terça-feira, 17 de setembro de 2013

Análise Final da Temporada de Verão 2013

Temporada Verão 2013

    Já estamos chegando ao final da Temporada de Verão, de 2013, para as animações japonesas. Para deixar o site com um ar mais ameno, afinal, o mês de setembro rendeu muitas atualizações instigantes, eu já vou deixar minhas impressões dos melhores da temporada, assim como, deixarei as decepções, isto é, aqueles animês que tinham grande potencial, mas não o aproveitaram. Comecemos pelo TOP 5! Ao clicar nos títulos, serão enviados ao Crunchyroll, que é o streaming service oficial destas séries em nossa região. Apoiem a causa e vejam por lá! Aliás, ao alterar um link, no blogspot, ele acaba por juntar duas palavras e engolir o espaço entre elas. Eu não sei porque o sistema faz isso, então, se houver um link com duas palavras juntas, foi o sistema que as uniu após eu ter alterado alguma coisa no link.

TOP 5- As melhores animações segundo minha opinião. Contêm spoilers!

1º Lugar Gin no Saji- Ginno Saji (clique)



    O seriado acompanha a vida de um grupo de estudantes, em especial o Hachiken, enquanto eles aprendem sobre o cuidado aos animais. A sinopse é interessante: “O único motivo pelo qual Yugo Hachiken decidiu comparecer à Escola Agricultural Oezo (também conhecida como Ezono) foi simplesmente pelo fato dela possuir um dormitório. A princípio, entrar na Ezono foi uma maneira para o Yugo fugir do fato de que ele falhou em aguentar as pressões acadêmicas sufocantes da sua escolha preparatória de Sapporo. Ainda assim, não demora muito para que ele se toque de que a sua vida não será tão fácil e então se vê forçado a enfrentar mais obstáculos no seu novo ambiente cercado por animais e a magnífica mãe natureza”.  

    Voltei ao curso de Medicina Veterinária em diversos episódios desta série. O cuidado com os animais, a polêmica da criação e do abate dos animais, a pressão interna sobre o aluno que vê esta realidade dura, gerando o desconforto psicológico, sobre estas questões de vida e morte, sacrifício e sobrevivência, estão presentes em cada capítulo. É um aprendizado realístico. O roteiro não fantasia em nenhum momento, embora eu quisesse muito que o Hachiken tivesse comprado o “Bolinha de Carne” vivo, mas foi escolha da autora e a achei justificada dentro do roteiro.  

    A animação é dentro de uma média, existem momentos cômicos incríveis, ou seja, não é apenas um drama sem compaixão, possui uma trilha sonora interessante, mas, o que se sobressai é o roteiro humano. Acredito que todos terão, neste seriado, uma forma de pressionar pelo abate humanizado dos animais, então, é o melhor animê desta temporada, sem dúvidas!




2º Lugar- Uchouten Kazoku



    Este seriado, à princípio, pareceu-me estranho, pois não possuía uma premissa conhecida por mim. Veja a sinopse e entenda do que falo: “Em Quioto, humanos, guaxinins e tengus vivem lado a lado. A família Shimogamo mora no Templo Shimogamo da Floresta Tadasu. O pai, Soichirou, era o chefe da sociedade dos guaxinins, mas acabou virando cozido de guaxinim e ninguém sabe como. Ele deixou quatro filhos ao mundo: Yasuburou, o terceiro filho que herdou boa parte do "sangue de idiota" do seu pai, Yaichirou, o mais velho e disciplinado que não consegue se livrar de apuros; Yajirou, o segundo filho que se isola em um poço em forma de sapo; e Yashirou, o tímido irmão mais novo que se assusta por pouco, revelando seu rabo. Todos vivem felizes com a mãe, uma grande fã do Takarazuka, cujo lema é "se é divertido, é bom". Depois de cuidar do Prof. Akadama, um grande tengu aposentado, ser manipulada pela bela Benten, uma garota humana com poderes divinos, e terem batalhas aéreas contra seus rivais, a família Ebisugawa, no céu noturno no Festival de Fogos do Daimonji Gozan, a família Shimogamo se vê em uma situação desesperadora. A verdade a respeito de como o pai virou cozido será revelada?! O que o destino reserva para essa família de laços fortes?!”

