segunda-feira, 21 de maio de 2018

Mangá Tropical impresso nos EUA!


Mangá Tropical- um estudo de caso impresso nos EUA.

Como sabem, estou repensando a forma como vendo meus livros. A edição dos livros no Brasil está ficando cara pelo sistema que uso com frequência: impressão sob demanda. O Mangá Tropical- um estudo de caso, pelo sistema da Perse, está saindo por R$27,28 sem a taxa de entrega. Já o mesmo livro, impresso nos EUA, está saindo por cinco dólares apenas, mais a taxa do serviço postal. O livro sai, nos EUA, a um preço médio de 18 reais, com a cotação atual.

Quando descobri que podia colocar meu livro impresso à venda, via Amazon, eu o fiz imediatamente. Configurei da melhor maneira possível, uma vez que o sistema era novo para mim. Em 04 de maio de 2018, fiz o pedido de um exemplar para verificar a qualidade da edição. Com a taxa de envio, paguei cerca de 17 dólares, ou seja, cerca de 62 reais, com a cotação do dólar em R$ 3,60. Não se paga o imposto de importação sobre livros e periódicos, como mostra o site da Receita Federal.





Já via Perse, sairia por 52 reais a edição e envio da obra pelos correios. Sim, no print abaixo desconsideraram, na hora de fechar a conta, o meu lucro como autor. Fazendo as contas com o valor integral, o livro sairia pelo valor acima mencionado.





A grande questão que prejudicou este serviço foi a variação do dólar. Em tempos de crise, com dólar a quase 4 reais, o material externo fica mais caro. Se o dólar caísse para um valor próximo a três reais, o serviço de impressão sob demanda, editado em São Bernardino, CA, traria maior compensação. De qualquer modo, vou deixar o livro disponível para venda sob demanda, apostando na queda do dólar depois das eleições de 2018. Sim, estou sendo muito otimista.


A qualidade do material

Fiz um vídeo para mostrar a qualidade do impresso que me chegou em mãos. Atentei para verificar a qualidade da capa, do papel, da impressão e das imagens.





A capa ficou bem enquadrada, apenas com um erro meu de posicionamento, mas que a deixou com maior peso na base da imagem, o que não considerei grave. Ficou até bom por dar a sensação de peso para a imagem e seu equilíbrio. O papel tem uma gramatura boa, é resistente e forte. Além disso, possui um brilho agradável para a leitura e transmite boa sensação ao toque dos dedos. É diferente do papel usado no Brasil. Eu achei.

O projeto de impressão é muito bom. Fiz questão de abrir o livro e pressionar a cola para ver se ela descolava, mas aguentou bem a pressão. A cola e o sistema de impressão contribuíram para um livro que não solta as páginas. As imagens estão nítidas e, como o papel é forte, elas não passam para a página de trás, ou seja, não fica aquela mancha tão visível na página seguinte.

Em um aspecto geral, eu gostei muito do material impresso nos EUA e torço pela queda do dólar, para que vocês possam comprá-lo de maneira mais justa.