Pular para o conteúdo principal

Mangá Tropical- Um Estudo de Caso

Mangá Tropical- Um Estudo de Caso


Impressão: Editora Otimismo 2011


     O jornalista e escritor Patrick Raymundo de Moraes lança seu novo trabalho. O livro tenta contribuir para o entendimento de simples questões: no Brasil se faz o genuíno mangá? Podemos afirmar que os autores de quadrinhos, no nosso país, fazem mangá? O trabalho foi um estudo de caso do almanaque Mangá Tropical, da editora Via Lettera, e se torna importante, hoje em dia, porque muitos autores afirmam ter recebido a influência da estética e narrativa dos mangás. Coube a esse livro determinar alguns fatores para ajudar a entender se, de fato, os autores brasileiros estão fazendo mangás no Brasil. Em seu conteúdo, a obra ainda traça a origem do mangá no Japão, os trabalhos importados do Japão para o Brasil, através das editoras Conrad e JBC, e um estudo cultural envolvendo a escola de Frankfurt e a indústria de massa. A obra trará, como bônus, um texto do autor lançado para uma antologia, além da biografia do mesmo.

[caption id="attachment_9" align="alignleft" width="198" caption="Capa de Alexandre Nagado"][/caption]

Sobre o autor

Patrick Raymundo de Moraes possui livros em muitas temáticas: Teologia, Comunicação Social, Poesia e Contos. Atualmente, Patrick já publicou 5 livros solo e mais de 28 antologias e está trabalhando na reedição de outro livro. É membro da UBE (União Brasileira de Escritores), CBL (Câmara Brasileira do Livro), OCP - Ordem da Confraria dos Poetas do Brasil e Acadêmico Correspondente da Real Academia de Letras do Brasil.

Na Real Academia de Letras o autor foi agraciado com o título de Acadêmico Correspondente da Real Academia de Letras- cadeira 09 cuja a patronesse é a poetisa e advogada Virginia Elisabeth Nicolau Raymundo. Além disso, é cônsul da casa irmã- Ordem da Confraria dos Poetas do Brasil.





Dados técnicos:

Impresso na gráfica da Editora Otimismo

Mangá Tropical- Um Estudo de Caso

ISBN:978-85-86524-62-2

Livro com 60 páginas, capa em papel supremo 250g resinado, miolo em couchê fosco e colado. Valor R$17,00

Autor: Patrick Raymundo de Moraes

Atualização em 17/10/2011 com novo local de vendas- sede da CRUZ VERMELHA BRASILEIRA- FILIAL BRASÍLIA:

SCLRN 715, Bloco "C", Loja 25
Asa Norte - Brasília - Distrito Federal
CEP 70770-513 - Brasil
+55 61 3361-6904 | 3967-3363

Obs- enviarei os livros amanhã (18/10/2011) para o endereço. Assim fica melhor, pois a Cruz Vermelha receberá 100% do valor das vendas dos livros. Agradeço demais a colaboração do meu amigo e editor Júnior (editora Otimismo) por toda a ajuda que nos deu! Obrigado!

Comentários

  1. [...] Livro lançado tem por finalidade arrecadar fundos para a Cruz Vermelha Brasileira- Filial Brasília. Mais detalhes clique aqui! [...]

    ResponderExcluir
  2. Achei super legal da sua parte ajudar a Cruz Vermelha através dos seus livros.*_*
    Boa idéia!!!
    Como se faz para comprar esse livro e ajudar? Se isso ainda estiver valendo, posso divulgar no meu face e no TT? E o valor é R$17,00?

    ResponderExcluir
  3. Olá! Eu não sei se eles ainda possuem exemplares. Entreguei a eles todos os exemplares da tiragem feita pela gráfica da editora Otimismo, como doação. Aconselho a ligar para eles e perguntar se ainda possuem algum exemplar! :) O endereço e telefone são estes:

    Cruz Vermelha Brasileira- Brasília
    SCLRN 715, Bloco “C”, Loja 25
    Asa Norte – Brasília – Distrito Federal
    CEP 70770-513 - Brasil
    +55 61 3361-6904 | 3967-3363

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Olá! Comentários com ofensas não serão permitidos. Todos os comentários serão moderados.

Postagens mais visitadas deste blog

Diego Rox e o Jardim das Borboletas

Diego Rox e o Jardim das Borboletas
Como sabem, sou inscrito do canal do Nando Moura, ou seja, sou um dos “bots” do canal. Sobre este assunto, está até engraçado. Vou escrever sobre isto antes de entrar no assunto. Os adversários que temem a verdade nos ofendem com termos que não condizem com nosso real comportamento. Ficou engraçado, porque, se juntarmos todas as ofensas em uma frase, eu acabo virando um “robô, com recurso de bot, nazista e fascista, que não gosta de odores fortes”, por isso, está engraçado ver esta situação. Fui reduzido a um robô Windows 10, que não gosta de pum.
Ao assunto. Através do vídeo do Nando, sobre o uso de bots, eu acabei conhecendo o canal do Diego Rox. Veja um vídeo abaixo. Ele parece ter uma agenda parecida com a do Nando Moura, isto é, ele é cristão, pois acredita em Deus e em Cristo, prega ação contra a corrupção, homenageia os verdadeiros heróis anônimos, é caridoso e defende a liberdade. Uma agenda que também me aproxima dele, por isso, hoje, esto…

Cavaleira ou Amazona? Veja a resposta!

Amazona ou Cavaleira?
    Em meu tempo de colégio, nas décadas de 80 e 90, nos foi ensinado que o feminino de cavaleiro seria amazona. Em uma prova, um colega marcou o feminino de cavaleiro sendo cavaleira e foi repreendido. Desta forma, fixei amazona como o feminino correto para o termo em questão, ou seja, mulher que anda a cavalo. Ao assistir Walkure Romanze, eu me deparei com a palavra cavaleira e me questionei. Inclusive, alertei-os para a forma que eu julgava correta, mas sem retorno positivo. Deste modo, fui pesquisar para ver se a expressão estaria correta.


    Nestas pesquisas, encontrei um professor que prontamente me respondeu a esta questão. O caso estava solucionado com uma bela lição que, agora, repasso a vocês. Com a palavra o professor Ari Riboldi.
    No meu tempo de estudante, no ensino primário e no ginásio, também se aprendia assim: cavaleiro (masc.), amazona (fem); cavalheiro (masc.), dama (fem.). No entanto, os dicionários registram o termo 'cavaleira' …

Será o Veredito?!

Canal Será o Veredito?!
Foi a primeira recomendação do Youtube que gostei de ter recebido. Sobre o canal: “O Direito tá na mídia! O Direito tá na moda! Um juiz de direito se torna celebridade nacional. Tribunais transmitem suas sessões ao vivo pela televisão. Os meios de comunicação não se cansam de veicular notícias jurídicas. Mas, o mundo jurídico possui formalidades que dificultam a compreensão dos seus temas pelo cidadão que não tem formação no direito. Muito se fala; pouco se explica. Por isso surgiu o "Será o Veredito!?". Um canal que traz informações sobre o direito com uma linguagem simples, clara e objetiva.”



O primeiro vídeo que vi desse canal foi uma resposta ao Bugalho. Uma resposta baseada em livros, mostrando a fonte de seu conhecimento e minando, com ótimos argumentos, a posição de seu opositor. Todos os vídeos que assisti foram assim, com a fonte de leitura em mãos. Ele já se disse de centro-direita, o que o faz ser um aliado natural da liberdade e da proprie…