    Comecei a entender o enredo ao pesquisar sobre os guaxinins. Sabiam que o Guaxinim é um animal folclórico no Japão? Aqui duas pesquisas que achei na Wikipédia (sim, sei que não deveria apontar a Wikipédia como fonte de informações, mas vou fazer assim mesmo ^__^) : “O animal demonstra uma significância histórica e cultural no Japão, onde é chamado de tanuki, um termo que também é às vezes traduzido como "texugo" e muitas vezes erroneamente traduzido para o inglês como raccoon ("guaxinim").Tradicionalmente, diferentes áreas do Japão adotavam diferentes nomes diferentes para os cães-guaxinim, que por sua vez eram usados para denotar animais diferentes em outras partes do país; contudo atualmente a palavra oficial para se referir ao animal, no dialeto padrão de Tóquio, é tanuki - termo que transporta a um significado folclórico (ver tanuki). Ele é também um tema comum na arte japonesa, especialmente estatuária.” (...) Sobre o Tanuki: “O Tanuki místico é travesso e alegre, mestre no disfarce e na troca de formas. Enquanto as histórias das raposas são muito sérias, as do tanuki são mais divertidas. Também mais ingênua, dizem que o tanuki adora saquê e é freqüentemente retratado com uma garrafa de saquê em uma mão e uma nota promissória na outra (uma conta que ele nunca paga). Até hoje suas estátuas podem ser vistas especialmente do lado de fora de restaurantes e bares para atrair clientes. Muitas vezes confundido com o mujina, é culpado por todas as aparições fantasmagóricas. Parece ter uma queda por bebidas, comidas e mulheres. Adora pegar folhas e transformá-las em dinheiro, enganando todos. Também é bom em virar objetos inanimados.”



    Podemos observar todos estes comportamentos no enredo deste seriado. A animação é maravilhosa, talvez a melhor desta temporada. Fiquei extasiado com diversas cenas, bem como com a Benten e sua expressão livre, sua dublagem maravilhosa e seu nu (sim, tem uma cena de nudez artística no seriado). A música é excelente. Quem gosta de seriados, com simbolismos, vai se deliciar com a história desta família de guaxinins e suas desventuras. Cada simbolismo é apresentado em cada minuto de tela.  Valeu o segundo lugar por tudo isso: bela animação, história com excelentes simbolismos, personagens interessantes, dublagem excelente e boa trilha sonora.




3º Lugar Fate Kaleid Liner Prism Illya- Fate KaleidLiner Prism Illya



    A sinopse é esta: “Baseado no mangá de Hiroshi Hiroyama, Fate/Kailed liner PRISMA ILLYA é um universo alternativo da famosa série Fate/Stay night apresentado pelo estúdio de animação Silver Link (Kokoro Connect). Illya (Illyasviel von Einzbern) é uma típica estudante do Instituto Homurabara que tem uma quedinha por seu cunhado. Certa noite, uma varinha de condão chamada Cajado Rubi cai do céu em sua banheira e a faz assinar um contrato...

    Como pode tudo da franquia Fate ser extraordinário? Até mesmo o seu Mahou Shoujo foi levado a um patamar excelente. Com o advento de Madoka Mágica, eu tenho receio de assistir qualquer mahou shoujo que venha, após essa série, porque parece que ela balizou todos os seriados do tipo. E eu não gosto de Madoka. Peço desculpas aos que gostam, mas não me agrada. Por isso, estava com um pé atrás à respeito dessa série. Ainda bem, Fate Kaleid tem vida própria e uma vida digna!

