Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro 28, 2018

Drops: O Melhor de Porto Alegre II & Melhor Animê da Primavera de 2017!

Drops: O Melhor de Porto Alegre II & A Melhor Animação 2017, II
O Melhor de Porto Alegre Caipirinha




Para este rápido texto, decidi analisar as caipirinhas de alguns bares e restaurantes da capital. Caipirinha clássica, isto é, a de limão! Os estabelecimentos analisados: Heilige, Outback (Barra Shopping Sul), Bah, Champanharia Natalício (Barra Shopping Sul), NB Steak, Izakaya Danjou e Cisne Branco. O que foi analisado: harmonia, força e prazer.






Harmonia

A mais harmônica é aquela na qual os ingredientes se misturaram com perfeição e não ficaram brigando pela dominância do sabor. Parece estranho, pois a caipirinha é feita de uma bebida alcóolica, açúcar, limão e gelo. E, por incrível que pareça, em algumas casas, os ingredientes não tinham muito equilíbrio. A mais harmônica, a mais perfeita, foi a da Champanharia Natalício. O curioso é que não estava no cardápio, mas o garçom não se intimidou, pegou minhas preferências e preparou a bebida. Assim nasceu a vencedora!
CHAMPANHARIA NATA…

Nem toda evolução é benéfica!

Nem toda evolução é benéfica
Diz o consenso que toda a evolução é boa; Que a natureza não trabalha à toa[1]; De fato, isso é quase verdade, mas não plenamente; Não é uma regra a ser seguida cegamente.
Dizem que conflitos te fazem amadurecer, fortalecem suas raízes; Porém, a dor é positiva? O coração amadurecido à força possui cicatrizes. Estas cicatrizes são símbolos de uma evolução negativa.
Uma evolução negativa sempre deixa marca; Sofrimento, desespero e pesadelos são presentes; O coração sofrido, de uma alma perturbada, é seu monarca; É uma evolução, ou involução? São consequentes.
O sentimento não evolui bem com a dor; O coração transtornado corrompe-se com ardor; O sorriso se esvai; A lágrima cai.
A série, que serviu de inspiração para este poema, mostra bem este tipo de evolução causada pela dor. Phos começa a série como uma personagem preguiçosa, alegre e simpática, para, no fim da série, tornar-se triste e melancólica pela dor. Uma transformação negativa, que ela mesma se …

Conto do Ratinho: Pensamentos e Dúvidas!

Pensamentos de Ratinho!
Passaram-se dois anos depois da invasão das cobras venenosas em meu cubículo. Naquela época, tomei-me por um temor de que fosse culpa do cientista, pois eu, com meu pequeno raciocínio de ratinho, já sabia que as cobras cobiçavam meu espaço. Com meu pequeno raciocínio de ratinho, eu já alertava o cientista de que as cobras queriam invadir. E eu alertava o cientista, mas ele permanecia em silêncio. E eu alertava ardentemente, mas a resposta do cientista era o silêncio.
Em meu cubículo, eu residia com um velho caranguejo que visitava as cobras com certa frequência. Ele, de forma inocente, achava que sua couraça o protegeria dos venenos. Que as cobras nada fariam contra ele. Era de uma inocência triste. Quando eu falava com o caranguejo sobre meus temores, ele ria. O caranguejo velho também não acreditava que elas fossem capazes de fazer mal a nós. Quando a parede de vidro se estilhaçou, e as cobras avançaram contra nós, ele ficou perplexo. Foi tão vítima delas, …