sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Drops: Faces de Deus e Passe de Visitante do CR!


Faces de Deus



Já está disponível em formato digital (e-book) na livraria Amazon e por um preço mais barato. Se gosta de ler em formato digital, eis sua chance de ler. Compre aqui (clique). Também está disponível, em formato digital, nos seguintes endereços:



Google Play –



Sinopse: Faces de Deus originou-se de uma promessa por uma cura. Neste livro, relato o que considero essencial para a salvação da alma. Não basta sentar em um banco de igreja pois, para mim, a salvação vem pelo transformar que a Graça de Deus realiza na nossa vida e este transformar reflete-se em obras. Convido-o a conhecer meu pensamento lendo este pequeno livro.

Passe de Visitante

Alguns benefícios da assinatura Premium+


Como assinante do Crunchyroll, recebo, mensalmente, passes para entregar a quem eu desejar. Como não tenho a quem entregar, resolvi  colocar aqui. É DO PRIMEIRO QUE PEGAR! (rs) Sim, sem sorteio! É do primeiro que resolver pegar!

Código de Acesso de 48 HORAS com validade até 16 de agosto de 2017.
PCFUSBC3958

VENHA CONHECER O SERVIÇO PREMIUM+ DO CRUNCHYROLL!!

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

HERÓI!


Heroísmo é fruto da vontade de fazer o certo.
Quando todos se omitem contra o mal;
Basta um coração apto ao correto;
Com boa percepção do que é moral.

O heroísmo é parceiro do sacrifício;
De abandonar tudo por alguém;
O sacrifício torna-se uma necessidade, até um vício;
Quando o herói enfrenta algo que está acima dele e além.

O herói é um símbolo de que há esperança;
A vontade de fazer o certo ainda existe;
E que a humanidade na alma ainda persiste;
Dando-nos exemplo de temperança.

O heroísmo caminha com a luz;
E, para ela, a todos conduz;
Mesmo que com isso ele venha a perecer;
O herói luta até vencer.

Heroísmo é fruto da vontade de fazer o certo.
Quando todos se omitem contra o mal;
Basta um coração apto ao correto;
Com boa percepção do que é moral.


---------- SPOILER ALERT: BOKU NO HERO ACADEMIA ----------

Gosto de assistir séries e ficar observando os tipos de heróis que aparecem. Ainda farei um texto sobre heróis. O AMV abaixo mostra um tipo de atitude heroica que admiro muito. A série em questão é Boku no Hero Academia (assista via Crunchyroll). Eraser Head está dando uma aula aos garotos, quando o local da lição é invadido por vilões verdadeiros, colocando-os em confronto direto com marginais. Eraser tenta defender seus alunos (é o cara de cabelo longo, óculos e barbicha).



Já neste vídeo vemos o sacrifício do herói pelo correto. Eraser Head tem a habilidade de retirar os poderes de outros indivíduos. Enquanto ele é espancado, um dos vilões, cujo poder é desintegrar tudo o que ele toca, avança contra uma das alunas dele. Ele chega a tocar no rosto dela, porém, mesmo no chão, Eraser Head ainda é um herói! Assista via Crunchyroll!





segunda-feira, 31 de julho de 2017

Spoilers spoil? Parte II


Em novembro de 2015, eu decidi analisar e divulgar um estudo da Universidade da Califórnia, chamado  “Spoilers Don’t Spoil”, que influenciou outras pesquisas no mesmo campo de estudo. Você pode ler a minha análise aqui (clique). A intenção desta minha análise, na época, era defender que spoilers não prejudicam a diversão de uma história, e que a briga constante entre spoilerfílicos e spoilerfóbicos não tinha um real sentido. Veja um resumo da pesquisa no vídeo abaixo.



Os estudos que divulguei em 2015 foram:

·         Spoilers Don’t Spoil (clique) da Universidade de Psicologia da Califórnia, dos professores Nicholas J. S. Christenfeld e Jhonathan D. Leavitt (2011);

·         Who’s afraid of Spoilers (clique) da Albany State University- professora Judith E. Rosenbaum- e Uiversidade de Amsterdam- Benjamin K. Johnson.

·         Um estudo antropológico guiado para o Netflix que mostrou que os spoilers, para o público americano, passaram a ser algo comum e rotineiro.

Dois estudos confirmaram a teoria, enquanto um deles tentou refutá-la, entretanto, este, que tentou contrariar o estudo inicial, teve que admitir que spoilers não influenciam no nível de divertimento, sendo que deve ser uma questão individual. Isso está destacado no meu texto anterior. Leiam antes o texto anterior do blog, e depois voltem a este texto, pois esqueci de mencionar um elemento interessante do estudo da universidade de Amsterdam. Resolvi retornar ao tema e percebi uma oportunidade de tocar novamente nisso. 



No gráfico da página 43, do estudo “Who’s affraid of spoilers”, temos o resultado do cognition group, isto é, do grupo que prefere uma atividade mental mais apurada, que segundo Cacioppo and Petty (1982), “enjoy thinking”. O grupo é dividido em três subgrupos. Ao contrário do que alguns blogueiros escreveram, os três subgrupos não representam níveis de inteligência, mas níveis de prática mental, então, a relação entre need for cogniton e inteligência é como o cérebro trabalha as informações. Low, Medium e High, então, não representam níveis de inteligência, mas, como Anne Bost escreveu: "the tendency for an individual to engage in and enjoy thinking". Clique e leia mais sobre o tema.

