Pular para o conteúdo principal

Ajude os refugiados!


Crise na Venezuela

Vou deixar dois vídeos no blog, ao final do texto, para que saibam o que aconteceu com este país, que era o mais rico da América do Sul na década de 1990. O objetivo deste texto não é mais levantar as causas do sofrimento dos venezuelanos, mas mostrar o que estão fazendo para ajudar aos que saem de sua nação, em busca de comida e liberdade.

Segundo matéria que saiu em O Globo[1], em 25/02/2018, segundo levantamento feito pela ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados), de 2014 a 2017, mais de um milhão de venezuelanos saíram do seu país. Destes, 70 mil tentaram entrar no Brasil em 2017, sendo que, em 2018, 18 mil pessoas já pediram asilo. O infográfico da matéria mostra que, somando-se dois itens,  93% dos refugiados saíram da Venezuela por causa das questões política e econômica.


Foto: Victoria Servilhano/ MSF no link: https://www.msf.org.br/noticias/msf-distribui-kits-de-higiene-para-venezuelanos-em-roraima



Uma matéria do Médicos Sem Fronteiras (MSF[2]), nos mostra um relatório e um testemunho de como a situação deles, em solo brasileiro, está grave:

“Em Pacaraima, os venezuelanos, entre crianças de colo, mulheres e idosos, não têm abrigo. Estão espalhados pelas ruas da cidade, expostos a doenças e algumas vezes à discriminação. Não há profissionais, equipamentos e suprimentos médicos suficientes no único hospital da cidade, e o centro de saúde local, com estoque limitado, teve que se adaptar ao influxo de migrantes e refugiados. Os casos mais graves precisam ser encaminhados para Boa Vista. MSF doou ao centro medicamentos para três meses de uso, incluindo antibióticos e remédios para pressão alta, diabetes e leishmaniose.
 Grávida de cinco meses, Helidi Medina, de 33 anos, vive com o marido e outros seis filhos na rua em Pacaraima. Ela sofreu um aborto quando estava na Venezuela. Desde que chegou ao Brasil, não buscou atendimento obstétrico. “Aqui é difícil, mas pelo menos é melhor que em Tucupita. Se voltarmos para lá, vamos morrer”, disse Helidi, que tinha sinais de anemia e desnutrição.”

 O governo brasileiro já iniciou procedimentos para acolher e ajudar os venezuelanos que estão chegando em massa em nosso país. Segundo o site do Planalto[3]: “Primeiro, os venezuelanos serão cadastrados e terão cuidados de saúde. Somente após esse passo, eles serão levados para outros estados – processo que pode levar 15 dias. A partir daí, os imigrantes que concordarem terão como destino inicial os estados de São Paulo e Amazonas, onde ganharão condições de moradia e trabalho. “Temos previsão de São Paulo e Manaus de aceitação de trabalhadores dessa região e desafogar um pouco a fronteira”, afirmou a subchefe de Articulação e Monitoramento da Casa Civil, Natália Marcassa”.

Ajude também

Isto não é o bastante, por isso, venho pedir que também ajudem como sociedade civil organizada. Ajudem com doações de roupas, alimentos, e apoio financeiro às organizações que estão lutando ao lado deles, para evitar o pior destino possível. Não vou sugerir nenhuma organização em específico, pois a ajuda precisa ser diversificada. Cada um pode fazer a sua parte e tentar diminuir a dor e o sofrimento deles. Converse com sua igreja, com o gerente do seu banco, com o síndico de seu prédio e movimente pessoas para arrecadarem fundos e doações. Eles precisam, neste momento, de muita ajuda.


Vídeo do Idéias Radicais





Vídeo do Mamãe Falei.







[3] Planalto: http://www2.planalto.gov.br/acompanhe-planalto/noticias/2018/02/brasil-define-plano-para-levar-imigrantes-da-venezuela-para-o-interior-do-pais

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Diego Rox e o Jardim das Borboletas

Diego Rox e o Jardim das Borboletas
Como sabem, sou inscrito do canal do Nando Moura, ou seja, sou um dos “bots” do canal. Sobre este assunto, está até engraçado. Vou escrever sobre isto antes de entrar no assunto. Os adversários que temem a verdade nos ofendem com termos que não condizem com nosso real comportamento. Ficou engraçado, porque, se juntarmos todas as ofensas em uma frase, eu acabo virando um “robô, com recurso de bot, nazista e fascista, que não gosta de odores fortes”, por isso, está engraçado ver esta situação. Fui reduzido a um robô Windows 10, que não gosta de pum.
Ao assunto. Através do vídeo do Nando, sobre o uso de bots, eu acabei conhecendo o canal do Diego Rox. Veja um vídeo abaixo. Ele parece ter uma agenda parecida com a do Nando Moura, isto é, ele é cristão, pois acredita em Deus e em Cristo, prega ação contra a corrupção, homenageia os verdadeiros heróis anônimos, é caridoso e defende a liberdade. Uma agenda que também me aproxima dele, por isso, hoje, esto…

Cavaleira ou Amazona? Veja a resposta!

Amazona ou Cavaleira?
    Em meu tempo de colégio, nas décadas de 80 e 90, nos foi ensinado que o feminino de cavaleiro seria amazona. Em uma prova, um colega marcou o feminino de cavaleiro sendo cavaleira e foi repreendido. Desta forma, fixei amazona como o feminino correto para o termo em questão, ou seja, mulher que anda a cavalo. Ao assistir Walkure Romanze, eu me deparei com a palavra cavaleira e me questionei. Inclusive, alertei-os para a forma que eu julgava correta, mas sem retorno positivo. Deste modo, fui pesquisar para ver se a expressão estaria correta.


    Nestas pesquisas, encontrei um professor que prontamente me respondeu a esta questão. O caso estava solucionado com uma bela lição que, agora, repasso a vocês. Com a palavra o professor Ari Riboldi.
    No meu tempo de estudante, no ensino primário e no ginásio, também se aprendia assim: cavaleiro (masc.), amazona (fem); cavalheiro (masc.), dama (fem.). No entanto, os dicionários registram o termo 'cavaleira' …

Será o Veredito?!

Canal Será o Veredito?!
Foi a primeira recomendação do Youtube que gostei de ter recebido. Sobre o canal: “O Direito tá na mídia! O Direito tá na moda! Um juiz de direito se torna celebridade nacional. Tribunais transmitem suas sessões ao vivo pela televisão. Os meios de comunicação não se cansam de veicular notícias jurídicas. Mas, o mundo jurídico possui formalidades que dificultam a compreensão dos seus temas pelo cidadão que não tem formação no direito. Muito se fala; pouco se explica. Por isso surgiu o "Será o Veredito!?". Um canal que traz informações sobre o direito com uma linguagem simples, clara e objetiva.”



O primeiro vídeo que vi desse canal foi uma resposta ao Bugalho. Uma resposta baseada em livros, mostrando a fonte de seu conhecimento e minando, com ótimos argumentos, a posição de seu opositor. Todos os vídeos que assisti foram assim, com a fonte de leitura em mãos. Ele já se disse de centro-direita, o que o faz ser um aliado natural da liberdade e da proprie…