quarta-feira, 21 de maio de 2014

Sorriso!

Para o XIII Prêmio Cultura Nacional, que incentiva poetas e escritores brasileiros, decidi escrever diversos textos sobre o sorriso. Não deve faltar, em cada coração, a sensação de alegria. Sem alegria, eu acho que a alma vai envelhecendo, por isso, devemos sempre sorrir quando possível. O momento que gera a alegria pode até passar, mas deixa a marca essencial que é o sentimento. É como uma semente que germina com a lembrança. Vamos sempre tentar sorrir, para plantar estas sementes e, quando necessário, regá-las com nossas lembranças. E elas, quando regadas, vão poder recriar sensações. Para hoje, um triolé pequeno! 

Uma lembrança feliz pode findar com toda dor.


Sorriso!

Quanto vale um sorriso?

Preço nenhum pode considerar.

É o valor de uma alma que brilha,

Quanto vale um sorriso?

Sei que vale mais que ouro a compensar,

Pois nunca desvaloriza, sempre recompensa!

Quanto vale um sorriso?

Preço nenhum pode considerar.