Estes subgrupos mostram uma predominância por histórias que tiveram algum spoiler mostrado. O prazer de ler histórias que foram alvo de spoilers é alto nos subgrupos  Low e Medium e quase mostra uma indiferença para as pessoas no subgrupo High (dava até para alegar empate se fosse considerado um desvio padrão). Permitindo-se uma pequena soma, que não faz parte do estudo, temos estes números: Spoiled (1,53) Unspoiled (0,93). Isso determina que quem gosta de trabalhar a mente, e ter uma atividade mental, não está nem aí para spoiler, ou gosta de um. Outro ponto a ser notado é que os gráficos com histórias que tiveram algum spoiler tem  mínima de 0.46 no High (total de 0.8), ou seja, a pesquisa revela que o interesse pelas histórias nunca ficou comprometido. Além disso, o estudo acima apresenta um erro, que o professor assistente Alan Jern notou e explicou ao site Salon. Vou deixar o link ainda neste texto, após alguns parágrafos. Acompanhe, clique e leia.

Ainda sobre o estudo acima, ele  casou com uma das afirmações do pesquisador PhD Nicholas, do estudo “Spoilers Don’t Spoil”, que afirma “To Christenfeld, this suggests that spoilers help you know the purpose of the overall narrative, so you’re able to better incorporate all of the details and plot points that get you to the end.” Em outras palavras, ao saber o que vai acontecer, o grupo que gosta de raciocinar curte mais a narrativa e o trajeto que fará a história chegar até o ponto que foi revelado.  

Estudos Atuais?

Os estudos acima ainda não podem ser considerados antigos e possuem relevância, mas será que existem outros? Após uma procura significativa, pouco encontrei. Os que li estão tão perdidos que sequer conseguiram comprovar os dados das pesquisas que mostrei em 2015. Ninguém está conseguindo repetir os testes com os mesmos resultados. A comunidade acadêmica parece estar se debatendo, sem entrar em um consenso sobre o assunto. Como diz Elina Gama Fila (On Fiction): “In conclusion, different studies using different methods have produced conflicting findings. Some studies find that spoiling a story can increase the reader’s enjoyment while other studies have found the exact opposite. Until further research is done, we cannot conclude that spoilers increase or decrease enjoyment”.

O que abre portas para as experiências pessoais. Começo comigo (rs). Eu tinha assistido One-Punch Man via Daisuki, quando o mesmo fora lançado por lá,  e o revi novamente quando o mesmo ficou disponível via Netflix. A minha sensação ao assistir via Daisuki foi 9.0 (0 para muito insatisfeito, a 10 de muito satisfeito). Ao assistir novamente via Netflix, consegui uma sensação surpresa de nota 9.2! Até fiz maratona! Ao reconhecer cenas, eu pude observar novos temas. Isso deixou a série mais divertida.

E não estou sozinho, pois Alan Jern, professor assistente de psicologia em Rose-Hulman Institute Of Technology, fez o mesmo e com resultado semelhante. Eis o testemunho dele: “This is similar to my experience. When I saw “The Force Awakens” for the second time, the movie had at that point been “spoiled” for me — by me. To my surprise, I enjoyed it more. Research on spoilers suggests that my experience wasn’t unusual. And it’s a good reminder that we shouldn’t always trust our intuitions about our own behavior.” (Salon)


O estudo pode confirmar porque a audiência de Chaves, ou Pica-Pau,  ficava sempre no mesmo patamar apesar de ter entrado em um ciclo infinito de repetições. Apesar de reconhecer a cena, de já ter visto várias vezes, o público do seriado Chaves pareceu se divertir ainda mais e isso manteve a audiência por anos. E Chaves, bem como Chapolin, possuíam enredos que repetiam a mesma dinâmica de piadas, episódio após episódio. Se spoiler matasse o divertimento, os enredos de Chaves e Chapolin não teriam mantido o público como eles mantiveram por anos no SBT. 



Conclusão

Parece que precisaremos de mais algum tempo para verificar cientificamente os efeitos dos spoilers. Em algum determinado momento, a comunidade científica terá uma resposta para isso. Está me lembrando a história da canja de galinha. Nossas bisavós já sabiam dos benefícios da canja, muito antes da comunidade científica concluir seus benefícios (rs). A comunidade, tenho certeza, descobrirá em breve que spoilers não estragam a história. 

Então, repito minhas palavras anteriores e reafirmo

A conclusão que eu chego é que spoilers não estragam a história, entretanto, a população está dividida e em guerra por causa disso. Como foi mostrado pelas pesquisas, o temor que uma série amada fracasse, por causa de spoiler, é sem fundamento. Já a pesquisa da Universidade de Amsterdam nos indica que o processo de aprendizagem individual deve ser respeitado, ou seja, se uma pessoa não gosta de spoiler, ela deve ser respeitada. A que gosta de spoiler também deve ser respeitada. Desta forma, acredito que devemos combater e estimular:


O que combater

O que se deve combater é a figura do censor, ou seja, a pessoa que tenta controlar a outra, pois isso fere a liberdade de expressão e a busca pela informação. Impedir que uma pessoa dê um spoiler, ou busque um spoiler, é contra a realização plena da comunicação e contra tratados internacionais que nos garantem o direito à informação e a liberdade de expressão.


O que estimular


Estimular o respeito. Se a pessoa não gosta de spoiler, que seja respeitada. Se a pessoa gosta de spoiler, que seja respeitada também. Afinal, não existem vilões (com exceção da figura do censor), apenas pessoas tentando interagir sobre um determinado assunto. Vamos, portanto, nos respeitar.  Se o respeito não for obedecido, como diz a ministra, cabe a advertência adequada ao desvio de conduta. Agora, se você fica paranoico por causa de spoilers, ao ponto de agredir um amigo, é hora de procurar ajuda.