba por descobrir três delas: lime, Cherry e Bloodberry. O animê, então, centra-se na relação deles, enquanto descobrem um segredo sinistro por detrás da criação desses circuitos. É uma comédia romântica com profundos toques de drama e ação. Novamente, as figuras femininas aqui, mesmo sendo mais poderosas que os clones humanos, não são cheias de elementos “masculinizantes” em sua construção. Otaru e todas elas se cuidam mutuamente. São uma família e se portam como uma. O maior valor demonstrado por essa série é a de buscar entender sentimentos, crescer como pessoas e aprofundar relacionamentos, sendo família e como família buscar soluções para os problemas que vão surgindo. 





Blue Seed



Foi um mangá que rodou de 1992 a 1996 e que teve, em 1994, uma série de televisão, além de um OVA. Ela trata essencialmente de humanos defendendo uma garota, chamada Momiji, que possui em seu sangue uma condição especial. Através do sangue dela, monstros chamados Aragamis podem ser destruídos. Por esse motivo, os Aragamis precisam matá-la antes que os humanos façam dela um sacrifício. Já os humanos a defendem, pois sabem que o sacrifício dela pode salvar a humanidade desses monstros. Nessa confusão toda, aparece um rapaz que possui sangue Aragami. Ele, no começo, tenta matar a Momiji, mas depois se apaixona por ela e começa a defendê-la dos monstros que a tentam matar, antes que ela se torne um sacrifício. A série, então, gira em torno deles e da equipe humana que tenta descobrir um modo de não matar a garota e usar o poder dela para acabar com os Aragamis. Novamente, uma personagem fascinante, pois ela é uma adolescente romântica, esforçada, meio boba, mas muito corajosa. Ela te envolve com seu carisma, sendo uma garota espetacular.




Conclusão


Todas elas tem algo em comum: mulheres fortes, com poder acima do poder dos homens, mas que preservam suas características femininas. São mulheres acima de tudo. São características femininas a bondade, empatia, sensibilidade, carinho, doçura, compaixão, tolerância, nutrição e deferência, além de outras, e as séries acima apresentam personagens femininas que abrangem todas essas características e me fizeram me envolver com elas e nunca mais as esquecer. É necessário que essa geração venha a conhecer essa construção de personagens, por isso, o remake se faz essencial. Que isso possa servir aos mais jovens, quando forem criar personagens femininas. Se quiserem que seus personagens sejam bem lembrados, não como monstros desumanos, mas como mulheres, estudem essas séries. Eu desejo mais Marin (My Dress-Up Darling) e menos Eris (Mushoku Tensei). Mais Alice (Duke of Death and His Maid) e menos qualquer personagem de Jujutsu Kaisen.   

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2022

Dias dos Namorados, Azur Lane e um poema!

 

Azur Lane


O amor na guerra é válido;

É aquela força complementar;

Que vai te deixar muito ávido;

Para realizar o bom lutar;


Elas te encantam com carinho;

São muito preciosas no tratar;

Dido é meu grande amorzinho;

É difícil não se apaixonar;


Não se luta sem um grande amor;

Seria uma guerra sem razão;

O amor é um organizador;


E, por um amor, todos lutarão;

Suas vidas no combate feroz;

Transformarão essa guerra atroz.





quinta-feira, 10 de fevereiro de 2022

R.O.D. Read or Die Trailer (2004) e um poema!

Escrevi livros que ninguém leu;
Plantei árvores que o homem derrubou:
Minha presença desapareceu;
Minha sombra se sufocou. 

No céu meus amigos estão;
Aqui embaixo restou solidão;
Péssimo amigo eu fui, confessei;
No céu, um sermão receberei.



terça-feira, 8 de fevereiro de 2022

segunda-feira, 31 de janeiro de 2022

Fui verdadeiro!

 Deito-me na certeza de que fui verdadeiro. No dia de hoje, eu fui certeiro. Honrei minha fé, fui um cordeiro. Fecho meus olhos para descansar. Minha alma alimentar. Orar. Sonhar. Ver, em tais sonhos, o amar. Agradecer a Deus, em seu altar, o amanhã chegar.





Poema simples, sem rigor na estética, sobre ser verdadeiro consigo mesmo.


Haicai- Esperança em Deus!