A série tem uma animação linda, muitos momentos cômicos memoráveis e um enredo que traça diversos elementos das séries mahou shoujo. Ele detalha estes elementos, os usa e ultrapassa-os. Claro, existem cenas chocantes como a da frase: “As Mahou Shoujo matam com elegância”, acredito que a Sakura (Card Captor) se revirou de raiva depois dessa. Entretanto, são pormenores. A série é sólida, demonstra um enredo conhecedor dos elementos que fazem um mahou shoujo ser um sucesso e os utiliza de maneira eficiente.


    Além disso, a série não ofende a magia do enredo da franquia, ao contrário, casou direito com a trama e inseriu, de maneira fidedigna, estes elementos sem causar estranheza a quem já conhece os personagens e a história. Vale o terceiro lugar, com certeza!




4º Lugar: Love Lab- LoveLab



    A sinopse é esta: “A Academia de Meninas Fujisaki é frequentada por jovens de famílias tradicionais e honradas. Maki Natsuo é uma menina muito admirada por todos por ser a presidente do conselho estudantil calma e fria, mas o que ninguém sabe é que em seu coração transborda curiosidade e paixão sobre assuntos românticos. Certo dia, Maki está ensaiando beijo em seu dakimakura (travesseiro de abraçar) quando é surpreendida por Riko Kurahashi, uma menina meio moleque que só queria entregar uns papéis na sala do conselho. Mas agora que ela sabe o grande segredo de Maki, Riko é recrutada e devidamente presa por Maki em seu Laboratório do Amor, em que ela ajudará a presidente do conselho a entender mais sobre romances e sobre como se apaixonar.”

    Love Lab é uma animação cômica da melhor espécie. As situações apresentadas me fizeram rir alto e isso, para quem me conhece, sabe o quão difícil é! Para que eu possa rir é preciso muito esforço e, para que eu dê uma gargalhada, é necessário quase um milagre. Esse milagre aconteceu aqui em diversas vezes e em variadas cenas. Se a função de uma série e te fazer rir, então, comigo, esta série foi vitoriosa em todos os sentidos!


  

5º Lugar- Servant X Service!



    A sinopse é curta, bem como o roteiro: “Numa certa prefeitura de uma determinada cidade, em Hokkaido...A prefeitura onde Yamagami Lucy foi contratada emprega muitas pessoas únicas. Yamagami e seus colegas estão cheios de energia e segredos de como eles se esforçam (?!) nesta comédia de trabalho!

     Deveria ser uma comédia de trabalho, mas tornou-se uma comédia sobre relacionamentos entre colegas de trabalho. Esse desvio do enredo não me agradou. Apesar de apresentar certas cenas, nas quais os personagens aparentam maturidade, o enredo parece mais adequado a um colégio. Para confirmar isso, ainda colocaram o chefe de seção como um coelho rosa. Nada mais sem nexo a um enredo que, teoricamente, deveria focar nas relações de trabalho. Como fui funcionário público, eu sei que alguns atendimentos podem gerar situações cômicas, mas isso pouco é explorado dentro da história. A animação é bonita e as personagens femininas são bonitas, mas falta o apelo adequado a esta proposta, por isso, o deixo em 5º lugar.



    A Menção Honrosa é dada para aquelas séries que ficaram próximas do TOP 5! Menção Honrosa para:





    As decepções da temporada foram: Dog and Scissor (O enredo prometia muito, mas pouco entregou. Eu cheguei a acertar na minha análise de primeiras impressões, ou seja, o seriado tinha, de fato, um toque de “O Mundo de Sofia”, mas não foi um toque bem utilizado e os personagens ficaram caricaturados). Genshiken (Este seriado ficou restrito ao mundo BL e a piadas terríveis, e sem graça, à respeito de sexualidade. Ficou péssimo e eu esperava mais dessa série. Personagens pouco aproveitados, além do sumiço dos personagens clássicos, que quase não apareceram. Poderia ter dado espaço para contar a história dos demais integrantes e não ficar restrito ao BL apenas). Foi o pior seriado!