Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho 15, 2018

Darling in the Franxx e a mensagem pró-vida!

Darling in the Franxx contra o aborto!
Spoilers!



Em uma análise final, reforço meu pensamento de que esta série é uma das melhores séries de ficção já lançadas este ano. Confiram uma segunda opinião através do vídeo acima.

Algumas pessoas chiaram por causa de um fanservice (pilotagem) que, na verdade, fez parte do enredo. A pilotagem conjunta ocorre porque o robô necessita da junção física dos dois pilotos, mas a junção sexual lhe tira a sincronia. Achei incrível que o roteirista não fez isto para gerar polêmica, mas porque o enredo precisava chegar em um ponto: uma crítica social.
Em um determinado momento, Kokoro engravida. Neste momento, nos é revelado que um dos motivos que forçava um piloto a não ter relações sexuais era justamente porque isto tirava-lhe a capacidade de pilotar um Franxx. Em um momento de crise, com uma guerra em curso, Kokoro teria que escolher entre gerar um vida ou continuar com sua carreira. Eu confesso que fiquei com o coração na mão. Justamente no final da…

Mulher Irreal

No meu desejo Não vivo plenamente Mas o aceito!
Aceito meu eu Que te deseja muito Dama irreal
Virtual real Sentimento sólido Alma sólida
Este sou eu, sim Amo a sua ilusão Mulher em alma!

Que diferente. Juntei a estrutura do haicai (5-7-5) para a criação de versos em modo livre. Não tão livre assim, mas livre de qualquer modo. Nos tempos atuais, o virtual e o real se misturam e suas definições parecem enfraquecer. Melhor AMV para representar este poema é o pessoal de Sword Art Online! Como sabem, Asuna e Kirito adotaram como filha um programa de inteligência virtual. Virtualidade, irrealidade e realidade se misturam bastante nesta obra.


Prevaricação de Favreto!

Prevaricação de Favreto
Para quem não tomou conhecimento de uma lambança petista, no dia 08/07/2018, que deveria ser um domingo de paz, missa, churrasco e futebol, tornou-se em uma guerra jurídica, pois um desembargador plantonista resolveu passar por cima de todo o ordenamento jurídico, de toda a moral, para dar ao réu Lula, um habeas corpus insano.
As ações do desembargador Favreto não podem ser tomadas como um descuido, ou que o desembargador foi levado ao erro, pois ele iniciou uma guerra na qual decidiu pela libertação do réu por três vezes e, por três vezes, teve sua decisão cassada.
Segundo a presidente do STJ, que precisou se manifestar sobre este habeas corpus[1], o ato foi teratológico (absurdo, mal concebido). Alguns pontos relevantes da decisão da presidente do STJ:
“O acórdão unânime da 8.ª Turma do TRF da 4.ª Região, que determinou a execução provisória da condenação imposta ao Paciente, foi objeto de impugnação perante este Superior Tribunal de Justiça, por meio de ha…