Pular para o conteúdo principal

Outros Papos Recomenda Wakfu



Animação baseada no jogo de mesmo nome, foi criada pela produtora independente de games Ankama, junto com o canal France 3 e é totalmente criada em flash (Flash Adobe). A animação francesa agora está disponível para o Brasil, com legendas em português e, também, dublada em nossa língua, via Netflix!






Enredo


O enredo da série segue o universo de Wakfu. Segundo a página da campanha da Ankama no Kickstarter: “The series follows the quest of an orphan, Yugo, who sets out to discover his origins. Accompanied by a team of characters both brave and comedic, he must face powerful enemies during his journey and he will be at the heart of a plot which the fate of the World of Twelve depends on. WAKFU is also an ecological tale that allegorically explores the fragility of nature and the consequences that human actions may have on the ecosystem”.  


Também acrescento o tema importante que promove esta série aos meus olhos, pois ele segue elementos do romantismo francês.  Elaine Brito Souza escreve sobre o romantismo francês para o site Globo Educação e eu repasso aqui:


“As palavras de Vitor Hugo, o maior escritor do Romantismo francês, resumem bem a ideologia romântica:

‘A liberdade literária é filha da liberdade política. Eis-nos libertos da velha forma social; e como não nos libertaríamos da velha forma poética? A um novo povo, uma nova arte.’

Como podemos ver, o Romantismo tem duas facetas: uma que se volta para o indivíduo, com seus dilemas e conflitos existenciais, e outra que se volta para a sociedade, com suas injustiças e desejos de mudança”.



Deste modo, temos o pequeno Yugo (o terror do parquinho) em sua busca pela sua família, ou seja, o romantismo voltado para o indivíduo e a alteração que isso terá no mundo com a descoberta de mistérios e revelações sobre a origem do Yugo, logo, o romantismo que se volta para a sociedade. Cada capítulo mostra um trecho desta busca, sempre tocando em conflitos da sociedade, como casos de repressão do governo, ou no amparo a casais apaixonados. Existe o romantismo clássico na relação entre dois personagens e, também, wakfu exalta a figura do herói, tanto na letra da música como em cada linha do roteiro.


Além deste elemento, romantismo francês, a série nos traz uma visão clara desse momento histórico: a criação do Romantismo, sendo uma das bases fortes do enredo. O romantismo francês surgiu em um momento de intensa movimentação social, com a Revolução Francesa e a Industrial. Essa base do enredo é clara na primeira temporada, pois o vilão da série é uma alusão aos momentos mecânicos, com máquinas e engrenagens, bem como o controle do tempo, sendo uma referência clara ao movimento industrial: preciso, tempo controlado, linhas de montagem e engrenagens. Também existe o movimento revolucionário que se baseia na liberdade, igualdade e fraternidade, pois são elementos bem defendidos pelos heróis da série.


A estrutura narrativa da série é interessante, pois apresenta, no primeiro momento, a problemática que deve ser resolvida, no segundo momento desenvolve a comédia e, no terceiro e último ato, apresenta a ação que resolverá a questão levantada no primeiro ato. Isso foi uma regra que percebi na estrutura das duas temporadas que assisti. Muito funcional!





Homenagens aos animês


 A homenagem aos desenhos japoneses é evidente não apenas pelo traço dos personagens, mas também pela estrutura de movimentação e escolha de ângulos de câmera. A animação japonesa adotou, em sua base, a estrutura do Futurismo (Pinturas com uso de cores vivas e contrastes. Sobreposição de imagens, traços e pequenas deformações para passar a ideia de movimento e dinamismo) e Wakfu a usa de maneira semelhante. A série possui muitos closes, tanto nas cenas cômicas, quanto nas cenas de ação, deixando o ângulo fechado. Isso aumenta a sensação e emoção que o traço dos personagens tenta transmitir através de sua ação.


Fora isso, temos homenagens a diversos animês famosos, como Nausica, One Piece, Evangelion, Dragon Ball e outros tantos. São vários “easter eggs” para se procurar em cada cena. Uma caça ao tesouro muito divertida. Além disso, a série supera a animação japonesa pelo contato mais caloroso entre os personagens. Na maioria das séries japonesas, o contato entre personagens é muito frio e eles são distantes (existem exceções como Golden Time), entretanto, em Wakfu a demonstração de afeto, amor e carinho entre os personagens é muito evidente. Nisso, a série superou os animês.







