quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Mulher Irreal- Segunda Versão!





Algumas semanas atrás coloquei aqui um poema sobre o amor em uma época na qual o real, o virtual e o irreal se misturam de maneira feroz. Inseri um amv (anime music vídeo) sobre a série que mais se encaixava no tema, Sword Art Online. Ao reler o meu poema, percebi uma oportunidade de reescrita. Uma coisa simples que deixo em negrito.

Na primeira versão, escrevi  Mas o aceito”, para fazer ligação com o haicai que está embaixo, ou seja, que eu aceito este meu eu que deseja uma mulher que não existe. Ao reler, percebi que também poderia usar o artigo feminino e, desta forma, mudar a interpretação, e o olhar do leitor, para a figura feminina virtual, que era objeto deste poema. Então, “Mas a aceito” faz referência a esta musa irreal. Achei tão interessante esta possibilidade de alterar uma única letra e transformar parte do texto, que decidi criar esta segunda versão deste poema, que é  a união de vários haicais, formando uma estrutura maior.