Conclusão



Quando vi que era uma animação em flash, eu meio que torci o nariz, mas fui sendo pego pelo carisma dos personagens, pela história bem contada, pelos elementos que pude observar na construção do enredo e pela música muito legal de se ouvir. Ao final, tornei-me fã dessa animação e a estou recomendando aqui. Animação francesa de qualidade, inspirada em animês, revolução francesa e romantismo. Não tinha como não ficar bom! Nota 10! 




Conheça mais através da campanha Wakfu no KickStarter!


Trailer do Jogo- Wakfu!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Diego Rox e o Jardim das Borboletas

Diego Rox e o Jardim das Borboletas
Como sabem, sou inscrito do canal do Nando Moura, ou seja, sou um dos “bots” do canal. Sobre este assunto, está até engraçado. Vou escrever sobre isto antes de entrar no assunto. Os adversários que temem a verdade nos ofendem com termos que não condizem com nosso real comportamento. Ficou engraçado, porque, se juntarmos todas as ofensas em uma frase, eu acabo virando um “robô, com recurso de bot, nazista e fascista, que não gosta de odores fortes”, por isso, está engraçado ver esta situação. Fui reduzido a um robô Windows 10, que não gosta de pum.
Ao assunto. Através do vídeo do Nando, sobre o uso de bots, eu acabei conhecendo o canal do Diego Rox. Veja um vídeo abaixo. Ele parece ter uma agenda parecida com a do Nando Moura, isto é, ele é cristão, pois acredita em Deus e em Cristo, prega ação contra a corrupção, homenageia os verdadeiros heróis anônimos, é caridoso e defende a liberdade. Uma agenda que também me aproxima dele, por isso, hoje, esto…

Cavaleira ou Amazona? Veja a resposta!

Amazona ou Cavaleira?
    Em meu tempo de colégio, nas décadas de 80 e 90, nos foi ensinado que o feminino de cavaleiro seria amazona. Em uma prova, um colega marcou o feminino de cavaleiro sendo cavaleira e foi repreendido. Desta forma, fixei amazona como o feminino correto para o termo em questão, ou seja, mulher que anda a cavalo. Ao assistir Walkure Romanze, eu me deparei com a palavra cavaleira e me questionei. Inclusive, alertei-os para a forma que eu julgava correta, mas sem retorno positivo. Deste modo, fui pesquisar para ver se a expressão estaria correta.


    Nestas pesquisas, encontrei um professor que prontamente me respondeu a esta questão. O caso estava solucionado com uma bela lição que, agora, repasso a vocês. Com a palavra o professor Ari Riboldi.
    No meu tempo de estudante, no ensino primário e no ginásio, também se aprendia assim: cavaleiro (masc.), amazona (fem); cavalheiro (masc.), dama (fem.). No entanto, os dicionários registram o termo 'cavaleira' …

Será o Veredito?!

Canal Será o Veredito?!
Foi a primeira recomendação do Youtube que gostei de ter recebido. Sobre o canal: “O Direito tá na mídia! O Direito tá na moda! Um juiz de direito se torna celebridade nacional. Tribunais transmitem suas sessões ao vivo pela televisão. Os meios de comunicação não se cansam de veicular notícias jurídicas. Mas, o mundo jurídico possui formalidades que dificultam a compreensão dos seus temas pelo cidadão que não tem formação no direito. Muito se fala; pouco se explica. Por isso surgiu o "Será o Veredito!?". Um canal que traz informações sobre o direito com uma linguagem simples, clara e objetiva.”



O primeiro vídeo que vi desse canal foi uma resposta ao Bugalho. Uma resposta baseada em livros, mostrando a fonte de seu conhecimento e minando, com ótimos argumentos, a posição de seu opositor. Todos os vídeos que assisti foram assim, com a fonte de leitura em mãos. Ele já se disse de centro-direita, o que o faz ser um aliado natural da liberdade e da proprie…